Resultados para: "lesoes petequiais na pele"

Você está a ver leite , leite e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa lesoes petequiais na pele. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Sinais e sintomas

  • febre (de início súbito, em «picos»»);
  • arrepios;
  • aspeto tóxico (ar gravemente doente);
  • alterações do estado mental;
  • irritabilidade;
  • letargia;
  • ansiedade e agitação;
  • má resposta a estímulos;
  • coma;
  • choque;
  • pele fria;
  • palidez;
  • cianose;
  • sinais na pele (hemorragias) – petéquias («picadas de alfinete»), equimoses («nódoas negras), gangrena (por falta de oxigenação).
O exame aponta para o diagnóstico embora, muitas vezes, a ausência das lesões da pele possa atrasar o diagnóstico. Por vezes há sinais e sintomas das doenças associadas (meningite, epiglotite, pneumonia, celulite, artrite ou outros). Os testes que se efetuam incluem a hemocultura, a punção lombar, a análise das lesões da pele, análises ao sangue (designadamente para ver como está a coagulação a funcionar), etc. Uma septicemia exige imediato internamento hospitalar, numa unidade de cuidados intensivos ou de infeciologia especializada. O choque séptico tem uma mortalidade muito elevada (superior a 50%), estando muito dependente da precocidade do início do tratamento e da sua adequação. Ler Mais...

Varicela – Incubação e sinais

O período de incubação varia entre 11 e 21 dias, começando então os primeiros sintomas - mal-estar, febre baixa, falta de apetite, entre outros. No dia a seguir começam a aparecer na pele pequenas pápulas vermelhas, que rapidamente passam à situação de vesículas, ou seja, ficam com líquido; estas acabam por se transformar em crostas. Todas estas lesões causam muita comichão. O que é característico na varicela é que as lesões vão aparecendo por surtos durante alguns dias, ou seja, enquanto umas ainda estão na fase de pápula, as outras estão em vesícula e outras já na fase de crosta e de cicatrização. Outro aspecto característico é o aparecimento destas lesões na cabeça e no céu da boca. A infecciosidade dos doentes começa um a dois dias antes do aparecimento das lesões (o que toma difícil isolar os doentes porque ainda não se fez o diagnóstico) até praticamente todas as lesões estarem na fase de crosta, o que acontece cerca de 5 a 7 dias depois do aparecimento das primeiras pápulas. A forma de contágio é directa. O diagnóstico é geralmente óbvio, quando aparecem as lesões, até porque há geralmente mais casos na vizinhança ou na creche/infantário/escola. A varicela no primeiro trimestre da gravidez pode originar malformações no feto. Ler Mais...

Incubação e sinais

O período de incubação varia entre duas a três semanas, começando então os primeiros sintomas - mal-estar, febre baixa, falta de apetite, entre outros. No dia a seguir começam a aparecer na pele pequenas manchas e pápulas vermelhas, que rapidamente passam a vesículas, ou seja, ficam com líquido; estas acabam por se transformar em crostas. Todas estas lesões causam muita comichão. O que é característico na varicela é que as lesões vão aparecendo por surtos durante alguns dias, ou seja, enquanto umas ainda estão na fase de pápula, as outras estão em vesícula e outras já na fase de crosta e de cicatrização. Outro aspeto característico é o aparecimento destas lesões na cabeça e no céu da boca, ou nos genitais. A infecciosidade dos doentes começa um a dois dias antes do aparecimento das lesões (o que torna difícil isolar o doentes porque ainda não se fez o diagnóstico) até praticamente todas as lesões estarem na fase de crosta, o que acontece cerca de 5 a 7 dias depois do aparecimento das primeiras pápulas. O contágio faz-se por via direta. O diagnóstico é geralmente óbvio, quando aparecem as lesões, até porque há geralmente mais casos na vizinhança ou na creche/infantário/escola. A varicela no primeiro trimestre da gravidez pode originar malformações no feto. Ler Mais...

