Resultados para: "fotos de mulheres com pelos no umbigo"

Você está a ver criança , alimentação e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa fotos de mulheres com pelos no umbigo. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

O que devo fazer com o piercing do meu umbigo?

Se está grávida e tem um piercing no umbigo, a sua parteira decerto recomendará que retire qualquer peça de metal do seu umbigo durante a gravidez. Algumas mulheres seguem este conselho, mas muitas mulheres não querem arriscar retirar o seu piercing e ter de voltar a colocá-lo depois o bebé nascer, portanto tentam continuar a usar o acessório no umbigo durante a gravidez. Você pode usar um acessório chamado retainer. Devido à popularidade dos piercings no corpo, este foi produzido para ajudar as mulheres grávidas a manterem os seus piercings conforme a sua silhueta vai mudando. São feitos de uma substância macia e flexível chamada PTTE (politetrafluoretileno), em diversas famas, e tem duas bolas acrílicas atarrachadas nas pontas. Há uma grande variedade de tamanhos e estilos para as mulheres escolherem. Como regra geral, deverá escolher um retainer que seja pelo menos 4 mm mais comprido do que o tamanho do acessório que costumava usar. No entanto, como pode imaginar, cada barriga é diferente e sem dúvida irá mudar de tamanho com o progredir da gravidez. O factor importante é que o seu retainer nunca belisque a sua pele - se sentir que o seu retainer lhe está a causar desconforto, então compre um tamanho maior. Ler Mais...

Tratamento do umbigo

O cordão umbilical é cortado logo após o nascimento da criança. A parte que fica agarrada ao umbigo acabará por secar e cair, passados 4 a 10 dias, muitas vezes antes da mãe e o filho saírem da clínica. Se isto não acontecer deve tratar de curá-lo o mais rapidamente possível. Aplique álcool diariamente, cubra com uma compressa de gaze c ponha uma ligadura em volta, que não deverá ficar muito apertada. Nada de receios: a Parteira ou a enfermeira poderão explicar-lhe como se procede. A fralda não deverá nunca chegar à ligadura para que a urina não atinja a ferida. Se, dentro de 12 a 14 dias, o umbigo não estiver curado deve consultar o Pediatra. Ler Mais...

Apareceram-me manchas escuras na cara. O que pode ser?

As manchas escuras na cara chamam-se cloasma ou “pano” e afectam cerca de metade das mulheres grávidas. Quase todas as mulheres grávidas notam alguma alteração na cor da pele, podendo em geral escurecer a partir das 12 semanas. Isso é devido a um aumento das hormonas que estimulam a pigmentação da pele, afectando mais as mulheres de pele mais escura. Este escurecimento pode ser mais aparente em certas zonas, como os mamilos, o períneo (a pele entre a vagina e o ânus), e o umbigo ou áreas sujeitas a fricção como o interior das coxas e as axilas. Pode reduzir ou prevenir as manchas escuras na cara minimizando a sua exposição ao sol e utilizando protectores solares de factor elevado. Ler Mais...

Sangrar na gravidez significa que o aborto é inevitável?

Não, muitas mulheres têm sangramentos no início da gravidez e depois desenvolvem uma gravidez e dão à luz. No entanto, algumas mulheres tem sangramentos intermitentes durante a gravidez. Apesar disso, qualquer sangramento deverá ser investigado. Por norma isso faz-se com uma ecografia para determinar se a gravidez é viável (vai continuar) e para averiguar a causa do sangramento. Numa fase muito inicial pode ser difícil confirmar a gravidez numa ecografia e deve fazer-se uma análise ao sangue para determinar os níveis da hormona humana da gravidez gonadotrofina coriónica (HCG), principalmente para excluir a possibilidade de uma gravidez ectópica. Infelizmente, este é um tempo de espera: a altura para futuras ecografias é, em geral determinada pelos resultados da ecografia inicial, pelas análises ao sangue e pelos sintomas que está a ter. Ler Mais...

Hérnias

Uma hérnia é uma saliência, arredondada, que resulta quando um tecido subcutâneo é fraco, permitindo ao órgão subjacente que saia um pouco através desse espaço. Para além do efeito estético, o grande problema das hérnias (sobretudo as inguinais) é poderem estrangular, ou seja, o intestino sai pela parede enfraquecida, mas depois tem dificuldade em regredir, sobretudo se o anel da hérnia estiver fibroso e duro. Neste caso, o intestino fica apertado e pode necrosar e causar uma emergência médica, com rápida deterioração do estado geral. As hérnias mais frequentes são as umbilicais e as da linha branca (por cima do umbigo) e as inguinais, que migram para dentro do escroto, seguindo o caminho normal do testículo. À medida que a criança cresce, a pressão abdominal desce (por menos episódios de choro e menos gases intestinais) e a hérnia começa geralmente a ficar pequena, desaparecendo na maioria dos casos. As hérnias de linha branca são por vezes compridas e apresentam-se como uma protuberância alongada, para cima do umbigo. Diminuem e desaparecem com a tonificação dos músculos da barriga. As hérnias inguinais podem ser mais complicadas. O primeiro sintoma costuma ser um alto, que os pais confundem amiúde com um gânglio, na região interior da coxa. É duro, pode causar dor, e colocando o dedo sente-se se a criança tossir. Por vezes é possível empurrar para dentro e ouve-se um som de gorgolejo. As hérnias têm tendência a sair quando a criança faz esforço (obstipação, birra, gases, choro intenso). Perante o achado de uma hérnia, é conveniente consultar um cirurgião pediatra, para ter um ponto de partida para encarar eventual correção cirúrgica. As hérnias umbilicais nunca estrangulam e a sua correção faz-se pelos 5 anos, e apenas por razões estéticas. Ler Mais...

Tenho epilepsia – irei precisar de cuidados especiais na gravidez?

O ideal seria as mulheres com epilepsia discutirem a sua situação com o médico antes da concepção. A epilepsia e a medicação utilizada para a controlar trazem alguns riscos para a gravidez, mas há formas de os minimizar. Julga-se que alguns antiepilépticos são mais perigosos para o desenvolvimento do bebé do que outros, pelo que o seu médico pode querer alterar a sua medicação antes de você engravidar. Embora muitas mulheres que tomam antiepilépticos tenham bebés saudáveis, estes medicamentos aumentam o risco de malformações congénitas. Assim poderá ter de fazer ecografias extra. A finalidade é controlar os seus ataques com um mínimo de doses. Os antiepilépticos também restringem a absorção de ácido fólico pelo seu corpo, o qual reduz o risco de o bebé desenvolver defeitos do tubo neural como espinha bífida, portanto o seu médico provavelmente irá mandá-la tomar maiores doses de ácido fólico. Logo que o bebé nasça, será aconselhada a amamentá-lo, pois qualquer risco para o bebé provocado pelos antiepilépticos será ultrapassado pelos benefícios do amamentar. Ler Mais...
Fotos de mulheres com pelos no umbigo | Para Pais.