Resultados para: "espumar pela boca"

Você está a ver criança , grávida e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa espumar pela boca. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, ver parto normal ver tudo, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Corpos estranhos

Levar tudo à boca é uma «mania», até aos 3 anos, e por vezes até mais tarde. Ao sentir o objeto na boca, especialmente se for arredondado e deslizante, a tendência é para engolir, mas dado não se tratar de um alimento, pode causar engasgamento e ir para a árvore respiratória. Alguns objetos, como as pilhas elétricas tipo «botão», podem causar graves problemas gástricos. A sua semelhança com pastilhas agrava a tendência para as meter na boca. Os brinquedos também podem ser uma fonte comum de sufocação: balões (que desinsuflam e aumentam o movimento de fora para dentro da boca), moedas ou partes de brinquedos menores do que uma moeda de 2€. Do mesmo modo, alimentos que sejam pequenos, arredondados (amendoins, pistachos, avelãs, frutos secos para aperitivos, uvas. cenouras cruas, passas, pastilhas elásticas ou outras, bocados de carne, pipocas, presunto, etc.) têm uma enorme probabilidade de resvalar para a parte posterior da boca, provocando um movimento involuntário (próprio da imaturidade da criança) de inspiração, fazendo com que o corpo estranho vá para a árvore respiratória. Do mesmo modo, há que ter em atenção o tamanho dos pedaços de alimentos que se cortam, à refeição. Outras vezes, o corpo estranho é deglutido ou introduzido no nariz ou nos ouvidos, pela tendência que a criança tem, antes dos 3-4 anos, de experimentar o seu próprio corpo (feijões, moedas, missangas, anéis, brincos, clips, pregos e parafusos, etc.). Ler Mais...

E em caso de eletrocussão?

Mesmo com todas as medidas preventivas assinaladas podem ocorrer casos de eletrocussão e é fundamental saber como proceder (se houver várias pessoas em casa, cada uma deverá fazer uma coisa): - é importantíssimo NINGUÉM se precipitar para cima do acidentado pois se a eletricidade ainda está a passar o adulto pode ficar também ele eletrocutado; - cortar a corrente no disjuntor ou afastar a criança da tomada ou do fio TOCAN-DO-LHE APENAS com um objeto não condutor de electricidade (madeira, plástico) para não ser electrocutado também; - começar a reanimar a criança respiração boca-a-boca e massagem cardíaca (vale a pena relembrar aos pais que para cada cinco massagens cardíacas no tórax deverão fazer uma respiração boca-nariz nas crianças pequenas ou boca-a-boca nas maiores). - chamar o 112; - de salientar que as queimaduras por eletricidade são muitas vezes profundas e o aspecto superficial pode parecer menos grave do que realmente é. Ler Mais...

Doença da boca-mão-pé

A doença boca-mão-pé ocorre sobretudo cerca dos 4-5 anos, e pode ser causada por uma grande variedade de vírus, mais frequentemente um que se chama coxsackie. A doença não costuma ser grave e as crianças recuperam numa semana. Os sintomas começam por febre ligeira, perda de apetite e mal-estar geral. Segue-se o aparecimento de aftas dolorosas na boca, sobretudo na parte interior das bochechas e gengivas, e manchas nas palmas das mãos e plantas dos pés, que depois evoluem para nódulos e bolhas. A doença é contagiosa através das secreções nasais, saliva e líquido das bolhas, durante pelo menos uma semana depois do início da doença. Perante estes sintomas a criança deverá ser observada pelo médico-assistente. O risco maior consiste na desidratação provocada pela não ingestão de líquidos em quantidade suficiente, atendendo à dificuldade em engolir e à falta de apetite. A alimentação deve ser baseada em líquidos e pastosos, frios e de sabor neutro (gelados, por exemplo). Não há tratamento específico, mas é preciso dar todos os medicamentos necessários para o conforto da criança, e os pais não se devem surpreender se ela emagrecer – passada a doença, o apetite virá, e em força. É conveniente evitar o contacto com mulheres grávidas. Ler Mais...

