Resultados para: "sintomas de episiotomia inflamada"

Você está a ver criança , gravidez e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa sintomas de episiotomia inflamada. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Cortes de episiotomia

Uma episiotomia é uma incisão, ou corte, feito com uma tesoura na zona chamada períneo, que é o espaço de tecido entre a vagina e o ânus. Esta zona alonga e fica mais fina durante o parto para permitir que a cabeça do bebé passe com facilidade. Uma episiotomia é feita só numa situação de emergência. Um exemplo disso é a necessidade de o bebé nascer rapidamente, ou por vezes durante um parto assistido, por exemplo com fórceps (ver ao lado), para evitar um rasgar descontrolado. Antes de o processo se iniciar, será injetada uma anestesia local no músculo, para reduzir o desconforto da dor durante a operação. O corte precisa depois de levar pontos e isso, em geral, é feito pelo obstetra que acompanhou o parto. Embora as episiotomias costumassem ser feitas por rotina há 10 ou 15 anos, agora só são feitas quando é realmente necessário. Deverá ser informada da razão por que ela é recomendada e terá de dar o seu consentimento verbal antes de se efetuar o processo. Ler Mais...

O que é uma episiotomia e porque deve ser feita?

Uma episiotomia é um corte ao longo do músculo entre a vagina e o ânus, conhecido por períneo, para alargar a zona por onde o bebé será expulso (ver acima). Isso só é feito quando absolutamente necessário e não será efetuado sem o seu consentimento. Há várias razões para uma episiotomia ser recomendada: se o bebé estiver em sofrimento, para apressar o sair da cabeça, em casos de partos com fórceps ou ventosas, se a cabeça do bebé for demasiado grande para passar na vagina, se o períneo não alongou o suficiente até ao fim da segunda fase do trabalho de parto para permitir uma passagem suave da cabeça do bebé através da vagina, se houver complicações, num parto vaginal, de um bebé em posição pélvica, ou se a mãe estiver com dificuldade em controlar as contrações enquanto a cabeça do bebé está a surgir, o que significa que irá rasgar bastante durante o parto. Em geral, é primeiro injetada no músculo uma anestesia local e o processo é efetuado durante a fase mais forte de uma contração, pois isso distrai-a do que está a ser feito e ajuda a um parto mais rápido. Ler Mais...

Depois de uma episiotomia como aliviar o desconforto dos pontos

Se fez uma episiotomia, o seu períneo poderá ficar bastante desconfortável depois do parto, pois a pele envolvente pode inchar, obrigando os pontos a esticar e o sentar-se torna-se bastante difícil. Eis algumas formas aliviar esse desconforto. Sente-se num anel de borracha para retirar a pressão dos pontos e permitir-lhe que relaxe. Aplique uma placa de gel gelada na zona, ou peça à sua parteira ou médico para lhe receitarem um creme ou spray analgésico. Tente agachar-se sobre a sanita quando urinar pois isso evita que o ácido da urina corra para os pontos. Lave e seque a zona com cuidado depois de ir à casa de banho. Um banho quente ou um duche podem acalmar. Depois de se lavar, seque a zona com cuidado batendo suavemente com uma toalha. Ler Mais...

O que são as amígdalas?

As amígdalas são umas formações do chamado tecido linfoide, especializado em defesa contra as diversas agressões, microbiológicas ou não, e que se situam em ambos os lados da garganta. A sua função é semelhante à dos adenoides: porteiro que evita a entrada de agentes nocivos. Quando as amígdalas se infetam, incham e causam os sintomas que mencionei. No fundo, o que a criança sente vem essencialmente de duas origens: os sinais de infeção (febre, mal-estar. falta de apetite) e os sinais locais que estão associados ao aumento dessas estruturas (dor a engolir, dificuldade em respirar e falar, tosse, vómitos). Os vómitos, por exemplo, são fáceis de explicar porque, além do quadro infecioso geral que os pode causar, o facto de as amígdalas estarem junto à faringe - e esta também estar inflamada, por continuidade - faz com que o aumento do seu tamanho induza o vómito, quase como se alguém estivesse a meter uma colher pela boca abaixo. O aumento dos gânglios debaixo da mandíbula representa a entrada destas estruturas (também elas formadas por tecido linfoide) na luta contra as bactérias. Os gânglios são como filtros que, do mesmo modo, têm por missão limitar a infeção e não a deixar progredir. Muita gente pensa, como a mãe do Rui, que ao palpar os gânglios da criança está a palpar as amígdalas. Não. Não é a mesma coisa e esses gânglios podem também estar volumosos no decurso de outras infeções - nasais, da pele, dos dentes -, e permanecem aumentados muito para lá do período agudo de infeção. Ler Mais...

Pensar em levar um corte é aterrador. O que posso fazer para evitar isso?

Alguns estudos têm demonstrado que massajar o períneo com regularidade durante a gravidez, utilizando um óleo sem perfume, pode reduzir o risco de rasgar pois isso ajuda a tomar essa zona mais flexível e por conseguinte pode ajudar a alongar a zona quando a cabeça do bebé estiver a passar. Antes de massajar o períneo lave as mãos com cuidado. Embora uma episiotomia possa ser uma perspetiva preocupante, se for aconselhada a fazer uma, isso pode evitar um rasgar descontrolado. Ler Mais...

Sinais e sintomas

A hepatite A é uma doença autolimitada, ou seja, cura espontaneamente e nunca evolui para a cronicidade. O período de incubação, que medeia entre o contacto com a pessoa ou com a fonte de infeção e o aparecimento dos sintomas, varia entre duas e quatro semanas. Como o contágio se faz numa fase anterior ao aparecimento de sintomas, é muitas vezes difícil conhecer com exatidão quem infecto quem. Clinicamente a hepatite A típica (em muitos dos casos, nas crianças, não há nada) revela-se por um período inicial semelhante a uma gripe, com alguns sintomas gastrointestinais - náuseas, vómitos, diarreia, dores abdominais -, cansaço, falta de apetite. Estes sintomas inespecíficos são geralmente uma fonte de preocupação para os pais. Numa segunda fase aparecem os sintomas e sinais que todos conhecem como «sintomas de hepatite» - icterícia (pele e olhos amarelos), urina cor de «vinho do Porto» e fezes claras (cor de «massa de vidraceiro»). Em geral, ao 3.°-5.° dia da icterícia, o estado geral da criança começa a melhora muito e ela recupera o apetite, ficando por vezes com um verdadeiro «apetite de leão». Os pais ficam mais aliviados, sobretudo porque a maioria das crianças emagrece na fase anterior a esta. Ler Mais...
Sintomas de episiotomia inflamada | Para Pais.