Resultados para: "e da barriga pod ser gases"

Você está a ver bebé , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa e da barriga pod ser gases. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, ver parto normal ver tudo, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Gases

Há alguma razão no que o pai do Carlos me contou - e que o dito filme relatava. Os hidratos de carbono, que constituem a parte principal da alimentação das crianças, começam a ser digeridos pela saliva, na boca, com a mastigação. Algumas crianças produzem menos saliva e, sobretudo, têm mais dificuldade em mastigar, muitas vezes por causa da falta de dentes, mas também por terem menos força muscular. Outras vezes engolem os alimentos, tipo «aspirador», não chegando a misturá-los com as enzimas das secreções salivares. Assim, os hidratos de carbono, quando chegam ao intestino, estão numa fase ainda precoce de digestão, sendo um alvo preferencial das bactérias, que os desdobram e produzem gases - um pouco como acontece com as leguminosas (feijão, ervilhas, etc.) que são comidas com casca. E produzindo-se mais gases, eles têm de sair. Finalmente, o pior controlo dos esfíncteres, pelas crianças, e a falta de hábito e preguiça de irem à casa de banho fazem com que a criança tenha mais dificuldade em conseguir reter os gases, soltando-os «a granel». Além disso, a censura social não é tão grande como em relação aos adultos, de forma que a pressão para limitar esse comportamento não é também muito intensa. Ler Mais...

Giardíase

A giardia lamblia é um parasita microscópico que se prende às células da bordadura do intestino delgado, causando má absorção das gorduras e hidratos de carbono, com consequente diminuição de peso, fraqueza, etc. A transmissão da giardia faz-se pela água, dado que o parasita é muito resistente ao cloro e ao frio. As crianças deste grupo etário estão três vezes mais em risco do que os adultos. Os sintomas de giardíase são os da má-absorção (carência de lípidos e suas vitaminas, hidratos de carbono, minerais, etc.), com sinais em vários sistemas e órgãos. As alterações das fezes da giardíase podem ser diarreia ou, frequentemente, umas fezes incaracterísticas, pastosas, podendo mudar de dia para dia. Podem aparecer dores musculares, gases, aumento do volume da barriga (pelos gases), perda de apetite, náuseas e febre baixa. A giardia pode facilmente passar dos cães para as pessoas e entre estas, nos infantários e jardins-de-infância. A água e os alimentos infetados pelas mãos, depois da limpeza de fezes, por exemplo, se não houver uma lavagem de mãos eficaz, são fontes de contaminação. As análises fecais mostram os quistos de giardia. Tem de haver três colheitas. O tratamento é feito com um anti-helmíntico. Só em casos graves será necessário fazer exames mais complicados, como a biopsia intestinal. A criança só deverá voltar à escola após 5-7 dias de tratamento, e com uma análise negativa. Ler Mais...

Quando devo pôr o meu bebé de barriga para baixo?

Mesmo um recém-nascido pode passar algum tempo de barriga para baixo quando estiver acordado para ajudar a fortalecer o pescoço e os ombros e para ajudar a controlar a cabeça. É importante que o seu bebé não passe o tempo todo deitado de costas, pois com o passar do tempo pode deformar a cabeça e "achatá-la" num dos lados. Quando for mais velho, deitá-lo de barriga ajudá-lo-á a aprender a gatinhar. Supervisione-o durante "o tempo de barriga para baixo" e esteja pronta para ajudar se ele se cansar ou ficar frustrado; irá gradualmente ficando mais forte. Contudo, nunca ponha o seu bebé de barriga para baixo para dormir, pois isso pode aumentar o risco de morte súbita. Ler Mais...

