Resultados para: "sintomas da primeira denticao alergia"

Você está a ver alimentação , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa sintomas da primeira denticao alergia. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Os dentes dão febre, ou não?

Segundo alguns autores, a dentição produz apenas dentes, «ponto final». É claro que o bebé pode andar irritado,com dores, vontade de morder, necessidade de esfregar as gengivas (para amolecer os tecidos e os dentes saírem mais rapidamente). Mas há que ver que os dentes surgem na «pior» altura: depois dos seis meses, quando a imunidade recebida pelo bebé através da placenta e da amamentação começa a desaparecer, e o bebé está muito mais exposto às infecções (banais, é certo, mas que podem dar febre baixa, «ranho» e perturbações do apetite ou do sono), uma idade em que o contacto com o mundo e com os agentes infecciosos é maior (por exemplo, no infantário ou creche). Não há estudos que indiquem existir mais infecções gerais nos períodos mais críticos da dentição. Por este motivo, há que ter algum cuidado com o tratamento das dores e do desconforto da dentição, bem como tentar encontrar alguma explicação diferente para doenças mais prolongadas ou intensas. Dar apoio à criança, mimo e colo pode ser o suficiente, mesmo que se corra algum risco de criar maus hábitos. Ler Mais...

É seguro comer amendoins ou alimentos com amendoins durante a gravidez?

Alguns especialistas acham que se uma criança corre um risco especial de contrair alergia ao amendoim, o problema pode ter iniciado o seu desenvolvimento antes do nascimento quando a sensibilidade aos amendoins pode ter começado no útero, através da dieta da mãe. Contudo, alguns estudos recentes têm sugerido que evitar os amendoins pode na realidade estar a aumentar a incidência de alergias, apontando para países onde o amendoim é um alimento principal e as alergias são relativamente raras. O seu bebé pode correr o risco de alergia ao amendoim se você ou o seu companheiro, ou os parentes do seu bebé, sofrerem de asma, eczema, febre-dos-fenos ou outras alergias. O conselho das entidades oficiais é que se você se enquadra num destes grupos não deverá comer amendoim ou produtos com amendoins na gravidez ou enquanto amamenta. Não há necessidade de evitar os amendoins se o seu bebé não correr riscos de alergia ao amendoim. Outros frutos secos como as avelãs, a castanha-do-maranhão e a podem comer-se com segurança na gravidez. A informação sobre o desmame também foi alterada com as famílias "em risco" a serem avisadas de que não devem introduzir os amendoins antes dos três anos. Ler Mais...

Eczema

O termo eczema usa-se para descrever um certo tipo de lesões da pele, caracterizados por vermelhidão, exsudação (aparecimento de líquido lamacento) e formação de pequenas vesículas debaixo da pele. A causa mais comum é a chamada dermatite atópica. de origem alérgica. À medida que o tempo passa as lesões ficam mais secas, espessas e com pequenas escamas, bem como com alterações da pigmentação da pele. Quando a situação se prolonga, há que pedir o conselho do médico, dado que pode ser uma alergia, designadamente às proteínas do leite de vaca ou a qualquer outro agente alimentar ou químico. Outras causas de eczema são a dermatite seborreica, a dermatite de contato (contacto prolongado ou repetido com substâncias como a saliva, sumo de citrinos, detergentes com que se lava a roupa da criança, sabonetes e espumas de banho ou medicamentos). A saliva é um dos agentes mais vulgares o bebé. na fase pré-dentição e de dentição (mais ou menos dos 3/4 aos 24 meses) fica com lesões no queixo e no pescoço. As golas de camisolas, feitas de materiais sintéticos, também podem causar eczema no pescoço. Outro responsável por este tipo de lesões é a sudação excessiva (por exemplo, devida ao excesso de roupas). A dermatite de contacto de origem alérgica (atópica) caracteriza-se por grande comichão, a qual, nas crianças pequenas, pode não ser expressa da mesma maneira que nas crianças mais velhas, que já se queixam. O bebé pequeno dorme mal, chora, mexe-se numa tentativa de se coçar, está irrequieto. Vale a pena também dizer que muitas vezes a origem do eczema está em medicamentos (pomadas, cremes, unguentos) e até em medicamentos receitados para o próprio eczema, dado que quer o produto activo quer o veículo da pomada podem causar lesão e perpetuá-la se não se estiver avisado para isso. Se uma pomada não faz efeito ao fim de um prazo de dias, então é melhor suspendê-la. Finalmente, a dermatite seborreica, que é uma inflamação crónica da pele e ocorre em todas as idades e é devida a uma hiperprodução das glândulas sebáceas, especialmente no couro cabeludo, zonas de flexão da pele (sangradouro, etc.) e zona das sobrancelhas. A crosta láctea, que mencionámos acima, é um exemplo. O médico assistente receitará a terapêutica adequada. Ler Mais...

Micose das fraldas

Nas crianças que ainda usam fralda, é vulgar aparecer lesões de vermelhidão intensa e «assadura», com distribuição em «borboleta», na região genital e anal, podendo causar ferida e até sangrar. Estas lesões devem-se à infeção por fungos, geralmente na sequência de irritação, para a qual vários fatores podem contribuir: fricção e maceração, alergia às fraldas, contacto prolongado com a urina ou as fezes (escassa mudança de fraldas), alergia aos cremes ou ao sabonete e produtos de limpeza. Além das pomadas com vitamina A e óxido de zinco, é necessário colocar também uma pomada com antifúngico, para lá de mudar as fraldas com maior frequência e lavar suavemente com água tépida e sabão neutro. A medida mais eficaz seria deixar as crianças de «rabo ao léu», dado que o ambiente escuro, húmido e quente das fraldas favorece o crescimento dos fungos. No entanto, esta medida é infelizmente inviável na maior parte do ano e dos contextos. Ler Mais...

Sintomas e sinais

Os sintomas e sinais da doença dependem da idade da criança e também do agente causador. Na criança com mais de ano e meio, a doença começa de forma brusca, com febre, vómitos, dores de cabeça, aversão à luz e grande prostração. A primeira manifestação pode, por exemplo, ser uma convulsão ou perda de consciência. Na observação médica ressaltam os chamados sinais meníngeos, entre os quais a rigidez dos músculos da nuca quando se flete a cabeça. Nas crianças mais jovens há febre, gemido, vómitos, irritabilidade ou prostração, palidez e frequentemente convulsões. O achado médico mais significativo é a chamada hipertensão da fontanela, ou seja, a «moleirinha» está abaulada e proeminente. Em algumas meningites, especialmente as provocadas pelo meningococo, podem aparecer lesões da pele - hemorragias (tipo picada de alfinete, que são chamadas «petéquias», ou maiores, tipo nódoa negra, que se designam por «equimoses»), queixas gastrointestinais ou outras. Ler Mais...

Quando é que terei a minha primeira consulta pré-natal e quantas deverei ter?

A sua primeira consulta com a parteira, chamada “consulta de registo”, em geral situa-se entre a 8ª e a 12ª semanas. Esta costuma ser a consulta mais longa pois a finalidade é obter todos os seus dados clínicos e fazer uma série de exames para se planear os cuidados a prestar-lhe durante a gravidez e o parto. Para uma primeira gravidez sem complicações, em geral fazem-se 10 consultas, e para gravidezes subsequentes, são convenientes 7 visitas. Entre as consultas pode contactar o seu médico se tiver quaisquer problemas ou questões. Ler Mais...
Sintomas da primeira denticao alergia | Para Pais.