Resultados para: "oque e adenomegalias abdominal"

Você está a ver criança , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa oque e adenomegalias abdominal. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Gânglios aumentados ou «adenomegálias»

Chama-se «adenomegália» ao aumento ao volume de um gânglio. E, se isso acontecer, embora a larguíssima maioria dos casos corresponda a situações banais e passageiras, há no entanto que pensar no que estará a causar essa alteração. Quando existe um aumento do volume ganglionar podem observar-se sintomas dependentes:
  • do processo que se está a desenvolver no próprio gânglio (calor, dor, vermelhidão, amolecimento, etc.).
  • da localização do gânglio (dor ao estender a cabeça, espasmo do músculo esternocleidomastóideo (lembram-se do Vasco Santana, no «exame de anatomia» da Canção de Lisboa?), com dor no pescoço tipo torcicolo, dor ao engolir, rouquidão, tosse, dificuldade respiratória, claudicação dos membros inferiores, retração em flexão da anca, dores abdominais dificilmente diferenciáveis da dor da apendicite aguda, etc.).
  • da doença que está por detrás do aparecimento do aumento do gânglio (febre, palidez, icterícia, aumento do volume do baço ou do fígado e muitos outros).
As adenomegálias devem, assim, ser sempre consideradas e valorizadas como parte integrante de um quadro clínico que importa esclarecer e não isoladamente. Ler Mais...

Pancreatite

Há muitos agentes que podem causar inflamação do pâncreas. Nas crianças, a maioria dos casos são provocados por vírus. Os sintomas são dor abdominal, a meio e do lado esquerdo, que alivia com a criança sentada e dobrada para a frente, e aumenta com a ingestão de gorduras. Pode haver náuseas, vómitos, mal-estar, quebra de apetite e diarreia com a ingestão de gorduras, laranjas e ovos. A ecografia pode revelar um pâncreas de volume aumentado, e as análises evidenciam o aumento de enzimas pancreáticas (amílase). Se se confirmar o diagnóstico, é essencial repouso e dieta sem gorduras e refogados. E uma convalescença cheia de mimo e «coisas boas». Ler Mais...

O que é observado?

O técnico começa por verificar o batimento cardíaco do feto e depois conta os bebés - por vezes os gémeos não se revelam antes das 20 semanas! Medirá o perímetro cefálico e o diâmetro (diâmetro biparietal), a circunferência abdominal e o fémur (o osso da coxa) para datar a gravidez e assegurar-se de que o beestá a crescer bem. Procurará anomalias no cérebro, face e lábios, espinha, abdómen, coração, estômago, rins, bexiga, mãos e pés. Por último, examinará a placenta, o cordão umbilical e o líquido amniótico. Poderá ser possível saber o sexo do bebé, embora você possa pedir para não lhe darem essa informação. Ler Mais...

Tem de se beber litros de água antes de uma ecografia? Tenho receio de não aguentar.

Para a ecografia de data das 10-14 semanas, é importante ter a bexiga cheia para tornar possível a visão do bebé. Isto porque até às 12 semanas o útero mantém-se na pélvis e o intestino obscurece a visão. Uma bexiga cheia eleva o útero e empurra o intestino para fora do caminho. Vai precisar da bexiga cheia para a ecografia da translucência da nuca entre as 11 e 14 semanas, dependendo de quando for feita. Algumas unidades fazem ecografias transvaginais (uma pequena sonda de ultra-sons dentro da sua vagina) antes das 10 semanas, se a ecografia abdominal for fraca. Nesse caso, não precisará da bexiga cheia e as pesquisas indicam que as ecografias transvaginais são mais confortáveis no início da gravidez em comparação com as ecografias abctominais Não precisa da bexiga cheia para a ecografia das 18-20 semanas pois a posição do útero já se alterou. Ler Mais...

Não tenho tido problemas, mas não quero passar pelo parto. Posso optar por uma cesariana?

Se não houver causas médicas para uma cesariana e isso for simplesmente devido ao seu medo das dores do trabalho de parto, então optar por uma cesariana é uma opção drástica. Uma cesariana é uma cirurgia abdominal e, embora por vezes seja preferível, não é um método favorável por várias razões, como o risco de problemas pós-operatórios resultantes da cirurgia, um maior risco de problemas secundários de fertilidade, ou de o segundo bebé ter de nascer por cesariana, e um risco aumentado de depressão pós-parto. Seria melhor falar com a sua parteira sobre as opções disponíveis para aliviar a dor e assegurar-se de que terá a que mais lhe convier. Ter consigo durante o trabalho de parto alguém que conheça e em quem confie pode reduzir imenso a sua ansiedade. Se, mesmo assim, sentir que não consegue passar pelo trabalho de parto, pode ter de falar com o seu obstetra pois a decisão final deverá ser dele. Ler Mais...

Não estou muito em forma mas gostaria de começar um regime de exercícios – algum conselho?

Se não está habituada a fazer exercício, então provavelmente o melhor para si e para o seu bebé serão actividades moderadas, como caminhar e nadar, enquanto que iniciar um novo desporto de competição ou um programa de exercícios violentos não seria o ideal. O seu corpo já está a sofrer enormes alterações no coração, pulmões e rins e virtualmente cada órgão do seu corpo está a começar a trabalhar mais intensamente. Além disso, as hormonas da gravidez estão a relaxar os músculos e ligamentos, portanto é mais fácil causar danos nos tecidos, nas costas, ou um maior esforço abdominal, em especial se anteriormente não fazia muito exercício. Os desportos de contacto, os desportos violentos de equipa e actividades como mergulho e ginástica podem ainda causar danos directos no seu abdómen e útero - em especial porque o seu útero cresce para fora da pélvis. Ler Mais...
Oque e adenomegalias abdominal | Para Pais.