Resultados para: "renedios caseiros p passar no ponto"

Você está a ver leite , gravidez e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa renedios caseiros p passar no ponto. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Conselho sobre cinto de segurança

Coloquem bem o cinto de segurança, apertando-o de modo a ficar um espaço de apenas uma mão travessa entre a criança e o cinto. Nunca deixem o cinto passar por baixo do ombro ou, peio contrário, pelo pescoço. Às vezes as crianças tendem a passar o braço por cima do cinto, transformando este apoio de 3 pontos num de 2. É errado. Da mesma forma, se o cinto não passar pela caixa torácica, pode estrangular a criança, em caso de travagem ou colisão. Ler Mais...

Micro-ondas

É cada vez maior o número de pessoas que tem em casa um forno de micro-ondas. A terminologia «micro-ondas» passou a fazer parte do nosso calão diário. As queimaduras diretamente atribuíveis aos micro-ondas podem acontecer fundamentalmente por três razões:
  • forno mal vedado ou estragado;
  • exposição por inadvertência;
  • exposição intencional.
Deixando de parte o terceiro grupo, embora não seja de menosprezar pois já começa a haver casos descritos na literatura médica pediátrica sobre queimaduras propositadamente infligidas em crianças, no contexto de maus-tratos, os outros grupos têm vindo a diminuir, já que a vedação dos fornos e os sistemas de segurança são francamente melhores, assim como o cumprimento das regras de segurança; quando se abre a porta da maior parte dos fornos a emissão de micro-ondas pára, evitando as queimaduras. A fuga de ondas também é já uma raridade, embora possa ocorrer, sobretudo se o micro-ondas sofrer «arranjos caseiros» por pessoas que não dispõem nem da sabedoria nem dos materiais necessários. Ler Mais...

Rinite alérgica

A descrição anterior já diz tudo sobre o que é a rinite alérgica. Do ponto de vista subjetivo, ou seja, da criança que sofre de rinite. O que vemos, do lado objetivo, é uma criança olheirenta, que respira pela boca, com o nariz entupido e com «tiques» como estar sempre a passar a mão pelo nariz ou a cocá-lo. Durante a noite ressona e tosse, como as crianças com os adenoides grandes. Durante o dia está cansada e sonolenta. A causa destes sintomas é, precisamente, a sensibilização do nariz (e também dos olhos e faringe) a substâncias alimentares, pólenes, plantas, pó e ácaros, pêlos de animais, entre outros. Por vezes há rinites cujos sintomas são desencadeados por alterações súbitas de temperatura. Os piores períodos são o Outono e a Primavera. O fumo do tabaco e outros agentes poluentes são «inimigos a abater» porque aumentam os sintomas e a sensibilização e irritação do nariz. Ler Mais...

