Resultados para: "sinais do trabalho de parto que ninguem diz"

Você está a ver grávida , criança e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa sinais do trabalho de parto que ninguem diz. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Como poderei saber se já estou realmente em trabalho de parto?

O sinal completamente seguro de que está em trabalho de parto é estar com contrações regulares que causam a dilatação e a abertura do colo do útero, e isso só pode ser determinado pela sua parteira ou pelo seu médico durante um exame interno. As contrações do trabalho de parto são em geral dolorosas, ocorrem com muita regularidade e tornam-se cada vez mais fortes e frequentes. Há outros sinais de que o trabalho de parto pode estar a caminho, como o aparecimento ou descarga de muco vaginal, mas estes não são verdadeiros indicadores de que o trabalho de parto está realmente a caminho. Se não tem a certeza se está ou não em trabalho de parto, pode tentar cronometrar as suas contrações desde o início de uma até ao início da seguinte e anotar a frequência com que ocorrem. Se estiver em trabalho de parto, então notará que elas se tornam mais seguidas e aumentam de duração. Se achar que está em trabalho de parto ligue à sua parteira ou ao seu médico. Ler Mais...

O que é que estimula o trabalho de parto?

Embora haja muitas teorias, ninguém sabe realmente o que estimula o trabalho de parto. Uma é que a hipófise da mãe segrega oxitocina, a hormona que estimula as contracções, quando o bebé está pronto para nascer. Outros acreditam que o bebé inicia o trabalho de parto enviando um sinal ao corpo da mãe. Uma teoria é que os pulmões do bebé segregam uma enzima quando estão desenvolvidos o que dá origem a uma substância chamada prostaglandina, que estimula as contracções. Outra teoria é que, quando o bebé está pronto para nascer, as suas glândulas supra-renais produzem hormonas; estas causam alterações hormonais na mãe que iniciam o trabalho de parto. Ler Mais...

Que probabilidades há de um bebé morrer em trabalho de parto ou pouco depois do parto?

A morte de um bebé durante o trabalho de parto é, geralmente, causada por falta de oxigénio durante o trabalho de parto, possivelmente devido a problemas com a placenta ou a algum dano causado no bebé durante o trabalho de parto e parto. Contudo, hoje em dia isso é muito raro graças à monitorização da mãe e do bebé, durante o trabalho de parto e de se saber lidar com os sinais de sofrimento. Quando um bebé morre nas primeiras quatro semanas de vida, isso é conhecido como morte neonatal, o que afeta cerca de 3 em 1000 bebés. As mortes neonatais ocorrem em geral em bebés muito prematuros que possam ter dificuldades respiratórias ou em bebés com anomalias cromossómicas ou genéticas graves. A infeção costumava ser uma causa significativa de morte neonatal, mas agora é rara. Para os casais que perderam um bebé nestas circunstâncias, é importante aceitarem que é extremamente improvável que isso esteja relacionado com alguma coisa que eles fizeram ou deixaram de fazer. Ler Mais...

As aulas de relaxamento e de parto ajudam?

As técnicas de relaxamento e respiração ensinadas nas aulas de parto pré-natais são muito úteis quando utilizadas em conjunto e na altura certa do trabalho de parto. Isso, combinado com o trabalho com o seu companheiro e a sua parteira pode ajudar a tomar a dor mais suportável e assim a experiência do parto mais agradável. Vale a pena fazer notar que as pessoas têm diferentes limiares de dor e as técnicas de relaxamento e respiração só por si podem não ser suficientes para a ajudar a lidar com a dor no trabalho de parto, em especial com o avançar do trabalho de parto. Praticar as técnicas de respiração e relaxamento antes de o trabalho de parto começar aumenta os benefícios, portanto as aulas ajudam. Ler Mais...

Monitorização fetal

Durante o trabalho de parto no hospital, pode passar algum tempo ligada a um cardiotocógrafo (CTG). Este monitoriza as suas contrações e os batimentos cardíacos do bebé, para verificar se o bebé mostra alguns sinais de perigo durante o trabalho de parto. São colocadas duas faixas à volta da sua cintura. Uma regista os movimentos do seu músculo uterino e a outra mede os batimentos cardíacos do seu bebé. A máquina a que está ligada imprime as duas leituras para que a parteira ou o médico possam ver o seu progresso e o do seu bebé. Se o seu trabalho de parto decorrer sem problemas e as leituras do seu CTG estiverem normais, então podem retirar-lhe as correias e desligá-la da máquina para que fique livre para se movimentar. A sua parteira poderá então querer monitorizá-la a si e ao bebé a intervalos regulares durante o trabalho de parto. Ler Mais...

Parto assistido – Quando é necessário?

Um parto assistido, utilizando fórceps ou extração por vácuo com ventosa, pode ser efetuado devido a uma ou mais das seguintes razões: A mãe estar exausta por um longo trabalho de parto e não ter energia suficiente para fazer força. O bebé mostrar sinais de estar em sofrimento durante a segunda fase do trabalho de parto. A cabeça do bebé estar numa posição errada – se estiver na segunda fase do trabalho de parto, o fórceps ou as ventosas por vezes podem ser utilizados para virar a cabeça e retirar o bebé. Por vezes o fórceps é utilizado para proteger a cabeça delicada de um bebé prematuro, durante o parto. O fórceps pode ser utilizado para retirar a cabeça de um bebé em posição pélvica. Se o bebé for bastante grande - que pode ser o caso se a mãe tiver tido diabetes gestacional. Ler Mais...
Sinais do trabalho de parto que ninguem diz | Para Pais.