Eczema

O termo eczema usa-se para descrever um certo tipo de lesões da pele, caracterizados por vermelhidão, exsudação (aparecimento de líquido lamacento) e formação de pequenas vesículas debaixo da pele. A causa mais comum é a chamada dermatite atópica. de origem alérgica. À medida que o tempo passa as lesões ficam mais secas, espessas e com pequenas escamas, bem como com alterações da pigmentação da pele. Quando a situação se prolonga, há que pedir o conselho do médico, dado que pode ser uma alergia, designadamente às proteínas do leite de vaca ou a qualquer outro agente alimentar ou químico. Outras causas de eczema são a dermatite seborreica, a dermatite de contato (contacto prolongado ou repetido com substâncias como a saliva, sumo de citrinos, detergentes com que se lava a roupa da criança, sabonetes e espumas de banho ou medicamentos). A saliva é um dos agentes mais vulgares o bebé. na fase pré-dentição e de dentição (mais ou menos dos 3/4 aos 24 meses) fica com lesões no queixo e no pescoço. As golas de camisolas, feitas de materiais sintéticos, também podem causar eczema no pescoço. Outro responsável por este tipo de lesões é a sudação excessiva (por exemplo, devida ao excesso de roupas). A dermatite de contacto de origem alérgica (atópica) caracteriza-se por grande comichão, a qual, nas crianças pequenas, pode não ser expressa da mesma maneira que nas crianças mais velhas, que já se queixam. O bebé pequeno dorme mal, chora, mexe-se numa tentativa de se coçar, está irrequieto. Vale a pena também dizer que muitas vezes a origem do eczema está em medicamentos (pomadas, cremes, unguentos) e até em medicamentos receitados para o próprio eczema, dado que quer o produto activo quer o veículo da pomada podem causar lesão e perpetuá-la se não se estiver avisado para isso. Se uma pomada não faz efeito ao fim de um prazo de dias, então é melhor suspendê-la. Finalmente, a dermatite seborreica, que é uma inflamação crónica da pele e ocorre em todas as idades e é devida a uma hiperprodução das glândulas sebáceas, especialmente no couro cabeludo, zonas de flexão da pele (sangradouro, etc.) e zona das sobrancelhas. A crosta láctea, que mencionámos acima, é um exemplo. O médico assistente receitará a terapêutica adequada. Ler Mais...

Como atuar perante maus-tratos?

É prioritário defender e proteger a criança, designadamente a sua vida e saúde, tendo em conta que mesmo os casos aparentemente «suaves» podem, rápida e inesperadamente, aumentar de gravidade, pondo em risco a integridade física e psicológica da criança. A proteção da criança passa sempre pela garantia do seu melhor interesse. Neste sentido, para além da sua proteção, a recuperação da família deverá ser um passo e um objetivo essencial, por muito que choque às vezes o público em geral, mas uma atuação firme de denúncia e de inaceitabilidade deste tipo de comportamentos não é incompatível com uma visão mais a longo prazo e de envolvimento da família, mesmo que os abusadores devam sempre ser denunciados pela prática destes crimes. Os maus-tratos físicos são agressões à integridade física da criança e podem deixar sequelas físicas e psicológicas. A tipologia das lesões é variável, desde nódoas negras, fraturas, queimaduras (líquidos, água, cigarros, metais, etc.), a feridas e lacerações ou lesões externas e internas, podendo atingir a pele, os órgãos internos ou os olhos, crânio, genitais, abdómen, boca, nariz e orelhas. São comuns as lesões intracranianas, designadamente as lesões oculares, muitas vezes isoladas e, portanto, mais impercetíveis, como na chamada «síndroma do abanão do bebé», em que a criança é violentamente abanada pelos ombros, podendo daí resultar hemorragias retinianas graves ou lesões cerebrais com consequências nefastas. Ler Mais...

O que significa um parto “pele com pele”?

"Pele com pele" é uma frase que significa aninhar o seu bebé nu contra a sua pele nua. Muitas mulheres desejam ter um contacto "pele com pele" com os seus bebés logo a seguir ao parto. Isso pode ajudar a criar laços, a controlar a temperatura do bebé e a iniciar a amamentação. Desde que você e o seu bebé estejam bem, não haverá razão para não poder fazer isso – limpar o seu bebé, pesá-lo e vesti-lo pode esperar um pouco. Muitos médicos reconhecem agora a importância deste contacto "pele com pele" inicial e ajudá-la-ão a obtê-lo desde que você queira. Comunique as suas ideias e os seus desejos à sua parteira o mais cedo possível depois de ser admitida na sala de parto, para que ela possa planear o seu parto e possa tentar ir de encontro aos seus desejos. Ler Mais...
Lesoes petequiais na pele | Para Pais.