Resultados para: "e possivel as feses sairem pela vsgina"

Você está a ver bebé , grávida e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa e possivel as feses sairem pela vsgina. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Tratamento do umbigo

O cordão umbilical é cortado logo após o nascimento da criança. A parte que fica agarrada ao umbigo acabará por secar e cair, passados 4 a 10 dias, muitas vezes antes da mãe e o filho saírem da clínica. Se isto não acontecer deve tratar de curá-lo o mais rapidamente possível. Aplique álcool diariamente, cubra com uma compressa de gaze c ponha uma ligadura em volta, que não deverá ficar muito apertada. Nada de receios: a Parteira ou a enfermeira poderão explicar-lhe como se procede. A fralda não deverá nunca chegar à ligadura para que a urina não atinja a ferida. Se, dentro de 12 a 14 dias, o umbigo não estiver curado deve consultar o Pediatra. Ler Mais...

Gosto de comer bifes mal passados – posso fazê-lo durante a gravidez?

Não. Deve ter a certeza de que só come carne bem cozinhada, pois a carne crua contém uma bactéria que envenena a comida. Isto é especialmente importante com as aves e produtos feitos com carne picada, como salsichas e hambúrgueres. A carne deve ser cozinhada até cozer bem não estar rosada e os sucos saírem claros. Lave as mãos depois de mexer em carne crua e mantenha-a separada dos outros alimentos prontos para comer. Também devera evitar comer ovos crus e aves pouco cozinhadas, devido ao risco de salmonela. Ler Mais...

Fadiga

Uma das maiores reclamações na gravidez, em particular no primeiro trimestre, é o cansaço extremo pois o seu corpo está a adaptar-se a uma carga de trabalho extra. Aceitar isso e adaptar a sua rotina nesse sentido pode ajudar a lidar com o problema. * Abrande e faça uma pausa, ou mesmo uma pequena sesta, sempre que possível. * Coma snacks pequenos e saudáveis durante o dia e beba muitos líquidos para manter os níveis de energia * Sempre que possível vá para a cama mais cedo. * Faça exercício leves e regulares para aliviar o stress e melhorar a resistência. Ler Mais...

Os dentes dão febre, ou não?

Segundo alguns autores, a dentição produz apenas dentes, «ponto final». É claro que o bebé pode andar irritado,com dores, vontade de morder, necessidade de esfregar as gengivas (para amolecer os tecidos e os dentes saírem mais rapidamente). Mas há que ver que os dentes surgem na «pior» altura: depois dos seis meses, quando a imunidade recebida pelo bebé através da placenta e da amamentação começa a desaparecer, e o beestá muito mais exposto às infecções (banais, é certo, mas que podem dar febre baixa, «ranho» e perturbações do apetite ou do sono), uma idade em que o contacto com o mundo e com os agentes infecciosos é maior (por exemplo, no infantário ou creche). Não há estudos que indiquem existir mais infecções gerais nos períodos mais críticos da dentição. Por este motivo, há que ter algum cuidado com o tratamento das dores e do desconforto da dentição, bem como tentar encontrar alguma explicação diferente para doeas mais prolongadas ou intensas. Dar apoio à criança, mimo e colo pode ser o suficiente, mesmo que se corra algum risco de criar maus hábitos. Ler Mais...

O quarto das crianças

O desafio principal para um quarto de crianças é criar um ambiente que seja divertido durante o dia e favorecedor de um sono profundo e reparador durante a noite. Para que tal, seja possível tenha em consideração os seguintes aspectos: • localização • iluminação • janelas • soalho • cor das paredes • mobília • camas • tecidos • armazenagem Localização: idealmente, os quartos das crianças deveriam estar virados para nascente ou sudeste, de forma a absorverem a energia ascendente do sol (representativa do crescimento). Oeste (poente), é também uma boa direcção, em particular para crianças muito activas. Iluminação: as luzes devem ser focos virados para cima, particularmente se colocadas nas paredes, dado que fornecem uma iluminação mais global e bem distribuída. Tanto quanto possível deve evitar-se candeeiros em metal, que conduzem duma forma mais acentuada a energia electromagnética e a electricidade estática. É importante que a luz seja a suficiente para que a criança não tenha dificuldade em ver os brinquedos, nomeadamente quando está a brincar no chão, mas que não seja demasiada, permitindo redução à hora do deitar. Uma luz de presença pode ser uma boa companhia, mais pela referência que representa do que pela iluminação que produz. Janelas: devem ter cortinados de algodão, de preferência de enrolar; assim podem ser levantados durante o dia, criando uma atmosfera mais activa, e descido durante a noite, para que a criança possa dormir melhor, sem luzes exteriores (por vezes inevitáveis nas cidades, dada as múltiplas fontes de iluminação da rua). Soalho: evitar se possível o uso de alcatifas, dada a acumulação dee de ácaros, bolores, etc. O soalho em madeira é o mais saudável e o mais fácil de limpar. Poderá haver uma zona de linóleo ou material equivalente, para certas brincadeiras que requerem superfícies deslizantes. Cor das paredes: os tons de azul (não demasiado escuros) são particularmente bons; nuances de verde ou amarelo podem também ser utilizadas. Não é obrigatório todas as paredes terem a mesma cor. Mobília: se possível devem ter os cantos arredondados, para diminuir o risco de acidentes e cores vivas. Ambos ajudam a criar uma atmosfera harmoniosa. Camas: se houver mais do que uma criança no mesmo quarto, é importante que durmam com a cabeça virada para o mesmo lado; a cabeceira deve estar encostada a uma parede; as camas devem ser em madeira. Não se deve deixar as camas por fazer durante o dia e, se possível, evitar arrumar tralha debaixo da cama; se isso tiver de acontecer, certifiquem-se que regularmente reem o que é realmente necessário e se desfazem do que já não é útil, para além de não deixar acumular pó e sujidade. Tecidos: não utilizar lençóis ou fronhas de almofada em material sintético, apenas de algodão. Os cobertores devem também ser de materiais naturais O colchão, se em algodão maciço, permite que o sono seja mais reparador e que a transpiração se dê de uma forma adequada. Os edrees são uma excelente opção, mas há que atender ao material interior (pode a criança ser alérgica às penas, por exemplo), e ao grau de aquecimento e absorção da humidade e suor.À noite as crianças suam mais. Guarda-brinquedos: colocar umas quantas caixas (em madeira, se possível), de forma a que a criança aí guarde todos os brinquedos antes de dormir, de forma organizada. Durante o dia os jogos estarão sempre disponíveis e à noite deixarão o quarto livre, para que o ambiente seja mais estruturado e o sono com menos alerta e mais profundo.   Ler Mais...

Ondas

Depende das praias... e dos dias... É possível que o vosso filho tenha medo do mar por causa das ondas. Lembrem-se que, além do barulho que fazem, proporcionalmente uma onda de metro e meio é como se fosse uma de três metros para nós... e isso assusta, até porque a onda tem um movimento especial, quando rebenta, um movimento de engolir ou de atacar. Quando passearepela praia, brinquem com as ondas e com o seu espraiar na areia, para que as crianças percebam o ritmo das ondas e aprendam a fugir da água da rebentação. Cuidado também com os dias de grande ondulação, quer para banhos, quer para desportos aquáticos. Sigam as instruções do nadador-salvador e das bandeiras da praia e façam os vossos filhos respeitar essas indicações - expliquem-lhes que esses sinais não estão ali «só para chatear». Ler Mais...
E possivel as feses sairem pela vsgina | Para Pais.