Posts found under: sinais

Sinais e sintomas

febre (de início súbito, em «picos»»); arrepios; aspeto tóxico (ar gravemente doente); alterações do estado mental; irritabilidade; letargia; ansiedade e agitação; má resposta a estímulos; coma; choque; pele fria; palidez; cianose; sinais na pele (hemorragias) – petéquias («picadas de alfinete»), equimoses («nódoas negras), gangrena (por falta de oxigenação). O exame aponta para o diagnóstico embora, […]

Ler Mais...

Sintomas e sinais

Os sintomas e sinais da doença dependem da idade da criança e também do agente causador. Na criança com mais de ano e meio, a doença começa de forma brusca, com febre, vómitos, dores de cabeça, aversão à luz e grande prostração. A primeira manifestação pode, por exemplo, ser uma convulsão ou perda de consciência. […]

Ler Mais...

O que acontece se o meu bebé tiver problemas respiratórios?

Se houver sinais de problemas respiratórios no seu bebé, a parteira fará um tratamento imediato e pedirá a um pediatra para o observar. Por vezes uma simples massagem suave da pele pode melhorar a respiração ou o bebé pode precisar de um pouco de oxigénio. Se no trabalho de parto tomou petidina para aliviar as […]

Ler Mais...

Incubação e sinais

O período de incubação varia entre duas a três semanas, começando então os primeiros sintomas – mal-estar, febre baixa, falta de apetite, entre outros. No dia a seguir começam a aparecer na pele pequenas manchas e pápulas vermelhas, que rapidamente passam a vesículas, ou seja, ficam com líquido; estas acabam por se transformar em crostas. […]

Ler Mais...

Sintomas e sinais

A infeção primária não causa qualquer sintoma na larguíssima maioria dos casos. Nalgumas crianças pode dar uma doença ligeira, com febre baixa, mas que passa. Nesta fase, apenas se suspeita que possa ser tuberculose se se souber do contacto com um adulto bacilífero. Mesmo o teste de Mantoux só se torna positivo algumas semanas depois […]

Ler Mais...

Sinais e sintomas

A hepatite A é uma doença autolimitada, ou seja, cura espontaneamente e nunca evolui para a cronicidade. O período de incubação, que medeia entre o contacto com a pessoa ou com a fonte de infeção e o aparecimento dos sintomas, varia entre duas e quatro semanas. Como o contágio se faz numa fase anterior ao […]

Ler Mais...
Tag "sinais" | Para Pais.