Resultados para: "fotos de cirurgias inflamadas"

Você está a ver alimentação , criança e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa fotos de cirurgias inflamadas. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

O meu companheiro tem baixa contagem de espermatozóides – que tipo de ajuda é conveniente para nós?

Em geral, levam-se duas ou três amostras de sémen para verificar a média do número de espermatozóides e para ver se há espermatozóides anormais. Uma amostra de sémen saudável de 2-5 ml contém mais de 20 milhões de espermatozóides por ml; um número inferior a este é considerado banco. Se o seu companheiro tem espermatozóides anormais, deverão ser necessários mais testes. O estilo de vida pode aumentar os espermatozóides. Há também tratamentos hormonais para melhorar o número de espermatozóides, e cirurgias para remover bloqueamentos. Pode dar-lhe confiança saber que mesmo um sémen de qualidade pobre pode ser usado para fertilizar um óvulo com a FIV ou ICSI. Ler Mais...

Bactérias e Antibióticos

Os antibióticos salvam milhares de vidas e contribuíram de modo decisivo para a cura de muitas situações, para a qualidade de vida das pessoas e para que determinados procedimentos médicos se possam fazer com segurança (como certas cirurgias ou nos cuidados intensivos). Chamam-se antibióticos aos compostos químicos utilizados para matar ou inibir o crescimento das bactérias ou eventualmente de outros agentes infectantes. A palavra vem do grego (anti=contra; bios=vida). Todos os antibióticos têm uma característica: a chamada «acção selectiva», ou seja, actuam preferencialmente sobre o micróbio agressor em vez de no ser humano. No entanto, o uso, abuso e mau uso oestes medicamentos têm sido responsáveis por problemas ecológicos e estratégicos graves. Para além dos efeitos secundários que podem ter, a utilização de antibióticos coloca problemas ecológicos e de resistências, o que pode tornar alguns deles inúteis. É por isso que os pais, tal nos, com todas as consequências que dai advêm... Cada vez mais os pais se mostram preocupados com as infecções. Este tipo de atitude, se por um lado tem o condão de levar a «fazer alguma coisa», está ainda, por outro, eivado de muitas dúvidas, inquietações e, quantas vezes, comportamentos pouco adequados. A informação existente ajuda frequentemente à confusão, quando, por exemplo, são os próprios médicos que dizem: «é uma doença viral, mas vou-lhe dar um antibiótico». Por outro lado, cada voz mais se fala, também, de um problema de dimensões inquietantes: as resistências aos antibióticos, provenientes, numa elevada percentagem, do uso inadequado destes medicamentos. Algumas bactérias, que durante décadas foram sensíveis a antibióticos comuns, tornaram-se resistentes, nos últimos anos, em percentagens francamente perturbadoras. Uso, mau uso e abuso - aqui reside a chave da questão. Cabe aos pais auxiliar os profissionais a gerir bem esta questão. Se não tivermos cuidado na utilização dos antibióticos estaremos a «entregar o ouro aos bandidos», e estes nom sequer nos agradecerão, podem crer. «Os antibióticos são "armas" essenciais, mas podemos estar a brincar com o fogo e a queimar um dos nossos aliados, através da utilização indiscriminada destes agentes. É preciso, pois, ser-se criterioso e racional na prescrição e na toma de antibióticos.» Ler Mais...