Birras de provocação

Primeiro ponto: o Pedro já perdeu o seu sentido de omnipotência e tem receio de ser abandonado. E quando já ouviu os pais dizerem-lhe: «Estou farto de ti!» - ou, mesmo não tendo ouvido, já pressentiu que isso poderá (na cabeça dele, claro) acontecer -, tem medo de que o façam sair de casa, para um mundo onde (ele bem sabe!) não sobrevive- ria. E não gostarem dele será o pontapé de saída...para a saída. Segundo ponto: o Pedro tem já muito desenvolvido o seu sentido ético. Sabe distinguir o bem do mal, e se faz asneiras é porque é isso mesmo que quer fazer. Terceiro ponto: o Pedro descobriu que tem duas versões: uma boa e outra «menos boa». Descobriu, afinal, a condição humana, mais outro «peso-pesado» que tem de assumir. Quarto ponto: o Pedro não sabe se consegue controlar a versão «má», a tal que lhe garante «cama e roupa lavada», está já assente, e com ela o amor dos pais. Quinto ponto: o Pedro tem medo de ser mau, de «acordar mau», porque não sabe como é que estas coisas se controlam. E se tal acontecer, os pais não gostarão dele, e daí a porem-no na rua será um ápice. Sexto ponto: Perante esta dúvida angustiante, o Pedro tem de se testar, a ele e aos pais. Como o amor dos pais já é um dado adquirido, para a versão «boa», vai então experimentar a outra versão, a «má». Para ver o que dá...antes que a situação escape ao seu controlo e as coisas aconteçam sem travão. Sétimo ponto: o Pedro tem de ser educado dentro das regras e dos limites estabelecidos pelos pais. Mas há que ter a arte e o cuidado de distinguir a pessoa dos seus atos. Se estes podem ser passíveis de elogio e prémio, ou censura e castigo, já a pessoa tem de ser sempre reafirmada como objetos de amor. Seja qual for a versão que esteja «em vigor». Oitavo ponto: não é muitas vezes o que fazemos, mas é quando se deve mais fazer: na fase da asneira e da versão «má», que é afinal quando surgem as dúvidas se os pais gostam ou não dela, há que dar afeto e garantir à criança (portanto, à pessoa) que se gosta dela, que o amor nunca estará em causa. Dizer «Gosto de ti. És querido!- e só depois, debruçamo-nos sobre o ato, e então condenarmos e castigarmos se for esse o caso. Este, o ato. Não aquela, a criança. Com esta estratégia, o Pedro deixará de ter dúvidas sobre o amor dos pais. Sabe que será sempre desejado e querido (do verbo «querer), mesmo que a tecla carregue na versão «má». Tiram-lhe toneladas de cima. E verá que consegue, gradualmente, controlar a parte «má», sendo cada vez mais «querido». Além disso, porque os pais lhe ensinaram os conceitos éticos, dos quais ele tem uma noção muito clara, sentir-se-á bem consigo pprio por agir bem, tendo ainda o acréscimo de receber uma recompensa pelas atitudes corretas. A pouco e pouco deixará as provocações baratas, «rascas» e (quase) incompreensíveis, muito mais rapidamente e com menos trauma do que se nada disto for feito. Ler Mais...

Como poderei saber as diferenças entre as contrações reais e as de Braxton Hicks?

As contrações do trabalho de parto têm várias características específicas. São muito regulares e com o passar do tempo aumentam em regularidade e duração e também são dolorosas. Muitas começam como dores menstruais ou dor nas costas que também aumentam de intensidade com o passar do tempo. A outra diferença, de que você pode ou não ter consciência, é que o colo do útero dilata em resposta às verdadeiras contrações de trabalho de parto, mas não com as contrações de Braxton Hicks. Uma coisa que pode indicar que isso está a acontecer é a saída do rolhão mucoso. Ler Mais...

Televisão e sexo ou sexo e televisão

Outro aspecto muito temido pelos pais é a influência das cenas de cariz sexual. Obviamente que algumas imagens poderão ser perturbadoras para as crianças pequenas - sobretudo porque são interpretadas como violentas e agressivas - e esses filmes deverão passar a horas em que a criança estará já na cama ou pelo menos acompanhada e em que, assim, será possível ao adulto desligara televisão ou mandar a criança para a cama (onde provavelmente já deveria estar). A lei portuguesa prevê, aliás, este ponto. Há também que pensar que, mesmo que algum debate, filme ou série levante alguma questão mais «incomodativa», não será essa também a função da TV? Não terão os pais assim uma excelente oportunidade de responder a essas questões de uma forma honesta? Não será isso melhor do que fazer como o avestruz, por muito que esta atitude seja inerente ao tipo de desenvolvimento da sexualidade que a larga maioria dos adultos portugueses teve? O que está mal é apresentar a sexualidade como algo desprovido de afetividade, algo secreto com «cheiro» a traição e a duplicidade, obrigatoriamente brejeiro e ordinário, necessariamente perverso. Nisso as telenovelas são exímias, no mau sentido. Ler Mais...
Renedios caseiros p passar no ponto | Para Pais.