Resultados para: "febre aftosa em criancas"

Você está a ver gravidez , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa febre aftosa em criancas. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Estomatite aftosa

A criança em idade pré-escolar começa com:
  • febre, que se torna muito alta e duradoura;
  • gengivas muito vermelhas, que às vezes chegam a sangrar ao mínimo toque;
  • dor sobretudo ao alimentar-se;
  • aftas (ulcerações) por toda a boca e frequentemente também nos lábios;
  • emagrecimento, associado à recusa quase total de comer;
  • mal-estar geral.
Esta estomatite aftosa é provocada por um vírus e não há tratamento específico, ou seja, tem de se esperar que passe. Além de se baixar a febre, pode colocar-se um produto para anestesiar um pouco a boca, para permitir que a criança coma, escolher muito criteriosamente os alimentos de modo a que ardam menos nas aftas e sejam do maior agrado da criança, oferecer líquidos com frequência (líquidos com um pouco de açúcar), dar um preparado de vitamina B e esperar pacientemente. Se houver dúvidas, a criança deverá ser levada ao médico, sobretudo se o seu estado geral estiver muito deteriorado. Ler Mais...

Boca

O que são as aftas e estomatite aftosa? Há uma situação, que preocupa os pais e se designa por estomatite aftosa: trata-se de um bebé que começa com febre, que se torna muito alta e duradoura, com o aparecimento de gengivas muito encarnadas (às vezes chegam a sangrar ao mínimo toque), dor sobretudo ao alimentar-se, aftas (ulcerações) por toda a boca e frequentemente também nos lábios, emagrecimento (associado à recusa quase total de comer) e mal-estar. Esta estomatite aftosa é o resultado do primeiro contacto do bebé com um vírus do grupo dos herpes herpes simplex e não há tratamento especifico, ou seja. tem que se esperar que passe. Além de se baixar a febre, pode-se colocar um produto para anestesiar um pouco a boca e permitir que a criança coma, devem-se escolher muito criteriosamente os alimentos de modo a que ardam menos nas aftas e sejam do maior agrado da criança, oferecer líquidos com frequência (líquidos com um pouco de açúcar), dar um preparado de vitamina B e esperar pacientemente. Se houver dúvidas, a criança deverá ser levada ao médico, sobretudo se o seu estado geral estiver muito deteriorado. Os preparados antifúngicos não servem para nada, nesta situação (que não deve ser confundida com os «sapinhos», esses sim, provocados por fungos). Uma das maiores preocupações dos pais o facto de a criança não comer só deve assustar se a criança não beber líquidos. É natural que ela vá emagrecer nesse período de doença, que pode chegar a ser superior a uma semana, mas mal passe a fase aguda o apetite vem e em força, recuperando rapidamente o peso anterior. Ler Mais...

Febre

O que é a febre? A febre é um sinal importante. Ao contrário do que se pode pensar, a febre é uma resposta biológica muito complexa a um grande número de agentes externos e disfunções internas. É um dos sintomas mais frequentes nos grupos etários infantis. A elevação da temperatura tem um papel muito importante na luta contra a infecção, por exemplo, através de: - diminuição do ritmo de crescimento de certos vírus, bactérias e fungos - alterações estruturais nos microorganismos, que os inativam - diminuição da produção de fatores de virulência - aumento da actividade das defesas imunológicas - aumento da actividade dos antibióticos A febre não é uma doença, é um sinal. A ansiedade dos pais e o desejo de dar um antipirético fazem com que, muitas vezes, se hipermedique a febre, apesar dos crescentes conhecimentos científicos que sugerem que esta atitude, além de comportar alguns riscos, é, em muitos casos, desnecessária e ineficaz. Ler Mais...

Como se manifesta

Os sintomas de uma pneumonia bacteriana aparecem subitamente e podem incluir dor torácica, febre, arrepios, dificuldade respiratória e aumento da frequência cardíaca. Quando surgem estes sintomas, há que suspeitar de uma pneumonia. São sinais de gravidade, mesmo de emergência médica, incluem febre muito alta, cor da pele arroxeada, prostração, confusão mental. Se com a tosse vier pus ou sangue, deve levar-se a criança imediatamente à urgência. Quando a pneumonia é nos lobos inferiores, um dos sintomas dominantes pode ser a dor na barriga que, juntamente com a febre, os vómitos e a prostração simulam frequentemente apendicite aguda. As pneumonias causadas pelo Mycoplasma são um pouco diferentes, mais parecidas com a gripe, com cansaço, febre não muito alta, dores de garganta e diarreia. A tosse é seca e repetida, e prolonga-se durante semanas. Ler Mais...

O medo da febre reumática

Relativamente à febre reumática (e à glomerulonefrite, doença renal que também pode ser causada por uma amigdalite estreptocócica mal tratada), há a dizer que é uma doença que praticamente desapareceu, nas últimas décadas, da face de Portugal, embora tenha sido muito comum há alguns anos atrás e cujos resultados ainda se vêem em muitos adultos que sofrem de doenças das válvulas cardíacas resultantes desse «reumatismo» do coração. Com a melhoria do tratamento das amigdalites, a febre reumática praticamente desapareceu. Contudo, nos últimos anos, tem-se verificado em todo o Mundo Ocidental o reaparecimento de casos de febre reumática. Isto pode ser atribuível a muitos fatores, mas um deles é, sem dúvida, o tratamento incorreto das amigdalites estreptocócicas. E por isso que os pais e educadores não devem menosprezar as amigdalites, sobretudo aquelas que se prolongam por mais de três dias, que são acompanhadas de febre muito alta ou em que aparecem pontos brancos nas amígdalas ou estas estão muito mas mesmo muito vermelhas (cor escarlate). Ler Mais...
Febre aftosa em criancas | Para Pais.