Resultados para: "fotos de perereca com sarna"

Você está a ver bebé , criança e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa fotos de perereca com sarna. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Sarna

A sarna é uma irritação cutânea, causada pela infestação da larva de uma parasita que se introduz debaixo da camada mais superficial da pele. As borbulhas que aparecem na pele traduzem a reação alérgica aos ovos e fezes dos parasitas. O nome «escabiose», que designa a sarna, vem de uma palavra latina que significa «coçar» - este é o sintoma principal da sarna. A transmissão da sarna faz-se através do contacto pele com pele, com uma pessoa infetada, e o parasita é muito contagioso. Apesar de estar associada a «porcaria», a verdade é que qualquer criança pode apanhar sarna. A transmissão da sarna faz-se através do contacto pele com pele, com uma pessoa infetada, e o parasita é muito contagioso. Apesar de estar associada a «porcaria», a verdade é que qualquer criança pode apanhar sarna. Os sintomas e sinais são comichão muito intensa e aparecimento na pele de uns altos, pequenos, avermelhados, espalhados pelo, corpo mas mais vulgares entre os dedos, nos punhos, parte externa do cotovelo, axilas, parte de baixo da barriga e região genital. É raro o envolvimento da cara. Além das borbulhas, surgem também umas linhas vermelhas, finas, que correspondem aos túneis que as larvas fêmeas escavaram debaixo da pele, para colocar os ovos. A comichão é tão intensa que impede de dormir, e piora com o banho ou à noite. Se a criança se coçar muito, podem surgir lesões de coceira e infeção. Os sintomas e sinais podem demorar um mês a aparecer, se for o primeiro contacto com o parasita, ou apenas dois dias, se já tiver havido infestação anterior. Num caso suspeito, há que consultar o médico-assistente ou um dermatologista. Este poderá examinar uma amostra de pele ao microscópio, encontrando as larvas ou os ovos. No total, a infestação não ultrapassa geralmente as dez larvas. O tratamento tem dois objetivos: diminuir a comichão e matar o parasita (através da aplicação de uma loção ou creme especial). É essencial seguir à risca as indicações do médico. Embora não seja claro se a sarna se transmite pelos lençóis, será melhor lavar a roupa num programa quente, bem como os bonecos de peluche. Se houver algum que não possa ser lavado, deverá ser guardado num saco de plástico fechado, durante uma semana. O infantário ou jardim-de-infância deverá ser avisado. Ler Mais...

Poderei saber antes do parto se eles são idênticos?

O termo determinação da zigotia significa descobrir se os gémeos são idênticos (monozigóticos) ou não idênticos (dizigóticos ou falsos gémeos). É natural que os pais queiram saber tudo sobre os seus bebés e com os gémeos isso inclui a sua zigotia. Além das razões de curiosidade natural, saber se os gémeos são idênticos pode ajudar os pais a determinar a possibilidade de voltar a ter uma gravidez múltipla e também tem implicações nos cuidados durante a gravidez, pois os gémeos idênticos, em especial se partilharem a placenta, correm maior risco e assim a gravidez deverá ser monitorizada mais de perto. Em dois terços dos casos, a placenta fornece a resposta se os gémeos são idênticos. Se os bebés tiverem um único saco amniótico rodeado por uma membrana exterior de protecção chamada córion, são monozigóticos. Contudo, um terço dos gémeos idênticos cujo ovo se dividiu cedo antes de a placenta se começar a formar, tem dois córions e pode ter uma placenta fundida em que duas placentas crescem juntas ou duas placentas separadas. Estas placentas são difíceis de distinguir das dos gémeos dizigóticos. Ler Mais...