Perguntas e respostas sobre a saúde oral

Porque é que um irmão tem cáries e o outro não, se comem o mesmo? Não é raro acontecer, mas nunca comem os dois exatamente a mesma coisa. Por outro lado, a cárie é uma doença multifatorial influenciada também peto próprio organismo, tipo de saliva, morfologia dos dentes, tipo de bactérias existentes na boca e outros fatores Isso explica as diferenças, maiores às vezes do que se poderia supor É normal que os dentes de leite sejam «dentes de mentiroso»? Na dentição de leite é normal e desejável que os dentes apresentem espaços entre eles. Os dentes permanentes são maiores do que os de leite e nascem já com o tamanho final. Assim, os espaços entre os dentes de leite ajudam a arranjar espaço para a posterior erupção e correta colocação dos dentes permanentes na arcada A cárie ainda é um problema das crianças, em Portugal? A cárie dentária continua a ser a doença mais frequente da população infantil e, simultaneamente, a sua prevenção é eficaz e eficiente, existindo já todos os saberes e os «arsenais» que permitem baixar, de modo fácil e económico, a sua incidência e a sua prevalência para valores de cerca de um quinto dos valores atuais. Os dentes podem dar febre? A erupção dos dentes de leite pode trazer algumas situações mas incómodas, como as gengivas ficarem inflamadas, inchadas e avermelhadas, e a criança apresentar algum desconforto na boca e irritabilidade. Por outro lado, a criança pode babar-se com maior frequência. Os anéis de borracha que se colocam no frio ajudam bastante no alívio do mal-estar Contudo, a erupção dos dentes não está relacionada com febre alta ou diarreia. O que são alimentos cariogénicos? São aqueles que podem, com maior probabilidade, favorecer o aparecimento de cárie, designadamente os que contêm açúcar. Uma dieta com excesso de hidratos de carbono, mesmo sem doces, também pode tornar-se nociva para a saúde dos dentes da criança, aumentando o risco de aparecimento de cárie. O que é a síndroma do biberão, no que se refere aos dentes? A síndroma do biberão caracteriza-se pelo aparecimento rápido de cáries profundas em crianças pequenas, devido à exposição frequente, por longos períodos de tempo, a líquidos contendo açúcar. Os dentes da frente e de cima são os mais afetados É importante tratar as cáries dos dentes de leite? Eles de qualquer forma vão cair... Frequentemente subestimam-se as cáries nos dentes de leite e os pais acham que, como o dente vai «cair» não vale a pena tratá-lo, mas tudo depende da idade da criança e do dente afetado. Mas é bom não esquecer que, por exemplo, os molares de leite vão permanecer na boca até cerca dos 11-12 anos, mesmo que a mudança de dentes se inicie aos 5-6 anos. Assim, se estes dentes apresentam uma cárie, não é lógico que esta não seja tratada porque o dente ainda vai estar na boca cerca de mais 7 ou 8 anos. Quando é que se deve começar a escovagem dos dentes? Quando nascem os primemos molares de leite {cerca dos 12-18 meses), deve iniciar-se a escovagem duas vezes por dia - de manhã após o pequeno-almoço e à noite antes de dormir. A escovagem da noite é a mais importante, e depois dela a criança não deve comer nenhum alimento (nem mesmo leite que também contém açúcar), caso contrário ter-se-á que reiniciar o processo e repelir a escovagem. Que escova de dentes devo escolher para a minha filha? A escova deve ser adequada à idade da criança. A cabeça não deve ser muito grande e o cabo adequado ao tamanho da mão As cerdas devem ser macias e todas do mesmo tamanho. É melhor escova elétrica ou manual? Tanto a escova manual como a elétrica são igualmente eficazes se se utilizar uma boa técnica. A aquisição de uma escova elétrica pode, por vezes, ser uma novidade que aumenta o seu uso durante um tempo e confere rotatividade no dente quase sem se dar por isso, mas se não houver uma boa educação e motivação para a saúdo oral, o estímulo positivo durará pouco tempo. Com que Idade se deve começar a usar pasta de dentes? Até aos 2-3 anos de idade não se recomenda o uso de pasta de dentes devido ao risco de ingestão da mesma. A escovagem deve ser feita com uma escova e água Entre os 2 e os 5 anos. a pasta de dentes deve ser adequada à idade por apresentar uma dose de flúor menor que a pasta dos adultos, devido ao risco de ingestão, ainda presente (250 ou 500 ppm de flúor). Como é que posso ensinar o meu filho de 4 anos a lavar os dentes sozinho? Deve ensiná-lo a escovar de maneira ordenada e