Resultados para: "o que e esmegma feminino"

Você está a ver bebé , alimentação e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa o que e esmegma feminino. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Bolas de esmegma

o as acumulações de secreções sebáceas que ficam retidas debaixo da pele da pilinha, formando umas tumefações esbranquiçadas (que geralmenteo causam sintomas). Aparecem cerca dos 2-3 anos, nas crianças cuja pele da pilinha ainda não vem até atrás, e o médico-assistente orientará. Ler Mais...

As bolas de sebo

Geralmente aparecem depôs do ano de vida, mas podem aparecer antes disso: São botas de sebo, secreções e células mortas que se acumulam entre a pele e a glande. Chamam-se «esmegma», não incomodam o bebé, mas podem eventualmente infetar, pelo que ó útil a ajuda de um cirurgião. Ler Mais...

E os pipis…

Os pequenos lábios vaginais podem estar, frequentemente, colados. Por vezes é necessário o médico pediatra ou cirurgião afastarem-nos, e os pais deveo depois colocar vaselina durante 15 dias, para não voltar a colar. O nome técnico é«Sinequia dos pequenos lábios». Em alguns bebés do sexo feminino, as hormonas maternas, ainda em circulação no bebé, podem originar um pequeno fluxo vaginal de sangue e de muco. Ler Mais...

Crianças altas

As atenções centram-se geralmente mais nas crianças baixas do que nas crianças altas, queo as que têm uma estatura superior ao percentil 95 para a idade e sexo. As crianças altas não têm geralmente doença orgânica, embora em alguns casos raros a alta estatura possa ser um dos sinais precoces de doença (algumas doenças genéticas, gigantismo, puberdade precoce, etc)... Ao crescerem, as crianças de grande estatura podem ter problemas psicológicos derivados do facto de serem muito mais altas do que as da mesma idade, na escola ou no liceu, e principalmente as do sexo feminino. Por outro lado, podem sofrer de problemas ortopédicos, principalmente na adolescência, quando crescem muito subitamente, sem o intervalo de tempo necessário para se adaptarem às novas dimensões do corpo. Ler Mais...

Quais podem ser os sinais de alarme?

Alguns sinais podem expressar problemas, não necessariamente em relação a inversão do género, mas de sofrimento psicológico que levará a ter atitudes que a criança comunica desta forma: • Não saber aos 3 anos o seu sexo; • Dizer constantemente que preferia ser do outro sexo, não apenas em brincadeiras e jogos, ou teatralizações (nem como expressão de ciúmes porque o mano pequenino do outro sexo tem todas as atenções), mas de uma forma contínua, no dia-a-dia; • Negar, prolongadamente, a sua própria anatomia, dizendo por exemplo que tem pipi ou pilinha, não sendo verdade, ou que espera que nasça uma pilinha ou que esta desapareça para dar lugar a um pipi; • Mostrar apenas um lado feminino ou masculino (oposto ao seu sexo) sem revelar nada ou muito pouco do seu próprio género. De qualquer forma, em caso de dúvida mais vale partilhar os receios com o médico-assistente da criança, eo guardar para si, por vergonha ou receio de ouvir alguma verdade difícil, dúvidas e ansiedades que só vão criar estereótipos e tender a reprimir a criança. Ler Mais...

O desenvolvimento do conceito de género

À medida que as crianças crescem, apercebem-se que algumas pessoas são homens e as outras mulheres. E que, entre elas, há meninos e meninas. E a identificação começa com o estudo do seu próprio corpo e com a comparação com os outros, reconhecendo dois tipos anatómicos diferentes. Nelas e nos pais e irmãos, ou nas pessoas em geral. A determinada altura começam a usar com mais propriedade o masculino e o feminino, sendo corrigidos quando erram e melhor percebendo que há diferenças, entre o gato e a gata, entre o primo e a prima, embora se surpreendam um pouco porque é que existe uma cadeira eo um cadeiro, um piano eo uma piaria, ou porque é que a companheira do Sol se chama Lua e que a «mulher» do cavaloo é a cavala. Mesmo com estas confusões e ambiguidades, há uma progressiva compreensão do mundo em duas versões, e aos 2 anos e picos já gozam com as situações: «Tenho aqui um pipi.... Ah, ah, ah. É pilinha. Pipi têm as meninas.» A diferenciação por género é uma das primeiras categorizações que as crianças fazem, e que dividirá o mundo em múltiplas classes e conjuntos, passando pelas formas, cores, tamanhos, etc. Ler Mais...
O que e esmegma feminino | Para Pais.