Resultados para: "o que acontwce se fazer a metade da buchinha pra abortar"

Você está a ver bebé , criança e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa o que acontwce se fazer a metade da buchinha pra abortar. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Esperei demasiado para poder abortar. É maldade dar o bebé para adopção?

A adopção é por vezes posta de lado como opção, mas algumas vezes é a melhor escolha para si e para o seu bebé. Os nove meses de gravidez dão-lhe tempo para explorar todas as opções disponíveis, incluindo a adopção voluntária temporária. Durante esse tempo poderá falar com os serviços de adopção e assistentes sociais que a podem informar sobre o processo e apoiá-la. Veja isso como um processo positivo, no qual você gosta tanto do seu bebé que lhe tenta encontrar os melhores cuidados, numa altura em que se sente incapaz de o fazer. Quando chegar a altura de tomar uma decisão final, tenha em conta que nunca o deve fazer durante a gravidez, pois está sujeita a uma série de emoções e sentimentos e aindao se encontrou com o seu bebé ou sabe como se irá sentir ao fim de todo esse tempo. Fale com o seu médico para saber mais sobre o processo, os seus direitos e o seu direito de mudar de ideias. Ler Mais...

Neurofibromatose

A neurofibromatose é uma situação genética que causa o aparecimento de tumores benignos que crescem no tecido nervoso e que causa anomalias da pele e dos ossos, com expressão clínica de gravidade muito variável. O diagnóstico faz-se geralmente a partir dos 3 anos de idade. Trata-se de uma doença genética – em metade dos casos é uma mutação na própria criaa, na outra metade é transmitido pelos pais, de uma forma dominante (50% de hipóteses de ter). Os doentes têm tumores, designados por neurofibromas, que crescem ao longo dos nervos ou debaixo da pele. Ao crescerem, podem provocar disfunções noutros órgãos. A nível da pele, o aspeto dos tumores é o de manchas café-com-leite - apesar de muitas criaas terem este tipo de manchas, mais de cinco, com pelo menos 0,5 cm de diâmetro, obriga a pensar na doença. Ler Mais...

A minha mãe teve dois abortos – isso significa que eu tenho mais hipóteses de abortar?

Pergunte à sua mãe se lhe foi dada alguma explicação para os seus abortos. Se, por exemplo, ela sabe que foram devidos a anomalias cromossómicas, tal como a anemia falciforme, ou se foi um problema médico, tal como uma doença de coração, então há uma possibilidade de que o problema ser hereditário e o risco de aborto também poderá ser o mesmo para si. Contudo, é muito provável que os abortos da sua mãe tenham sido devido a ocorrências infelizes para as quais não foi encontrada qualquer rao. Se for este o caso, entãoo corre maior risco de aborto do que qualquer outra mulher da sua idade. No entanto, se engravidar, seaconselhável mencionar a história da gravidez da sua mãe na sua primeiro consulta pré-natal, pois o historial médico da sua família é uma parte importante das anotações médicas durante a gravidez. Ler Mais...

Tive vários abortos e o meu médico indicou-me a um especialista genético – porquê?

Um especialista genético é um profissional altamente qualificado que apoia as famílias antes e depois da concepção. Muitas vezes, o aborto é causado por uma anomalia genética no óvulo fertilizado ou embrião. Isto é pouco provável e pode afectar qualquer mulher. Contudo, se uma mulher tiver abortos recorrentes, é possível que seja portadora de um problema genético. As mulheres e os seus companheiros são recomendados a um especialista genético se um deles tiver um problema que possa afectar os futuros filhos ou as hipóteses de engravidar ou de continuar com a gravidez (pois o mais certo seabortar ou ser-lhes indicado terminar com a gravidez). Por exemplo, se houver um historial de anemia falciforme, um distúrbio sanguíneo que cause anemia crónica e aumente o risco de parto pré-termo e problemas de saúde do bebé, poderá ser que um deles ou ambos seja portador de um gene que pode afectar o bebé. Um especialista genético ajuda-os a perceber como os vossos genes podem afectar a concepção e a gravidez e informa sobre os exames disponíveis para determinar se um feto está afectado. O especialista discutirá uma série de questões, incluindo questões morais e éticas relacionadas com os exames genéticos, pois é normal os casais sentirem stress, culpa e confusão neste tipo de situações. Ler Mais...

Sinto-me como uma baleia e só estou com 16 semanas. O que posso fazer?

O peso durante a gravidez não é só devido ao bebé, à placenta e ao líquido amniótico, mas a vários factores. Alterações no seu metabolismo, o aumento de certos órgãos como o útero e os seios, e um aumento no seu sangue, o que causa mais retenção de líquidos e inchaço, tudo contribui para o seu peso. Além disso, há um armazenamento extra de gorduras, pois o corpo necessita energia para o desenvolvimento do feto e para o de trabalho de parto. Embora a maior parte desta gordura seja armazenada nas primeiras 30 semanas, o peso aumenta menos no início da gravidez e tem um aumento súbito na segunda metade. A média de aumento de peso é de 12,5 kg: 4,5 kg nas primeiras 20 semanas e os restantes nas seguintes. Se acha que aumentou mais do que isto, o meu conselho é que faça uma alimentação saudável, refeições mais pequenas e mais regulares, e exercício moderado. Ler Mais...

Da última vez tive uma cesariana de emergência. Agora o médico diz que eu vou ter um parto de experiência, o que é isso?

Isso é um parto depois de uma cesariana. Por outros termos, PVDC (parto vaginal depois de cesariana). Até muito recentemente, os médicos aconselhavam as mulheres que tinham tido uma cesariana a fazer uma cesariana planeada no bebé seguinte para evitar ruptura uterina quando a cicatriz da cesariana se rompe na gravidez ou trabalho de parto. Embora isto seja grave, é raro, e hoje em dia julga-se ser preferível tanto para a mãe como para o bebé ter, se possível, um parto vaginal natural. Mesmo assim, se quiser um parto vaginal, seacertado optar por uma unidade que tenha monitorização cardíaca fetal e que possa fazer uma cesariana se vier a ser necessário. As suas hipóteses de ter um trabalho de parto com sucesso dependem da rao porque fez uma cesariana. Se foi porque o bebé estava de nádegas para baixo ou porque teve uma descida da placenta, desta vez, as suas probabilidades de ter um parto natural são maiores. Se foi devido a complicações no trabalho de parto como dilatação cervical lenta, então o problema pode voltar a acontecer. No total cerca de metade das mulheres têm um parto normal depois de uma cesariana. Ler Mais...
O que acontwce se fazer a metade da buchinha pra abortar | Para Pais.