sistematizada, para que não se esqueça de nenhuma superfície. A escovagem deve começar sempre peto mesmo lado e seguir sempre a mesma ordem. Na zona dos dentes que mastigam diga-lhe para fazer um movimento do «comboio» ou seja um movimento de vaivém, para a frente e para trás, em cada dois dentes e contando até 10. Nas outras superfícies lisas dos dentes o movimento deve ser de «bolinha», como se estivesse a desenhar bolinhas com a mão que tem a escova É importante insistir em escovar junto á gengiva para evitar inflamações nossa área. A escova pode e deve tocar o escovar a gengiva. Porque é que as gengivas da minha filha, que tem 5 anos, às vezes sangram? As gengivas sangram porque os dentes não estão a ser bem escovados e há uma acumulação de placa bacteriana nas gengivas, que ficam inflamadas e sangram. Mesmo que as gengivas sangrem, a escovagem deve ser mantida pois a pouco e pouco, se a limpeza dos dentes for bem feita, as bactérias vão desaparecendo e as gengivas vão deixar de sangrar Qual a diferença entre um dentista e um médico dentista, ou um odontopediatra? Há uma diferença entre ser dentista c sor médico dentista os primeiros têm um grau equivalente a bacharel, os segundos são licenciados depois de um curso de seis anos, tal e qual o de Medicina. São médicos, pois. Mas a diferença importante reside na odontopediatria, como englobando profissionais vocacionados para as crianças, uma área da Medicina Dentaria que cuida da saúde oral dos bebés, crianças e adolescentes. Com que idade as crianças devem ir ao médico dentista? Pelo menos aos 3 anos de idade. É muilo importante que esta primeira visita ocorra cedo, para se poder detetar qualquer problema na boca da criança (cárie alterações nos dentes ou mucosas, alterações de crescimento ou estrutura, etc.) e para a criança se ir familiarizando com a cadeira e os instrumentos do dentista. De quanto em quanto tempo devo levar o meu filho ao dentista? A periodicidade das visitas vai depender da saúde oral da criança. Se não existirem problemas, os controlos podem ser semestrais ou anuais. Quando os dentes definitivos começarem a erupcionar os controlos devem ser no mínimo semestrais. Deve-se escolher pastas com flúor? O flúor da pasta de dentes, que e portanto de aplicação tópica, é essencial para uma redução das caries. Em alguns casos, que serão avaliados pelo médico dentista podem ser necessários bochechos em casa ou aplicações de flúor no consultório. A minha filha, de 4 anos, tem os dentes sempre com uma coisa que parece bolor, preto, como aparece nas paredes quando há humidade... O que ela tem é a chamada pigmentação cromo génica, que forma uma linha preta junto à gengiva uniforme, em toda a roda dos dentes, por dentro e por fora, e que não tem nada a ver com a cárie. Contudo, muitas crianças são discriminadas e humilhadas por isso. Esta pigmentação deve-se a uma bactéria, chamada cromo génica, que forma esse pigmento nos dentes – e esta bactéria existe em algumas bocas e noutras não. O único problema desta pigmentação é a questão estética, mas curiosamente até parece haver uma relação entre esta pigmentação e um menor número de cáries nas crianças que a possuem, provavelmente por concorrência desta bactéria com as que causam a cárie. O meu filho tem 3 anos e está sempre a cair. Tenho receio que um dia possa partir os dentes... Para além de verificar se ele tem algum problema ortopédico que o laça cair como bater com os joelhos um no outro, nesta idade é muito comum cair e bater com a face, aumentando o risco de lesionar os dentes da frente e o lábio A preocupação destes traumatismos é não só o estado do dente de leite mas, principalmente, o dente permanente que, apesar de não estar ainda à vista, está «guardado» no osso em formação. O médico dentista realizará uma radiografia local dos dentes afetados para poder fazer um controlo da situação, tanto do dente de leite como do dente permanente que não está visível na boca. Os pais devem passar a boca da criança com água ou algum bochecho antisséptico oral e colocar gelo na região exterior para reduzir o inchaço (bochechas ou lábios) Se o dente se fraturou, o fragmento deve ser levado para o consultório. Se um dia o meu filho der uma queda e cair o dente, o que devo fazer? Se o dente é de leite e saiu completamente do seu «buraco» (avulsão), nunca deve ser recolocado, pois há grandes probabilidades de, ao fazê-lo, dado que tem de empurrar, lesionar o dente permanente que está no osso. Ler Mais...

