Resultados para: "crianca sem febre mas barriga qunte"

Você está a ver bebé , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa crianca sem febre mas barriga qunte. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Como se manifesta

Os sintomas de uma pneumonia bacteriana aparecem subitamente e podem incluir dor torácica, febre, arrepios, dificuldade respiratória e aumento da frequência cardíaca. Quando surgem estes sintomas, há que suspeitar de uma pneumonia. São sinais de gravidade, mesmo de emergência médica, incluem febre muito alta, cor da pele arroxeada, prostração, confusão mental. Se com a tosse vier pus ou sangue, deve levar-se a criança imediatamente à urgência. Quando a pneumonia é nos lobos inferiores, um dos sintomas dominantes pode ser a dor na barriga que, juntamente com a febre, os vómitos e a prostração simulam frequentemente apendicite aguda. As pneumonias causadas pelo Mycoplasma são um pouco diferentes, mais parecidas com a gripe, com cansaço, febre não muito alta, dores de garganta e diarreia. A tosse é seca e repetida, e prolonga-se durante semanas. Ler Mais...

Escarlatina – Quais são os sintomas?

A criança aparece com febre alta dores de cabeça ou de barriga, dificuldade a engolir, falta de apetite, mal-estar e a língua muito encarnada, quase «escarlate». Depois de umas horas ou escassos dias, a língua fica branca, a febre mantém-se e aparecem pequenas manchas, como pequenos pontos, poupando a zona à volta da boca e do nariz, mais concentradas no sangradouro (braços). Depois a febre desce, e a criança começa a melhorar, porque na quase totalidade dos casos o diagnóstico é feito e a terapêutica instituída. Nos raros casos, actualmente, (frequentes há décadas) em que a doença seguia o seu curso, também curava espontaneamente, apesar de mais dias de enfermidade, Só que ficava o risco do aparecimento de febre reumática, e das lesões do coração ou dos rins. geralmente muitos anos depois da escarlatina. O mesmo se passava, aliás, com amigdalites estreptocócicas não tratadas. Passados alguns dias, a pele começa a descamar, voltando a ter o aspecto inicial. Ler Mais...

Sintomas e sinais de alarme

Em primeiro lugar, há que saber quais os sinais e sintomas que devem levar a criança IMEDIATAMENTE ao médico: - convulsões - cianose (a criança ficar arroxeada) - dificuldade a respirar (vêem-se as costelas a ir para dentro, e as «asas» do nariz a abrir. A criança tem «fome de ar», piora ou faz muito barulho a respirar) - choro prolongado, grito (diferente do choro forte) ou gemido - sonolência demasiada sem razão aparente - prostração -não responde a estímulos como sorrir -recusa repetida de mamar (em crianças pequenas) -hipotonia (moleza exagerada, sem força no corpo - segurando-se pela barriga, costas para cima, parece um «boneco de trapos») -dores de cabeça que interrompem as brincadeiras ou que acordam durante a noite - febre alta (superior a 40°C rectal ou 39,5°C axilar) há mais de 3 dias completos; -sinais de desidratação olhos encovados, fontanela deprimida, pele com perda de elasticidade (especialmente na barriga), sede intensa, boca seca, urinar pouco (menos número de fraldas molhadas do que o costume). Se não houver qualquer destes sintomas mas existir a combinação de dois ou mais dos sinais e sintomas que se listam seguidamente, então a criança deverá ser levada ao médico dentro das 24 HORAS seguintes: - sibilância a respirar (pieira) - tosse muito incomodativa - irritabilidade - vómitos - diarreia intensa - lesões cutâneas generalizadas (exantemas, borbulhas, babas) - febre mantida acima de 40° rectal ou 39,5° axilar Em caso de dúvida, é preferível a criança ser observada de imediato por um médico. Ler Mais...

Sinais e sintomas

Os sintomas típicos de amigdalite são:
  • febre (pode ser baixa, mais característica das amigdalites virais, ou alta, mais frequente nas bacterianas);
  • dor de garganta, especialmente a engolir e com alimentos ácidos, quentes ou duros, podendo ser uma dor de tal modo intensa que a criança não come praticamente nada;
  • tosse seca, vómitos, dores de barriga, inchaço dos gânglios debaixo da mandíbula;
  • dores de cabeça e sensação geral de mal-estar.
Se se pedir à criança para abrir a boca e se ao apontar uma luz, virem as amígdalas, elas estarão aumentadas de volume, vermelhas e, às vezes, com pontos brancos (mesmo nos casos em que sim, é geralmente apenas depois de dois dias de doença). Ler Mais...

Febre

O que é a febre? A febre é um sinal importante. Ao contrário do que se pode pensar, a febre é uma resposta biológica muito complexa a um grande número de agentes externos e disfunções internas. É um dos sintomas mais frequentes nos grupos etários infantis. A elevação da temperatura tem um papel muito importante na luta contra a infecção, por exemplo, através de: - diminuição do ritmo de crescimento de certos vírus, bactérias e fungos - alterações estruturais nos microorganismos, que os inativam - diminuição da produção de fatores de virulência - aumento da actividade das defesas imunológicas - aumento da actividade dos antibióticos A febre não é uma doença, é um sinal. A ansiedade dos pais e o desejo de dar um antipirético fazem com que, muitas vezes, se hipermedique a febre, apesar dos crescentes conhecimentos científicos que sugerem que esta atitude, além de comportar alguns riscos, é, em muitos casos, desnecessária e ineficaz. Ler Mais...

Dores de barriga

Dói-me a barriga» é uma queixa muito frequente, nas crianças entre o 2 e os 5 anos. E como a dor é algo de subjetivo, é sempre difícil aos pais conseguirem ter uma dimensão real da situação. É sempre importante pensar nas questões que levantei acima, e que dizem respeito a qualquer dor. No entanto, a ausência de outros sintomas ou sinais, por exemplo, não significa que a dor seja leve ou irrelevante, ou de origem psicológica e emocional. Na maioria dos casos, as dores de barriga não traduzem nenhuma doença grave. Algumas dores são mesmo fisiológicas, correspondendo a movimentos mais intensos do intestino, que funciona por contrações (designadas por movimentos peristálticos) que fazem com que o conteúdo fecal avance de uns segmentos para os outros. O estômago também é um músculo e ao contrair-se pode provocar dor. Outro aspeto a ter em conta é se as dores de barriga são comuns ou não. Algumas crianças têm movimentos peristálticos fortes, que têm exclusivamente a ver com a maneira de funcionar do tubo digestivo (assim como algumas são mais obstipadas e outras menos). Uma dor de barriga numa criança que nunca se queixa pode ter um significado diferente de uma dor numa que é «presa» e que todos os dias se queixa antes de ir à casa de banho. Se a dor for forte, violenta, em jejum, se aparece em «ondas» de agravamento e relativa acalmia, com diarreia ou vómitos contínuos, febre alta, sangue nas fezes ou desidratação, quebra do estado geral e progressivo agravamento, há que levar a criança ao médico imediatamente (ver Apendicite, Gastroenterite, Helicobacter, Invaginação intestinal, Obstipação). Enquanto se espera pela evolução, quando não há sintomas ou sinais de gravidade, pode dar-se paracetamol ou antiespasmódico. No entanto, há que ter cuidado para não se mascarar o quadro, quer dando antibióticos (se for uma apendicite, por exemplo, adia-se o diagnóstico, com efeitos nocivos), quer anulando a dor que é, afinal, um sinal importante para avaliar o quadro. Ler Mais...
Crianca sem febre mas barriga qunte | Para Pais.