O efeito estufa

O efeito estufa ocorre quando o calor dos raios que atingem a terra fica «apanhado» na  nossa atmosfera por certos gases, os quais atuam como se fossem um cobertor permeável, mas apenas num sentido. Sem essegases atmosféricos, os raios solares seriam irradiados novamente para o espaço. Os gases naturais do efeito estufa incluem o dióxido de carbono, o metano, o óxido nitroso e o vapor de água. Todos eles existem em pequenas quantidades na atmosfera. O problema começa quando, por qualquer razão, geralmente por efeitos da acção humana, esses gases são produzidos em quantidadeexcessivas. Além disso, há problemas com gases fabricados pelo homem, como os clorofluorocarbonos (CFC), os quais estão a ser felizmente banidos, mas que ainda são usados em aerossóis, espuma de plástico, frigoríficos e ares-condicionados. Algumas moléculas de CFC são 10 000 vezes mais potentes do que o dióxido de carbono no seu efeito de estufa. Além disso, as moléculas de CFC destroem a camada de ozono da atmosfera (uma só molécula de CFC é capaz de destruir dezenas de milhares de moléculas de ozono); a rarefacção da camada de ozono é suficiente para provocar um aumento das radiações em países onde nunca se tinha pensado sequer nisso - veja-se os países nórdicos, a Austrália, a própria Escócia -, com grande perigo para o homem. A incidência de cancro de pele e das queimaduras solares, bem como as lees da retina, estão a aumentar, como resultado do aumento das radiações nocivas ultravioletas que não são filtradas por essa camada de ozono rarefeita. O efeito estufa levará a aumentos da temperatura do globo, da ordem dos 1,3°C, no ano de 2030, e de 3°C no ano de 2070. Falta tanto tempo e é apenas um ou dois graus, dirão os mais incrédulos. Mas esse aumento é suficiente para produzir alterações climáticas maiores do que as que aconteceram nos últimos 10 000 anos e, em consequência, o nível do mar subirá cerca de 1 metro. Ler Mais...

Emissões de gases

Os poluentes resultantes da emissão de gases vêm sobretudo dos fumos dos tubos de escape e incluem o monóxido de carbono, o óxido nítrico e outros. Estes poluentes acabam por ir parar aos pulmões e causam lees. O chumbo que é exalado para a atmosfera, apesar de constituir ainda um problema, tem estado a diminuir devido à crescente utilização de combustíveis sem chumbo. Embora seja cientificamente difícil estabelecer uma relação directa entre os poluentes e as doenças, dado que existem vários factores, positivos e negativos, que devem ser equacionados e devidamente pesados, sabe-se no entanto que as crises de asma, por exemplo, são mais frequenteem crianças vivendo em ambientes próximos de auto-estradas ou de vias de comunicação de tráfego intenso. Quanto a outras ações - por exemplo cancerígena -, já é mais complicado estabelecer uma prova direta, mas é de prever que qualquer agente que seja agressor tenha maior probabilidade de induzir o aparecimento de células alteradas e cancerígenas. Sublinhe-se que os gases e metais poluentes são mais pesados do que o ar, tendendo a acumular-se ao nível do chão e em alturas pequenas... precisamente as zonas de respiração das crianças que andam a pé ou que vão em cadeirinhas e carrinhos de bebé. Os adultos estão mais defendidos e nem sempre se dão conta do grau de poluição de uma determinada rua onde estão a passear. Isto sem falar no efeito estufa. Ler Mais...

Hérnias

Uma hérnia é uma saliência, arredondada, que resulta quando um tecido subcutâneo é fraco, permitindo ao órgão subjacente que saia um pouco através desse espaço. Para além do efeito estético, o grande problema das hérnias (sobretudo as inguinais) é poderem estrangular, ou seja, o intestino sai pela parede enfraquecida, mas depois tem dificuldade em regredir, sobretudo se o anel da hérnia estiver fibroso e duro. Neste caso, o intestino fica apertado e pode necrosar e causar uma emergência médica, com rápida deterioração do estado geral. As hérnias mais frequentes são as umbilicais e as da linha branca (por cima do umbigo) e as inguinais, que migram para dentro do escroto, seguindo o caminho normal do testículo. À medida que a criança cresce, a pressão abdominal desce (por menos episódios de choro e menos gases intestinais) e a hérnia começa geralmente a ficar pequena, desaparecendo na maioria dos casos. As hérnias de linha branca são por vezes compridas e apresentam-se como uma protuberância alongada, para cima do umbigo. Diminuem e desaparecem com a tonificação dos músculos da barriga. As hérnias inguinais podem ser mais complicadas. O primeiro sintoma costuma ser um alto, que os pais confundem amiúde com um gânglio, na região interior da coxa. É duro, pode causar dor, e colocando o dedo sente-se se a criança tossir. Por vezes é possível empurrar para dentro e ouve-se um som de gorgolejo. As hérnias têm tendência a sair quando a criança faz esforço (obstipação, birra, gases, choro intenso). Perante o achado de uma hérnia, é conveniente consultar um cirurgião pediatra, para ter um ponto de partida para encarar eventual correção cirúrgica. As hérnias umbilicais nunca estrangulam e a sua correção faz-se pelos 5 anos, e apenas por razões estéticas. Ler Mais...
E da barriga pod ser gases | Para Pais.