A partir dos 6 meses – «a fase das grandes descobertas»

E a partir desta idade que aumenta a fase da grande curiosidade, de descoberta do mundo. A criança já é capaz de observar em todas as direções, já vê com pormenor objetos distantes (que vão, assim, prender a sua atenção e incitá-lo a descobri-los o que, se já gatinhar, lhe permitirá começar a fazer «asneiras» pois é, pais, atenção aos acidentes!), distingue facilmente os pais, irmãos e pessoas estranhas (começando, a partir dos 9 meses, a evidenciar uma certa aversão a estas últimas) e, dizem os especialistas, prefere as cores encarnada e amarela. Paralelamente ao desenvolvimento visual, as mãos já se articulam nos seus movimentos finos, podendo pegar nos objetos, transferi-los de uma mão para a outra, apontar com o indicador (e fazer exigências começa o período reivindicativo...) e procurar objetos que, por exemplo, caem ou desaparecem repentinamente do campo visual. O interesse que as coisas despertam é tão grande, a partir de cerca dos 6 meses, que o bebé modifica espontaneamente a posição do seu corpo para ver melhor inclina-se para trás, volta a cabeça, torce-se. O pior é quando os objetos passam com uma certa velocidade aí já as coisas se tornam mais difíceis e só por volta do ano é que começa a haver um certo controlo destes acontecimentos... Após o ano já há percepção dos objetos em duas dimensões e, mais tarde, a noção da profundidade. Um aspecto importante é que a visão não funciona isolada, pelo contrário, é um sentido intimamente ligado aos restantes, muito especialmente à audição e aos movimentos finos. A conjugação destas extraordinárias capacidades, tantas vezes subestimadas, permite praticar o que é, talvez, uma das maiores capacidades do ser humano comunicar. A comunicação com o mundo, processo no qual a visão desempenha um papel fundamental, começa no bebé mesmo antes de nascer e prolonga-se até à morte. Os êxitos e insucessos, vitórias e derrotas, satisfação e frustração dependem muito da qualidade da nossa comunicação com o mundo, não só o animal «entre o qual em grande destaque o mundo humano», mas também o vegetal e mineral. A descoberta do mundo, feita «de dentro para fora», ou seja, do corpo do próprio bebé para o mundo próximo e depois para o mais distante, corresponde a algo de fascinante e a que nós, pais, deveríamos porventura dar mais importância e seguir mais atentamente. A falta de tempo crónica que a sociedade atual nos impõe não pode ser desculpa - há que seguir as descobertas dos nossos filhos e ver a sua evolução, desde que descobrem as mãos e os pés, até à preocupação que têm com as pessoas e objetos, muito especialmente os que lhes satisfazem as necessidades fundamentais (entre as quais a alimentação) e lhes dão carinho e proteção. Reafirmada que está a importância fundamental da visão no processo interactivo e de comunicação com o mundo, há que velar por essa visão de modo a que: 1.° sejam evitadas as agressões sobre o aparelho visual, nomeadamente as que provêm de estimulação excessiva, em quantidade e qualidade, com destaque para a falta de condições ambientais que se proporcionam ao bebé e à criança para ver este aspeto levantaria a questão da iluminação geral, da televisão, das fotografias com flash, o uso de óculos escuros no Verão, etc; 2. ° sejam detectadas e diagnosticadas precocemente as perturbações da visão que, muitas vezes, podem ser corrigidas, para além de se poder também retardar a sua evolução; 3. ° nas crianças que têm problemas visuais, em menor ou maior grau, há que compensar essa perda com a estimulação dos outros sentidos, e compreender que a sua interação com o mundo terá que ser feita, provavelmente, quando as lesões são muito comprometedoras, de maneira diferente das crianças com visão normal. A estimulação precoce é essencial e pode fazer com que uma criança com níveis muito baixos de acuidade visual possa utilizar todos os estímulos que lhe chegam, usando-os para uma vida praticamente normal. Quem vê bem desperdiça muitos estímulos luminosos. Conselho Posso tirar fotografias ao meu bebé? Esta pergunta surge com enorme frequência. Outras vezes nem chega a ser feita, o que não quer dizer que o bebé, desde que nasce, às vezes mesmo na sala de partos, não seja «atacado» por vários paparazzis, seja o pai, sejam outros familiares e amigos. Mas... já repararam que, quando se tira uma fotografia a uma criança, os olhos ficam sempre encarnados? Essa tonalidade encarnada/alaranjada corresponde, nem mais nem menos, à imagem dos vasos sanguíneos da retina. Entre o disparar a máquina e o impressionar da película ou do chip, a luz tem tempo de ir, bater na retina e voltar. Só depois os olhos se fecham. É, no fundo, como se estivéssemos a fazer um exame ao fundo do olho, como os oftalmologistas fazem. Isto quer dizer que, cada vez que tiramos uma fotografia a uma criança, estamos a sujeitar a retina a uma estimulação luminosa fortíssima, intensiva e brusca. Que não é nada recomendável, se pensarmos que os vasos da retina e a própria retina estão em formação. Portanto: fotografias, sim, mas apenas com luz natural. Sem flash. Obrigado! O que é o estrabismo? Nem em todos os estrabismos o «enviesamento» dos olhos é bem visível, pelo que é necessário levar a criança ao médico assistente para realizar testes de visão em certas idades-chave (2, 4, 6, 9 e 12 meses). Por outro lado, há muitos casos em que os olhos parecem tortos mas não o estão: são os chamados «falsos» estrabismos ou «pseudo estrabismos», em que o que está «torto» é a pele que rodeia o globo ocular e não o globo ocular propriamente dito. O estrabismo é uma situação que deve ser detectada no primeiro ano de vida e não deve ser subestimada, pelo menos até se ter a certeza de que se trata de um «falso» estrabismo. Ler Mais...

