Resultados para: "quero ver tabaco"

Você está a ver alimentação , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa quero ver tabaco. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Os mais que conhecidos efeitos do tabaco

Muito se tem dito e escrito sobre o tabaco e os seus efeitos negativos. Às vezes de uma maneira tendenciosa e funda- mentalista. De qualquer modo, acredito que a maioria dos leitores está plenamente informada dos efeitos negativos do tabaco, nas suas diversas variantes (cigarro, charutos e cigarrilhas ou cachimbos), sobre a saúde. Dir-se-ia que toda esta conversa seria «sopa requentada». Mas um aspecto talvez mais recente é que, depois de toda a informação que tem sido veiculada sobre as doenças provocadas pelo tabaco no indivíduo que fuma, vários dados começaram a ser produzidos sobre os efeitos do tabaco nos não fumadores, ou seja, naqueles que compartilham espaços onde a atmosfera que se respira está carregada de fumo e de outras substâncias derivadas da combustão do tabaco são os chamados fumadores passivos. E as crianças são as primeiras vítimas deste fenómeno. Independentemente dos juízos de valor, morais ou outros, que cada um faz sobre o ato e a opção de fumar ou não fumar, facto são factos e, no que respeita às crianças, dada a grande vulnerabilidade das suas vias aéreas, é conveniente realçar alguns aspectos para que os pais possam, na medida das alterações de comportamentos que queiram ou consigam ter, padronizar a sua vida e o ambiente onde os filhos vivem segundo critérios de qualidade ambiental. Ler Mais...

Proteger as crianças do tabaco – um sinal de amor

No que se refere às crianças, é muito fácil protegê-las do fumo passivo: transformar a casa, os infantários e os meios de transporte em lugares onde não se fume. Claro que alguns argumentarão que os escapes dos automóveis ou algumas indústrias poluem muito mais do que o tabaco. Mas discussão à parte, talvez nos seja mais possível, enquanto indivíduose num curto prazo, dominar o fator tabaco do que proibir a circulação automóvel ou criar indústrias menos poluentes. Estas medidas são essenciais, e deveremos defendê-las também, em nome da ecologia e da cidadania, mas o primeiro elemento está mais ao nosso alcance. E o facto de os outros elementos poluentes também existirem não torna este menos agressivo. Ler Mais...

Tabaco e crianças

Para além de irritar os olhos e as vias aéreos mais de 3500 compostos existentes no do tabaco aumentam a probabilidade aparecimento de pneumonias, bronquite, tosse e dificuldade respiratória, otites e agravamento da asma, vias aéreas da criança são estreitas e, portanto, muito sensíveis à acumulação de secreções. Ainda por cima, os outros mecanismos de expulsão das secreções - tosse, muscular - estão ainda pouco desenvolvidos. O fumo do tabaco vai diretamente um dos mais eficazes mecanismos de limpeza, os cílios brônquicos, que são pequeninos pêlos que fazem movimentos coordenados no sentido de expulsar para cima tudo o que se vai acumulando nos brônquios. Por outro lado, a agressão dos compostos existentes no fumo do tabaco vai estimular as vias aéreas a produzir mais secreções. Pior a emenda que o soneto... Produz-se mais muco e drena-se pior: resultado: maior entupimento, o que, na prática, resulta em mais bronquiolites, pneumonias, adenoidites ou crises de asma. O fumo passivo pode, também aumentar a probabilidade de desenvolvimento de doença cardíaca em adulto, para além da menor oxigenação global que se pode traduzir em problemas de aprendizagem. Ter em atenção estes cuidados poderá evitar muitos problemas à criança e muitas maçadas, preocupações e despesas aos pais. E é por isso que me pasma que algumas mulheres e alguns homens continuem a fumar desalmadamente em ambientes frequentados por crianças, a começar pela casa onde vivem. Ler Mais...

