Resultados para: "mancha de crescimento no joelho"

Você está a ver leite , gravidez e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa mancha de crescimento no joelho. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Dores no joelho

O joelho é considerado uma das articulações mais «fisiológicas», porque necessitado funcionamento normal e integrado de todas as suas partes - ossos, ligamentos, meniscos e músculos - de modo a garantir a mobilidade, estabilidade e proteção contra a deterioração. Não é por acaso que a articulação do joelho é uma das mais antigas na evolução dos animais, datando de há 320 milhões de anos. Aliás, basta pensar como usamos diariamente os nossos joelhos, para vermos bem o esforço a que os submetemos. Nas crianças desta idade, observa-se muitas vezes uma certa desadequação entre o esforço submetido à articulação do joelho e a maturidade das estruturas que a constituem. O resultado é um traumatismo (que não necessita de ser uma pancada, queda ou outro acidente desse tipo, mas apenas uma lesão por sobrecarga) e o aparecimento de dor. A dor significativa, persistente, mantida no joelho não é uma situação muito comum. Mais frequentemente, o que aparece, pelo menos como primeiro sintoma, é a incapacidade de andar ou dificuldade a andar (a criança coxeia). A dor no joelho pode dever-se a muitas causas: traumatismo ou esforço excessivo, inflamação, infeção, etc., quer a nível ósseo, quer dos músculos ou das chamadas «partes moles». Outro aspeto importante é que algumas dores a nível do joelho têm origem na anca do mesmo lado ou do lado oposto, ou em lesões do outro membro que obrigam a reajustamentos da postura e esforços pouco controlados das diversas articulações. Se o vosso filho se queixar de dor na perna ou se repararem que coxeia ou tem dificuldade na marcha, e se essas queixas se mantiverem mais do que um ou dois dias e não melhorarem com os analgésicos habituais, é conveniente levá-lo ao médico para observação e eventuais exames complementares. Entretanto, é recomendável «poupar» a articulação, fazendo repouso e evitando o seu uso, o que às vezes é difícil porque sabemos como as crianças são: ainda agora se estavam a queixar de dores e a querer colo e logo que a dor abranda ou lhes «pula o pé para a dança», voltam a saltar e a correr como se nada fosse… Ler Mais...

Crescimento do Bebé

Define-se «crescimento» como o aumento das dimensões do corpo, resultante do aumento do número e do tamanho das células. O termo «crescimento» não tem o mesmo significado que o termo «desenvolvimento», o qual diz respeito à maturação e diferenciação dos órgãos e das funções. O crescimento é característico dos períodos embrionário e fetal, e das idades infantis e da adolescência. A fase fetal prolonga-se até cerca dos 12-18 meses, após os quais a criança se «libertou» da influência do meio intra-uterino. Depois, surge a fase infantil, geralmente estável, até ao novo surto de crescimento pubertario. Para haver um crescimento normal é necessário haver adequada nutrição, assimilação, transporte e utilização dos nutrientes e desempenho normal das funções orgânicas. No entanto, para uma utilização e interpretação correctas dos parâmetros de crescimento, nomeadamente dos mais frequentemente utilizados peso, estatura e perímetro cefálico, é fundamental entender o crescimento normal, compreender a sua dinâmica e reconhecer as suas variações normais, para poder suspeitar da existência de doença. Ler Mais...

Variações sazonais de crescimento

O padrão de crescimento é muito variável: há crianças que evoluem de uma forma constante, outras por surtos de crescimento entremeados por fases de relativa estabilidade. Não há que tirar qualquer ilação disso. Todavia, esta é uma das razões para que as pesagens e medições sejam feitas com intervalos progressivamente maiores - salvo se houver suspeita de que estamos em face de uma doença. Depois dos 12 meses, uma criança saudável deverá ser medida aos 15, 18-19 meses, 2 e 2 e meio, 3 e a partir daqui anualmente. Ler Mais...

Há três semanas que a medida da minha barriga é a mesma. Porque é que o meu bebé não está a crescer?

Na gravidez, mede-se o abdómen para verificar a altura do cimo do útero, o qual indica o crescimento do bebé. É importante saber se é sempre a mesma pessoa a medi-la, pois há um elemento de subjectividade dependente das técnicas. No início da gravidez, não é necessário medi-la pois isso não dá qualquer indicação do crescimento fetal, mas a partir das 26-28 semanas, o crescimento pode ser determinado desta forma. Contudo, mesmo com a sua tabela de crescimento personalizada e com a mesma pessoa a medi-la na altura certa, só por si estes não são meios seguros para avaliar o crescimento do seu bebé. Se houver alguma preocupação, será enviada a um especialista para decidir se são precisos mais exames, por exemplo ecografias. Se estiver no fim da gravidez, uma explicação provável pode ser a de que a cabeça do bebé já está encaixada na pélvis. Assim, embora o seu bebé ainda esteja a crescer, parte da sua cabeça não é medida devido à sua posição. Se estiver preocupada, fale com a sua parteira e, se necessário, ela pode mandá-la fazer uma “ecografia de crescimento”. Ler Mais...

Dormir com segurança no terceiro trimestre

Pode ser difícil encontrar posições que sejam confortáveis e seguras no terceiro trimestre. Nesta fase, deve evitar deitar-se de costas porque o peso do seu bebé pode pressionar os seus vasos sanguíneos, comprometendo o fornecimento de sangue ao bebé e fazendo-a sentir tonturas e fadiga. Muitas mulheres acham que a melhor posição é deitada de lado com a perna de cima dobrada e com almofadas a apoiar o joelho para arranjar espaço para o abdómen. Isto retira o peso das suas costas e não restringe a sua circulação. Também pode colocar uma almofada debaixo da sua barriga. Ler Mais...

Como é feita?

A ecografia transmite ondas de som de alta frequência através do útero que e ecoam no bebé. Os seus ecos são convertidos em imagem. Os ecos maiores referem-se aos tecidos mais densos como os ossos que aparecem na imagem do ecrã a branco, enquanto que os tecidos moles são uma mancha cinzenta. Os espaços cheios de liquido como o estômago, a bexiga, os vasos sanguíneos e o líquido amniótico que envolve o bebé não devolvem as ondas de som e assim aparecem a preto. É a diferença entre ecos e cores que possibilita a interpretação das imagens. Ler Mais...
Mancha de crescimento no joelho | Para Pais.