Convidar os amigos para casa

Por volta dos 5 anos (antes disso é mais complicado) já poderá ser bom convidar um amigo para passar a tarde e eventualmente dormir para o dia seguinte. Esta prática, que deverá depois ser ampliada durante o 1 0 ciclo, não deve ser recusada, porque representa mais um espaço de partilha, e também de orgulho da criança que convida. Claro que o convidado tem de estar habituado a sair e sentir-se confiante para não chorar de noite (embora se tenha de encarar a hipótese de, à última hora, querer ir dormir a casa, e portanto ter um plano para o levar, se for mesmo necessário), dar-se bem com o vosso filho (para não passarem o dia em competição e quezília) e não ter comportamentos regressivos na alimentação, ou risco de alguma crise de asma ou outra doença. As crianças desta idade vibram com os «acampamentos», pelo que fazer a cama de um deles num colchão, no chão, é prático e dá a ideia de aventura. Dar-lhes uma lanterna e deixá-los rir e conversar é boa ideia. Já que é um sábado ou véspera de feriado, e tratando-se de um caso excepcional, sejam tolerantes. Com o tempo, o vosso filho também será convidado. É bom. E estimulem-no a ir, mesmo que se sintam «sós e abandonados». Se ele quiser, deixem-no exercitar a autonomia, mesmo que tenham de gizar um plano B, para o caso de as coisas darem para o torto. Ler Mais...

A intervenção dos pais

Será útil que os pais debatam, com os educadores, as possibilidades de ter mais atividades deste tipo, com a própria colaboração das famílias e dos cidadãos em geral, e coordenadas, em casa e no   jardim-de-infância. Em meios pequenos esta solução será sem dúvida mais fácil - até porque as pessoas se conhecem melhor e não existem tantos problemas de deslocações e de perdas de tempo. Haverá decerto pessoas na família do aluno que têm talento para determinadas artes - pintura, escultura, cerâmica. Porque não identificar essas pessoas e pedir a sua colaboração? Algumas delas estarão seguramente disponíveis. Muitas talvez já estejam reformadas e disponham de tempo livre. A escola pode organizar concursos, exposições, animações que ponham os alunos mais em contacto com as artes plásticas e os faça desenvolver o gosto pela cultura e pela criatividade, discutindo com eles as melhores formas de utilizar os tempos de lazer e de organizar com a comunidade essas atividades. Será certamente interessante as crianças de 3-5 anos dialogarem com pessoas de outras gerações, com experiências pessoais e com trabalhos que, infelizmente, estão remetidos e confinados às gavetas ou às paredes  das casas de cada um, faltando o espaço para a sua partilha, de uma forma intergeracional. Embora já existam alguns clubes de atividade desportiva de acesso fácil, barato e cómodo, para outras actividades, designadamente as artes plásticas, o que impera é a escassez, quer nas artes tradicionais, quer nas mais inovadoras. Ler Mais...
Fotos de cirurgias inflamadas | Para Pais.