Unhas



Como já vinham fazendo, há que continuar a cortar as unhas das crianças com regularidade, isto é, em média, uma vez por semana, ou mais se elas crescerem mais depressa.

Numa altura em que a atividade corporal é maior e em que o contacto com o meio físico e com os outros é grande, unhas crescidas ou lascadas tornam-se perigosas, porque qualquer gesto, mesmo sem ser intencionalmente maldoso, pode causar arranhões.

• Deve aproveitar-se quando a criança está a dormir, pelo menos até ter 1 e meio, 2 anos, porque não se mexe tanto e as hipóteses de se fazer um corte no dedo são muito menores;

• Há também por vezes a tentação de cortar as unhas muito curtas, para não termos de estar sempre a pensar no assunto, só que unhas demasiadamente cortadas retraem-se e, ao crescer, podem encravar na pele, causando infeção e dor, para além de expor a polpa do dedo a traumatismos durante as atividades da criança, o que pode fazer doer;

• A unha deve ser cortada a direito e o ângulo reto que fica em cada lado, limado com uma lima de cartão, bem como devem ser limados também os bordos das unhas;

• O corte das unhas deve ser feito com tempo e tranquilidade, porque nem sempre corre com a fluidez que
se desejava. Há crianças que detestam, mesmo, cortar as unhas. E é importante fazer as coisas com calma, para evitar acidentes. Assim, há que «isolar» o dedo da unha a cortar – seja da mão, seja do pé – dos restantes dedos, para que não haja o perigo de a tesoura ou corta-unhas resvalar e cortar o que não deve;

• Não de devem utilizar tesouras de adultos, porque um pequeno desvio ou movimento da mão da criança pode provocar um acidente e um corte no dedo. As tesouras de crianças têm um limitador que evita este tipo de acidente;

• O corta-unhas poderá ser utilizado apenas depois dos 3-4 anos, quando já há cooperação;

• Se porventura ocorrer um corte e sangrar, há que fazer pressão para o sangue estancar, e não vale a pena estar com Auto culpabilizações ou recriminações;

• Se notarem que as pontas das unhas, junto à pele, estão encarnadas e inchadas, pode estar a ocorrer uma inflamação. O melhor será consultar o médico-assistente, mas numa fase inicial pode aplicar um pacho de álcool, durante uns minutos, seguindo-se a aplicação de um soluto desinfetante. Mas convém afastar os dedos do nariz da criança, porque o álcool evapora e é inalado, podendo causar hipoglicemia;

• As unhas dos pés são, frequentemente, «estranhas» e difíceis de cortar. Se elas parecem «crescer para dentro», então o melhor será pedir ajuda a alguém com experiência, designadamente um enfermeiro do centro de saúde ou podologista.

Comentários

Unhas | Para Pais.