Como manter o nariz das crianças «saudável»?

É fundamental manter o nariz das crianças bem permeável, até porque os bebés muito pequenos só sabem respirar pelo nariz se o tentam fazer pela boca, «engolem o ar em vez de o respirar, ficando com soluços e com cólicas. Ainda por cima, o nariz tem um «sistema de aquecimento e de umidificação natural. Formado por ossos muito irrigados de sangue - quem já bateu com o nariz ou levou uma pancada nessa área sabe como sangrou esta «arquitetura» faz com que por exemplo, num dia frio, o ar que entra a 10°C no nariz chegue aos brônquios a 37°C, ou seja, à temperatura fisiológica, para além de bem umidificado. A boca não tem esse sistema tão apurado, e é por isso que respirar pela boca faz com que o ar frio chegue aos brônquios ainda a temperaturas baixas e com um grau pequeno de umidade, o que vai lesar os cílios e o sistema de limpeza respiratória, causar lesões na mucosa dos brônquios e levar ainda à produção de mais secreções e tosse, num circulo vicioso de onde se torna difícil sair. Nesta tareia de "manter o nariz limpo», há que ter em atenção o seguinte: a parede do nariz (mucosa) é muito frágil (exatamente por ser fina e muito vascularizada). Qualquer agressão (cotonete aspirador de secreções ou limpezas bruscas) pode lesar a parede do nariz e, provocar a resposta por parte deste que é a secreção de ainda mais ranho. Vale a pena pensarem «dois minutos» antes de usarem um aspirador de secreções, senão vejam o seguinte: estes aparelhos tuncionam à base de vácuo e aderem às paredes do nariz como ventosa (ó impossível conseguir extrair, secreções sem tocar nas paredes), «sugar» as paredes, mesmo que ligeiramente, arrancam algumas células e o nariz vai assim ter pequenos ferimentos, tendo resposta pronta para isso: mais secreção e inchaço. Em consequência, a passagem nas fica ainda mais estreita. As crianças realmente melhoram com a aspiração, mas essa melhora dura escassos momentos ei ainda ficam pior daí a bocado. Ler Mais...

Importância dos dentes de leite

É muito importante que os dentes de leite permaneçam na boca até chegar a altura de caírem naturalmente. Os dentes de leite são importantes porque ajudam: • Na manutenção de uma boa nutrição, ao permitirem uma boa mastigação; • No desenvolvimento correto da tala e da linguagem; • Na erupção dos dentes permanentes pois «guardam» o espaço necessário para estes erupcionarem corretamente; • A ter um sorriso bonito que dá à criança uma maior aceitação social, melhorando a sua autoestima e autoimagem. Frequentemente subestimam-se as cáries nos dentes de leite e os pais acham que, como o dente vai «cair» não vale a pena tratá-lo, mas tudo depende da idade da criança e do dente afetado. Todavia, por exemplo, os molares de leite vão permanecer na boca até cerca dos 11-12 anos, mesmo que a mudança de dentes se inicie aos 5-6 anos. Assim, se estes dentes apresentarem uma cárie, não é lógico que esta não seja tratada porque o dente ainda vai estar na boca cerca de mais 7 a 8 anos. Ler Mais...

Vitamina K – uma vitamina essencial para o seu bebé

Depois do parto irão perguntar-lhe se quer que o seu bebé receba um suplemento de vitamina K. Esta é uma vitamina essencial para ajudar a coagulação do sangue e, como os bebés recebem muito pouca na sua dieta de leite, há um pequeno risco de poderem sofrer hemorragias internas. Há duas formas de dar o suplemento aos bebés: Por injeção. Só é necessária uma dose para prevenir a deficiência de vitamina K. Pela boca. Dão-se duas doses na primeira semana e os bebés amamentados poderão tomar outra dose passado um mês. Ler Mais...
Espumar pela boca | Para Pais.