Verdades científicas

Muita coisa se diz, mas quais as verdades científicas? E não serão estas, também, volúveis como o vento? Lembram-se como comer sardinha passou de ótimo a péssimo, e de péssimo a ótimo em «menos de um fósforo», tudo na base de «bons conselhos*» da Saúde Pública? Com o chocolate há dúvidas praticamente iguais, e isso justifica as notícias contraditórias que surgem na comunicação social. Alguns estudos recentes mostram, por exemplo, que o cacau tem um componente que ajuda a impedir a formação de placa bacteriana nos dentes, ou seja, em comparação com os açúcares tradicionais, o chocolate até seria menos mau. Por outro lado, as gorduras saturadas do chocolate, que contribuem para doenças cardíacas, acompanham-se de outros componentes deste produto - os compostos fenólicos, que também existem no vinho - que baixariam o risco para o coração. O triptofano, um aminoácido existente no chocolate, diminui a ansiedade através da produção de um transmissor cerebral, a serotonina. Por outro lado, as endorfinas, que reduzem a dor e dão a sensação de bem-estar, seriam também estimuladas pelo chocolate (será por isso que sabe tão bem?). Discussões que ainda «estão no adro», mas que prometem. E se acrescentarmos que o chocolate tem mais de 300 compostos químicos conhecidos, a nossa perplexidade perante esta doce substância aumentará, decerto, e as «novidades» que a investigação científica trará nos próximos anos serão incontáveis. Ler Mais...

O ruído

Muitas entidades e cientistas têm manifestado grande apreensão pelos níveis de ruído a que as crianças europeias estão sujeitas. Há vários contextos em que uma criança pode estar exposta ao ruído: • ambiental, especialmente em meio urbano (tráfego, residencial); • em casa e na escola; • durante as deslocações; • durante as actividades de lazer (designadamente feito pelos brinquedos). Ler Mais...

Sou muito pequena e tenho pés pequenos – isso será um problema quando der à luz?

No passado, os médicos costumavam medir os pés das mulheres grávidas para avaliar as possibilidades de necessitarem de uma cesariana, pois pensava-se que pés pequenos indicavam uma pélvis estreita. Embora haja alguma verdade no facto de que pés pequenos em geral indicam que uma mulher tem uma constituição óssea pequena e assim também uma pélvis pequena, também as mulheres pequenas têm tendência a desenvolver bebés mais pequenos em proporção com o tamanho da pélvis. Uma verdadeira desproporção céfalo-pélvica (DCP), em que a cabeça do bebé é demasiado grande para passar na pélvis e nascer através da vagina, é relativamente rara. Durante o trabalho de parto há outros factores que ajudam o seu bebé a nascer. A pélvis não é uma estrutura fixa e as hormonas ajudam a amaciar os ligamentos que ligam os ossos pélvicos, para ajudar a pélvis a alargar e a acomodar o bebé. Também a cabeça do seu bebé está preparada para se moldar. O crânio é formado por ossos separados que se podem sobrepor ligeiramente a fim de reduzir o tamanho da cabeça quando esta passa através da pélvis, durante o trabalho de parto. Esta é uma parte normal do processo de pano. As posições no trabalho de parto também afectam o tamanho da pélvis. Por exemplo, agachar-se pode aumentar as medidas internas da pélvis em cerca de 30 %. Sentar-se ou deitar-se de costas pode reduzir essas medidas, restringindo o movimento natural de recuo do cóccix durante o parto. Ler Mais...

E o medrar?

Por volta do fim do primeiro mês aparecem na cara do bebé umas borbulhas a que as pessoas costumam chamar «o medranço». Medrar significa crescer. E era um sinal de boa sorte um sinal de que o bebé tinha ultrapassado a fase de maior risco de doença grave ou morte. A chegada destas borbulhas era um bom sinal: «Medrou!» Crê-se que são reacções naturais da pele que, depois de estar envolvida no líquido amniótico, quentinho e sem alergéneos, de repente começa a ser bombardeada com todo o tipo de agressões térmicas, químicas, físicas, etc. Nunca pensamos que a pele é um órgão como outro qualquer e que precisa de proteção. Talvez por isso a agridamos tanto, todos os dias... Ler Mais...
Fotos de perereca com sarna | Para Pais.