Resultados para: "maezona cheia de leite amamentando"

Você está a ver bebé , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa maezona cheia de leite amamentando. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Tem de se beber litros de água antes de uma ecografia? Tenho receio de não aguentar.

Para a ecografia de data das 10-14 semanas, é importante ter a bexiga cheia para tornar possível a visão do bebé. Isto porque até às 12 semanas o útero mantém-se na pélvis e o intestino obscurece a visão. Uma bexiga cheia eleva o útero e empurra o intestino para fora do caminho. Vai precisar da bexiga cheia para a ecografia da translucência da nuca entre as 11 e 14 semanas, dependendo de quando for feita. Algumas unidades fazem ecografias transvaginais (uma pequena sonda de ultra-sons dentro da sua vagina) antes das 10 semanas, se a ecografia abdominal for fraca. Nesse caso, não precisará da bexiga cheia e as pesquisas indicam que as ecografias transvaginais são mais confortáveis no início da gravidez em comparação com as ecografias abctominais Não precisa da bexiga cheia para a ecografia das 18-20 semanas pois a posição do útero já se alterou. Ler Mais...

Quais as principais diferenças entre as fórmulas (substitutos do leite materno) e o próprio leite materno?

• As fórmulas são feitas a partir de leite de vaca - as proteínas, que são dos elementos mais alergizantes, são assim de um animal heterólogo e não da espécie humana, como acontece no leite materno; • As fórmulas não têm os chamados «elementos vivos» (anticorpos, fatores antibacterianos e antivirais, fatores imunológicos, etc.) que são de uma importância grande nos primeiros tempos do bebé, como combate às infeções. No entanto, há que não esquecer que todos os bebés, independentemente do tipo de leite que tomam, receberam muitas defesas da mãe durante a gravidez; • As fórmulas geram um ambiente intestinal diferente, menos favorável a um bom funcionamento, com maior probabilidade de ocorrência de gastroenterite ou prisão de ventre; • O leite materno tem uma variedade muitíssimo maior de sabores, paladares e cheiros, o que parece contribuir para uma maior estimulação dos sistemas de memória; • Apesar das enormes modificações que as fórmulas têm sofrido, no sentido de as aproximarem do leite materno, continuam a ser «leites de laboratório» e não o leite natural, espontâneo, que cada mãe fabrica à medida da necessidade do seu bebé. Não podemos esquecer que o bebé «pede» à mãe, em cada mamada, o que precisa para a mamada seguinte, pelo que não há dois leites maternos iguais. E as fórmulas, essas, não variam, nem podem variar, por lei, de embalagem para embalagem; • Em termos práticos, também, as fórmulas exigem preparação (com cuidados de higiene) e não estão logo prontas, à temperatura desejada pelo bebé, em qualquer momento ou situação. Por outro lado, uma questão muito debatida em décadas anteriores mas agora posta de parte, tem a ver com o afeto e o amor - tanto se pode dar afeto e amor amamentando como dando biberão. E as mães que optarem por substitutos do leite materno não se devem sentir, de forma alguma, culpabilizadas ou frustradas. O seu bebé crescerá de igual maneira, e o amor que lhe transmite quando lhe pega, observa, ri, fala com ele, faz-lhe festinhas, é idêntico dando peito ou dando biberão. Outro aspeto muito importante, e muito pouco mencionado, é que a alimentação com biberão permite ao pai uma intervenção na nutrição que, no caso da amamentação, está apenas reservada à mãe. Numa altura em que se pretende que ambos partilhem estes momentos cruciais, em todas as suas vertentes, é bom os pais saberem que podem também alimentar o seu filho. E a alimentação é, por razões antropológicas e instintivas, um momento nobre dos cuidados a prestar às crianças. Ler Mais...

O leite de farmácia é tão bom como o leite materno?

O leite materno é mundialmente reconhecido como a nutrição ideal para o bebé, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que se dê somente leite materno nos primeiros seis meses, pois fornece todos os nutrientes de que o bebé necessita. Contudo, há uma grande variedade de marcas de leite para bebé, nutritivas e de alta qualidade, que cientistas e médicos especializados passaram anos a desenvolver. A maior parte dos leites de farmácia são derivados do leite de vaca, mas são modificados para se assemelharem o mais possível ao leite materno Se estiver confusa, discuta as diferentes marcas com o pediatra ou com o médico de família. Ler Mais...

Posso dar água ao meu bebé para além do leite?

O leite de farmácia tem tendência a tirar menos a sede do que o leite materno pois a consistência da fórmula não varia, enquanto a consistência do leite materno varia sendo o leite do início mais aguado. Se o seu bebé alimentado a biberão parecer estar ainda com fome depois de uma mamada, poderá estar com sede e alguma água fervida arrefecida pode acalmá-lo. No tempo quente, pode precisar de beber água com regularidade. Ler Mais...

Quais são os benefícios de extrair leite?

Extrair leite materno (espremer leite dos seus seios) permite que o seu bebé receba todos os benefícios da amamentação se você não puder estar com ele em cada mamada. As mães extraem o leite por muitas razões. Algumas gostam de dar aos seus bebés o leite materno num biberão se estão fora quando é hora de o alimentar, enquanto outras que regressaram ao trabalho, extraem para que possam continuar a amamentar os seus bebés. As mães de bebés prematuros que estão a ser tratados numa unidade de cuidados especiais para bebés podem extrair leite para alimentar os seus bebés. Ler Mais...

Quando é que subirá o meu leite?

Depois do parto, o seu corpo produz a hormona prolactina, que dá indicações ao seu cérebro para produzir leite, e a maior parte das mulheres começa a ter leite entre o terceiro e o sexto dia. O dia em que o seu leite sobe também pode depender do tipo de parto que teve, pois há estudos que sugerem que a produção de leite pode ser atrasada se tiver feito uma cesariana. Também pode ocorrer um atraso se uma mulher estiver a tomar medicamentos, como insulina, para controlar os níveis de açúcar no sangue. Embora isto seja um processo natural, certos fatores também podem afetar quando e quanto leite será produzido, ou o facto de a mulher estar apreensiva quanto à amamentação, se está ou não relaxada e se está a passar por algum stress ou ansiedade. Ler Mais...
Maezona cheia de leite amamentando | Para Pais.