Resultados para: "prequitos gordos e grande"

Você está a ver bebé , grávida e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa prequitos gordos e grande. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Que posso fazer para ajudar ao desenvolvimento do cérebro do meu bebé?

Pode assegurar-se de que a sua dieta inclui fontes de ácidos gordos ómega-3, pois julga-se que têm um papel importante no desenvolvimento do cérebro. Podem encontrar-se nos peixes gordos, como a cavala e o salmão (limitados a uma a duas porções por semana); estão disponíveis suplementos de ómega-3 destinados a ser tomados na gravidez. Ler Mais...

Dieta pré-concepcional

Uma dieta variada e equilibrada é a chave para uma boa saúde reprodutiva. Julga-se que certos alimentos beneficiam os óvulos e o esperma, e a saúde do futuro embrião. Estes incluem alimentos ricos em vitaminas A, B, C e E, ácido fólico, cálcio, ácidos gordos essenciais ómega-3 e ómega-6, zinco e selénio. Legumes de folha verde-escura contêm minerais e vitaminas. leguminosas são uma fonte de ácido fólico. O peixe contém ácidos gordos essenciais. Os ovos fornecem zinco, que aumenta a produção de esperma. Ler Mais...

A gordura do peixe

O peixe é de forma geral moderado em gorduras, embora dependendo, em algumas espécies, da altura do ano, e essas gorduras são constituídas, em elevada percentagem (muito mais do que a carne) por ácidos gordos essenciais. O que são estes ácidos gordos? Conhecidos também pelo nome científico de ómega 3 e ómega 6, os ácidos gordos essenciais são, como o nome indica, essenciais para a saúde, sendo vitais para o desenvolvimento das células e dos tecidos do organismo, bem como para as funções hormonais, saúde da pele, bom desempenho cerebral e produção de energia. Acresce que o corpo, a partir por exemplo dos ómega 3, produz fatores protetores em relação à aterosclerose e deterioração dos vasos sanguíneos, inflamações e ainda a doenças imunológicas, como a artrite, a psoríase ou a asma. Conferem também uma maior proteção das células em relação ao ataque das bactérias e dos vírus. As evidências também parecem mostrar, de forma cada vez mais consistente, que os ómega 3 poderão ter um efeito positivo sobre o cancro e a diabetes. Numa altura em que as doenças cardiovasculares (enfartes do miocárdio, embolias e tromboses cerebrais, doenças vasculares das pernas, etc.) são a maior causa de morte na população portuguesa e que se sabe que a prevenção deve começar desde a mais tenra idade, pensar em proteger as crianças relativamente a estes problemas parece ser uma atitude justificada e até obrigatória. A função dos ácidos gordos ómega 6 é equilibrar a ação dos ómega 3, de maneira a que a função destes seja a melhor possível. A pescada e o bacalhau são dos peixes mais magros, como o linguado e a solha. A cavala, a sardinha e o salmão colocam-se no outro extremo. Ler Mais...

A carne

A carne - juntamente com o peixe, ovos e mariscos - representa, fundamentalmente, uma fonte de proteínas de alto valor biológico, ou seja, com grande valor nutricional, garantindo que a criança tem os aminoácidos essenciais para o seu crescimento, e de ferro (de fácil absorção), zinco e vitamina B12, elementos muito importantes para todos os sistemas do organismo, como o sangue ou o sistema imunológico. É por isso que a carne é dos produtos mais caros. Todavia, os seres humanos nunca foram animais que comessem muita carne. Por um lado porque não têm massas musculares muito desenvolvidas (pelo menos em comparação com outros mamíferos), por outro porque as proteínas da carne, apesar de serem de grande qualidade, têm um potencial de lesar os rins, se em grande quantidade. Digamos que, salvo desportistas de alta competição, o que não é o caso das crianças desta idade, as quantidades de carne devem ser pequenas, mesmo muito pequenas - vinte gramas por dia (uma almôndega) chegarão. Em qualquer destas idades, se na outra refeição se der peixe ou ovo. Quando se come carne, a pessoa sente-se «bem», às vezes até mesmo «enfartada», com a sensação de que os alimentos estão no estômago mais tempo do que, por exemplo, quando se come peixe, mesmo que cozinhados da mesma maneira. Mas, na realidade, a qualidade proteica é muito semelhante, tratando-se, em ambos os casos, de proteínas de «alto valor biológico», apesar de o peixe ter um pouco mais de água do que a carne. A carne tem mais gordura, mas, além da quantidade, é importante ter em conta outras diferenças, já que nas carnes predominam os ácidos gordos saturados, os quais estão praticamente ausentes no peixe - este tem uma razoável quantidade de ácidos gordos polinsaturados (ómega 3), característicos das gorduras marinhas, e que têm um fator protetor relativamente às doenças cardiovasculares. A gordura de peixe é, assim, muito melhor para a saúde do que a de carne. As crianças até aos 3-4 anos gostam geralmente mais de carne do que peixe, não por causa do sabor, mas pelo aspeto, textura e cheiro. Ler Mais...

Tive uma indigestão terrível – porquê?

A progesterona, a hormona que relaxa os músculos lisos (músculos que controlam acções inconscientes) na gravidez, tem o desagradável efeito secundário de relaxar todos os músculos lisos do corpo, incluindo os do aparelho digestivo. As digestões lentas e o anel de músculos em cada extremidade do estômago tornam-se menos eficazes, o que pode causar azia e indigestões, pois os sucos ácidos do estômago sobem ao esófago. Além disso, o seu beem crescimento aperta tanto o seu estômago que fica com pouco espaço para digerir os alimentos. Para evitar a indigestão, coma pouco e várias vezes, coma devagar, não coma tarde de noite e evite alimentos gordos e condimentados. Em vez de se deitar ao comprido, apoie-se em almofadas. Fale com a sua parteira, médicos ou o farmacêutico sobre remédios seguros. Ler Mais...
Prequitos gordos e grande | Para Pais.