Resultados para: "vinte semanas e oito dias"

Você está a ver criança , gravidez e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa vinte semanas e oito dias. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Desde que estou grávida que tenho tido dores de cabeça regulares – devo preocupar-me?

As dores de cabeça nas primeiras fases da gravidez são bastante normais e julga-se que se devem aos efeitos das hormonas da gravidez. Também podem ser causadas por outras coisas como desidratação, nível baixo de açúcar no sangue, ambiente abafado, cansaço e falta de sono. Tente beber mais água, esforçando-se por beber pelo menos oito copos de água por dia, e ter refeições regulares para manter o seu nível de açúcar no sangue. Se sentir a dor de cabeça a chegar, beba dois copos de água e descanse durante 30 minutos. Tomar uma dose esporádica de paracetamol é considerado seguro, embora, se possível, seja melhor evitar. Se tem vindo a sofrer de dores de cabeça há vinte e oito semanas ou mais, deverá informar o seu médico ou parteira, em especial se as suas dores de cabeça forem acompanhadas por visão desfocada, dificuldade em focar, ou clarões, pois isso pode ser sinal de hipertensão induzida da gravidez (tensão alta), o que pode indicar pré-eclampsia. Tente não se preocupar, pois embora muitas mulheres se queixem de dores de cabeça e algumas tenham a tensão alta na gravidez, poucas desenvolvem pré-eclampsia. Julga-se que a incidência é de dois a cinco por cento das gravidezes. Ler Mais...

As festas de anos nas escolas…

As festas de anos nas escolas tornaram-se quase obrigatórias. Com a crescente dificuldade em arranjar espaços onde albergar vinte e tal crianças, no sábado mais próximo do dia de anos, muitos pais conseguem transferir a festa para a escola. É portanto habitual as crianças levarem um bolo de anos, e isso não teria nada de mal, dado que o abuso de doces só corresponderia a uma refeição, e justificava-se com um momento de consagração pessoal. No entanto, os inefáveis pacotinhos de doces, que vão gerar problemas na casa dos outros meninos, são de evitar Não há qualquer razão para o fazer, assim como quando há festas em casa ou num restaurante não se dá a cada pessoa um saco com comida. Se pensarmos em vinte crianças e admitirmos que os doces durarão quatro dias, teremos oitenta dias de excesso de consumo de açúcar. Mais tudo o resto que se come em casa, fará aumentar a obesidade infantil e contribuir para a diabetes e para a cárie dentária. Não creio que seja a melhor maneira de comemorar o aniversário de alguém. Ler Mais...

É demasiado cedo para fazer “jogos” com o meu bebé de um mês?

No primeiro mês, o seu bebé dorme cerca de 16 horas por dia. Embora isso não deixe muito tempo entre mamadas, mudas e banhos, não quer dizer que não brinque com o seu filho. Há muitas formas de combinar a brincadeira com os cuidados diários do seu bebé. Por exemplo, pode cantar para ele enquanto lhe muda a fralda ou fazer palminhas com os pés (entre as oito e as dez semanas ele começará a recordar-se do que acontece e pairará deliciado). Ouvirem música juntos é divertido - tente embalá-lo e dar-lhe palmadinhas ao ritmo da música; e os bebés gostam de brincar com texturas diferentes - passe-lhe tecidos diferentes nas mãos e nos braços e observe a sua resposta. Quando não estiver à beira dele, coloque um móbile ou um brinquedo no berço. Por volta das oito semanas, o seu bebé começa a fazer mais sons, como arrulhar e dar gritinhos e podem começar a ter "conversas". Também nunca é demasiado cedo para se juntar a um grupo pós-natal ou a um grupo mãe e bebé, que proporciona brincadeiras e permite que passe tempo com o seu bee que se encontre com outras mães. Ler Mais...

As crianças têm coração que chegue para todos…

Há que desdramatizar esta situação. As crianças têm sentimentos de sobra para lidar com todos estes avós e para gerir o tempo e o espaço, afetivo e outro, que devem a cada um deles. Na melhor das hipóteses, em caso de divórcio dos pais, se ambos voltarem a casar, a criançapoderá ter quatro avós naturais mais quatro de empréstimo, oito bisavós naturais mais oito de empréstimo - só aqui já estão vinte e quatro - e se calhar ainda algum trisavô daqueles que resistem às «intempéries do tempo». Não vale a pena fazer uma tempestade num copo de água e o bom relacionamento é fundamental, a bem da criança. Não vale também a pena pelo contrário, é contraproducente, desfazer a imagem dos outros, criticando-os, humilhando-os, reduzindo a sua importância. O poder e o amor podem e devem ser partilhados, sobretudo no caso das crianças e jovens, que têm ainda uma enorme capacidade para receber e dar... e que não hesitarão em escolher segundo os seus próprios parâmetros, estando-se «nas tintas» para as escolhas que os adultos pretendem fazer por eles. Dois quartos, duas famílias, irmãos daqui e dali, dois Natais, férias variadas, realidades diferentes, mimo em dobro, alguma insegurança... às vezes deveres redobrados e contratempos acrescidos, enfim, o resultado é na maior parte dos casos muito satisfatório, principalmente se os intervenientes não se olharem como inimigos, adversários ou em concorrência permanente. Quem sai a ganhar com esta atitude, mesmo engolindo alguns sapos pelo caminho, são seguramente os avós os biológicos e os de «empréstimo» e, em consequência, o relacionamento entre eles e os seus netos. Ler Mais...

Que sons pode o meu bebé ouvir dentro do útero?

As orelhas do bebé são visíveis por volta das oito semanas e a primeira reacção a sons fortes foi registada às nove semanas. Isto foi medido em estudos feitos tocando uma variedade de sons perto do abdómen da mãe e registando qualquer resposta, como movimentos, através de ecografias. Julga-se que os bebés começam por ouvir sons graves e os sons mais agudos são ouvidos mais tarde, conforme o aparelho auditivo se vai desenvolvendo. Estudos também sugerem que um feto pode reconhecer a voz da mãe e as vozes de amigos chegados e familiares especificamente durante a gravidez. Um estudo revelou que o feto ouve a voz da mãe e que ao ouvi-la os batimentos do seu coração diminuem, indicando que a voz dela tem um poder calmante. Pelas 16 a 20 semanas, a audição está bastante desenvolvida. Os bebés prematuros nascidos nesta altura reagem aos sons, portanto são uma prova viva de que os bebés dentro do útero, nesta fase da gestação, podem ouvir. Pesquisas também sugerem que os bebés respondem quando lhes lêem histórias ou põem música a tocar, durante a gravidez e após o nascimento. Ler Mais...
Vinte semanas e oito dias | Para Pais.