Segurança na escolha dos brinquedos



Numa altura em que se gasta tanto dinheiro com brinquedos (demasiado, quanto a mim), vale a pena reflectir um pouco sobre a sua segurança. Em Portugal, estima-se que
anualmente ocorrem mais de mil acidentes envolvendo brinquedos, com recurso aos serviços de urgência. Mais do que o número, o que pode ser assustador é estarmos perante produtos especialmente concebidos para crianças, para os quais existe legislação e regulamentação específicas há já vários anos.

Interdito a menores de 36 meses.

Se o brinquedo se destina a uma criança com menos de 4 anos, verifiquem:

•se contém peças pequenas, ou que possam destacar-se com aparente facilidade;

• se larga pêlos que possam ficar na boca da criança, com o perigo de causar asfixia por aspiração de vómito;

• se tem cabos compridos (rocas e chocalhos), que possam magoar a boca ou os olhos da criança;

• se as juntas e os acabamentos são macios, sem arestas cortantes;

• se for de plástico rígido, exerçam alguma pressão para verificar se não cede ou dá
indícios de se partir com facilidade;

• se for de plástico ou borracha muito maleável (do tipo mordedores ou bonecos que chiam).

Isso poderá significar que contém PVC e nesse caso não deve ser dado. Os brinquedos
em PVC têm sido alvo de grandes polémicas devido às substâncias tóxicas que contêm
(ftalatos) e que em contacto com a saliva, migram para a boca da criança.

E ainda…

Se o brinquedo já existe lá em casa, verifiquem todos estes aspectos e além disso:

• evitem que crianças com menos de 4 anos brinquem com peças que possam pôr na
boca correndo o risco de as aspirar para os brônquios ou engolir (não devem caber
num cilindro com 32 mm de diâmetro – o equivalente a uma moeda de 2€)

• verifiquem se a tinta que cobre o brinquedo não começa a lascar ou a sair; se ficar menos intensa, pode ser sinal de que o bebé está a comer parte dessa tinta.

Os brinquedos são essenciais para o desenvolvimento das crianças, mas isso não
implica que sejam obrigatoriamente os mais caros ou o último grito da moda. Para além de dedicar uma maior atenção ao valor ludo-pedagógico do brinquedo e confirmar que está adequado à idade da criança, tente perceber do que ela realmente gosta. Não se deixe levar pela publicidade ou pelo que nós, adultos, achamos engraçado para nós. Não se esqueça de que as crianças darão aos brinquedos a utilização que elas entenderem e não a que nós pensamos que elas vão dar.

Se resolverem despedaçar, abrir ou desmontar um brinquedo, isso faz parte da sua curiosidade e do seu desenvolvimento normal. Um brinquedo seguro tem de prever isso.

Comentários

Segurança na escolha dos brinquedos | Para Pais.