Resultados para: "mancha na pelvis"

Você está a ver gravidez , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa mancha na pelvis. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Sou muito pequena e tenho pés pequenos – isso será um problema quando der à luz?

No passado, os médicos costumavam medir os pés das mulheres grávidas para avaliar as possibilidades de necessitarem de uma cesariana, pois pensava-se que pés pequenos indicavam uma pélvis estreita. Embora haja alguma verdade no facto de que pés pequenos em geral indicam que uma mulher tem uma constituição óssea pequena e assim também uma pélvis pequena, também as mulheres pequenas têm tendência a desenvolver bebés mais pequenos em proporção com o tamanho da pélvis. Uma verdadeira desproporção céfalo-pélvica (DCP), em que a cabeça do bebé é demasiado grande para passar na pélvis e nascer através da vagina, é relativamente rara. Durante o trabalho de parto há outros factores que ajudam o seu bebé a nascer. A pélvis não é uma estrutura fixa e as hormonas ajudam a amaciar os ligamentos que ligam os ossos pélvicos, para ajudar a pélvis a alargar e a acomodar o bebé. Também a cabeça do seu bebé está preparada para se moldar. O crânio é formado por ossos separados que se podem sobrepor ligeiramente a fim de reduzir o tamanho da cabeça quando esta passa através da pélvis, durante o trabalho de parto. Esta é uma parte normal do processo de pano. As posições no trabalho de parto também afectam o tamanho da pélvis. Por exemplo, agachar-se pode aumentar as medidas internas da pélvis em cerca de 30 %. Sentar-se ou deitar-se de costas pode reduzir essas medidas, restringindo o movimento natural de recuo do cóccix durante o parto. Ler Mais...

Estou com 36 semanas e reparei que me sinto mais confortável e a respirar com mais facilidade. Porquê?

Parece que o seu bebé desceu para a pélvis. A cabeça do bebé encaixa quando a parte mais larga da cabeça desce para a pélvis. Isso significa que, quando a parteira apalpa o seu abdómen, menos de metade da cabeça pode ser sentida abdominalmente. O encaixe é em geral registado nas suas notas pré-natais em quintos, indo de 1/5 a 5/5. Assim, se a parteira tiver escrito “palpável 1/5”, a cabeça do seu bebé está profundamente encaixada na pélvis pois isso significa que 4/5 do seu bebé está descido para a pélvis. A altura e o significado do encaixe dependem de factores. As mulheres que esperam o seu primeiro bebé têm tendência a ter músculos abdominais mais firmes, o que facilita a descida do bebé para a pélvis durante as últimas 4 semanas de gravidez. Parece que foi isso que o seu bebé fez e é por isso que você de repente sente que pode respirar um pouco mais facilmente pois os seus pulmões e caixa torácica não estão tão comprimidos. Um segundo ou terceiro bebé podem não se encaixar até ao início do trabalho de parto pois os músculos abdominais têm tendência a estar mais flácidos. Ler Mais...

Tenho uma pélvis pequena; não sou demasiado fraca para fazer força, mas dizem que preciso de cesariana. Isso está certo?

A desproporção cefalo-pélvica (DCP) é o termo utilizado para descrever um trabalho de parto que não está a progredir devido ao tamanho ou à forma da pélvis da mãe em relação ao tamanho e à posição do bebé. Podem surgir problemas se um bebé for invulgarmente grande ou uma mãe invulgarmente pequena. Uma verdadeira DCP é rara, e mesmo que seja uma preocupação na gravidez, por vezes julga-se melhor tentar o trabalho de parto, embora você seja avisada de que poderá ser possível uma cesariana. Certos sinais indicam a DCP durante o trabalho de parto: por exemplo, se o bebé não desce através da pélvis, ou se o colo do útero não dilata; em situações destas será necessária uma cesariana. Ler Mais...

Estou com 32 semanas e sinto muitas dores na pélvis – qual a razão disto?

Um leve desconforto pélvico é um sintoma comum na gravidez pois os seus ligamentos ficam mais flácidos devido ao aumento dos níveis das hormonas relaxina e progesterona na gravidez. Estas alterações na sua pélvis preparam o seu corpo para o parto. Essa sensação é bastante normal e acontece à maior parte das mulheres grávidas. Se a sua pélvis continuar a dar-lhe desconforto, pode tentar adaptar o seu dia-a-dia de forma a aliviar os sintomas. Mantenha as pernas juntas e rode-as quando entrar ou sair do carro ou da cama. Pense nas suas actividades para o dia e planeie os seus movimentos com antecedência para não agravar nenhum desconforto que possa sentir. Evite usar saltos altos e descanse sempre que o desconforto for mais acentuado. Se sentir dor nessa zona, peça conselho médico. Um desconforto mais extremo que cause dor crónica pode ser sinal de disfunção da zona pélvica, o que exige tratamento e apoio conforme a gravidez vai progredindo. A forma mais comum de disfunção pélvica é a disfunção da sínfese púbica (DSP), a qual é causada pelo mau funcionamento da articulação púbico. Ler Mais...

Quais as razões para uma cesariana?

Há várias razões para se fazer uma cesariana. Você será aconselhada a fazer uma cesariana se o bebé não conseguir entrar na pélvis devido ao seu tamanho ou à posição ou ao formato e tamanho da pélvis. A cesariana também é aconselhada se tiver uma placenta descida, uma gravidez múltipla ou um bebé em posição pélvica, se o seu trabalho de parto não estiver a progredir, se teve uma cesariana anterior ou um parto traumático, se tiver uma pré-eclampsia grave, se o crescimento do bebé estiver gravemente reduzido, se tiver tido hemorragias graves na gravidez, e caso haja outros estados médicos. O médico informá-la-á das razões porque uma cesariana será a opção mais segura. Ler Mais...

O que é uma “segunda fase prolongada”? Isso quererá dizer que o parto terá de ser assistido?

É difícil definir uma "segunda fase prolongada" pois depende de certos fatores, por exemplo se é o seu primeiro bebé, da posição e do tamanho dele, se tiver uma epidural, se as contrações são eficazes, a frequência a que surgem, da eficiência de fazer força e se a pélvis está com um tamanho adequado. Há algumas provas que sugerem que, se o bebé tiver descido bastante na pélvis e não houver sinais de sofrimento, então não há necessidade de pôr limite de tempo ao trabalho de parto. No entanto, os hospitais costumam ter diretrizes sobre durante quanto tempo permitem que a mulher faça força, antes de decidir que poderá ser necessária uma intervenção. Em geral, passado cerca de hora e meia, os médicos podem decidir pelo parto assistido para reduzir o risco de sofrimento fetal e de a mãe ficar exausta. Ler Mais...
Mancha na pelvis | Para Pais.