Os efeitos do fumo passivo nos bebés

Para além de irritar os olhos e as vias aéreas, os compostos existentes no fumo do tabaco aumentam a probabilidade do aparecimento de certas doenças na criança, como pneumonia, bronquite, tosse e dificuldade respiratória, otites e agravamento da asma. As vias aéreas do bebé são estreitas e, portanto, muito sensíveis à acumulação de secreções. Ainda por cima, os outros mecanismos de expulsão das secreções tosse, força muscular, estão ainda muito pouco desenvolvidos. O fumo do tabaco vai, directamente, inibir um dos mais eficazes mecanismos de limpeza os cílios brônquicos, que são pequenos pelos que fazem movimentos coordenados no sentido de «expulsar para cima» tudo o que se vai acumulando nos brônquios. Por outro lado, a agressão dos compostos existentes no fumo do tabaco vai estimular as vias aéreas a produzir mais secreções. Pior a emenda que o soneto... produz-se mais muco e drenase pior. Resultado: maior entupimento, o que, na prática, resulta em mais bronquiolites, pneumonias ou crises tipo asma. O fumo passivo pode, também aumentar a probabilidade de desenvolvimento de doença cardíaca em adulto, para além da menor oxigenação global que se pode traduzir em problemas de aprendizagem. Ter em atenção estes cuidados poderá evitar muitos problemas à criança e muitas maçadas, preocupações e despesas aos pais. E é por isso que me pasma que algumas mulheres e alguns homens continuem a fumar desalmadamente à frente das crianças e nos locais frequentados por elas. Ler Mais...

Informação sobre o Tabaco e as Crianças

Um estudo internacional realizado em mais de 20.000 crianças confirmou que o fumo do cigarro, antes e depois do nascimento, altera negativamente a função pulmonar dos bebés e crianças, pelo que os autores consideram que o tabagismo parental continua a ser um grave problema de Saúde Pública. Este vasto e rigoroso estudo confirmou, por exemplo, que o efeito do tabaco durante a gestação pode durar até aos 12 anos de idade - o decréscimo na função respiratória tinha um risco acrescido até 40%. Mas se a criança continuar exposta ao fumo, as consequências são mais graves e mais dilatadas no tempo. Claro que se uma grávida não consegue deixar de fumar, não o deverá fazer para não entrar em stresse, nem deverá ser culpabilizada por tal. Estes estudos não pretendem pois, apoiar fundamentalismos ou fazer juízos de valor. Mas isso não implica desconhecer o risco real do fumo passivo nos bebés e exigir, do Estado, o aumento de consultas de apoio às pessoas que desejam deixar de fumar, especialmente durante a gravidez e quando se tem crianças de pouca idade. Ler Mais...

Querer tudo

Quantas vezes já vos aconteceu, por exemplo, numa loja ou supermercado, o vosso filho agarrar-se a um brinquedo ou qualquer outro objeto, e não o querer largar Além dos olhares incómodos das outras pessoas, e do embaraço perante os empregados, o lampo também é sempre contado e o que fazer numa situação destas é duvidoso. Ralhar? Não ralhar? Ceder? Não ceder? Ignorar? Dar atenção e tentar explicar que a mãe não pode levar tudo o que ele quer? -Eu quero Eu quero Mas eu quero. Geralmente estas cenas acabam com os pais a largarem tudo e a saírem, recriminando a criança e com o dia estragado. Mas há que pensar em alguns aspetos: não dizemos nós que «É Natal todos os dias»? Não aparecem constantemente, na hora «das crianças», anúncios televisivos incitando ao consumo? Não são levados, às vezes, em passeio aos centros comerciais (são «centros de comércio», não esqueçamos)? Não digo que os nossos filhos tomem isso à letra, mas que desejam tudo e querem tudo o que desejam é um lacto. Quando uma criança começa a «querer», quer simplesmente porque quer, ou seja, se lhe dermos a coisa que ele deseja, larga-a e quer outra, e outra, e outra. Quer apenas porque quer. E se todos os seus desejos forem consubstanciados sem limites, aprenderá apenas a ser eterno insatisfeito – sempre que estiver num local, numa situação, numa viagem, desejará sempre o que não tem e sem ter o gozo dos momentos que vive. Ler Mais...
Quero ver tabaco | Para Pais.