Resultados para: "como saber que tem infeccao em cirurgia"

Você está a ver gravidez , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa como saber que tem infeccao em cirurgia. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

O que pode afectar a fertilidade de uma mulher?

Condições como a síndrome do ovário policístico (um desequilíbrio hormonal que provoca quistos no ovário) e a endometriose podem prejudicar a fertilidade. Outros desequilíbrios hormonais, como baixos níveis de FSH e LH podem afectar a ovulação; ou os níveis de progesterona podem ser demasiado baixos para reter um ovo fertilizado. Trompas de Falópio danificadas, devido a uma gravidez ectópica, cirurgia endometriose ou doença inflamatória pélvica, a qual pode ser causada por uma infecção como a clamídia podem evitar a concepção. Ovários danificados podem resultar de cicatrizes devidas a uma cirurgia ou infecção ou o fornecimento de ovos pode ser baixo. Algumas mulheres têm uma malformação do útero ou têm cicatrizes uterinas, que podem prejudicar a implantação de um ovo com sucesso. Ler Mais...

Todas as mulheres podem amamentar? A minha mãe diz que não conseguia.

A maioria das mulheres consegue amamentar. Pode concluir que o sistema de cuidados maternos impediu que a sua mãe amamentasse, pois houve uma altura em que diziam às mães para dar de mamar só de quatro em quatro horas. Aprender o mais que puder sobre a amamentação, com antecedência, irá dar-lhe mais hipóteses de ser bem-sucedida, Um mito comum é que o tamanho dos seios afeta a capacidade de amamentar, mas isso não é o caso. Uma cirurgia aos seios pode afetar a amamentação, mas mesmo depois da cirurgia mais invasiva é possível que uma porção das glândulas e canais originais se mantenham intactos. Espero que venha a ter confiança suficiente para tentar amamentar. Ler Mais...

E os chamados «sapinhos»?

Muitas bebés, especialmente nos primeiros meses de vida, têm «sapinhos», ou seja, uma infecção por fungos. Como os bebés produzem pouca saliva nos primeiros dois a três meses de vida, o ambiente da boca fica mais propício à infecção por este fungo, muitas vezes também na sequência de uma tetina ou chupeta mal esterilizada. Como a infecção se propaga a todo o tubo digestivo, a região anal pode aparecer avermelhada. Os «sapinhos» tratam-se com solutos antifúngicos ou um líquido roxo que se vende nas farmácias. Convém aplicar uma pomada antifúngica no períneo do bebé, se estiver vermelho. Se está a ser amamentado ao peito, convém a mãe lavar bem o peito e aplicar ela própria uma pomada após a mamada, pois o peito poderá ser um dos reservatórios dos fungos. A candidíase oral não tem qualquer perigo mas pode ser incomodativa e convém ser tratada. Ler Mais...

Não tenho tido problemas, mas não quero passar pelo parto. Posso optar por uma cesariana?

Se não houver causas médicas para uma cesariana e isso for simplesmente devido ao seu medo das dores do trabalho de parto, então optar por uma cesariana é uma opção drástica. Uma cesariana é uma cirurgia abdominal e, embora por vezes seja preferível, não é um método favorável por várias razões, como o risco de problemas pós-operatórios resultantes da cirurgia, um maior risco de problemas secundários de fertilidade, ou de o segundo bebé ter de nascer por cesariana, e um risco aumentado de depressão pós-parto. Seria melhor falar com a sua parteira sobre as opções disponíveis para aliviar a dor e assegurar-se de que terá a que mais lhe convier. Ter consigo durante o trabalho de parto alguém que conheça e em quem confie pode reduzir imenso a sua ansiedade. Se, mesmo assim, sentir que não consegue passar pelo trabalho de parto, pode ter de falar com o seu obstetra pois a decisão final deverá ser dele. Ler Mais...

Depois da minha cesariana quando poderei conduzir?

Em geral julga-se que o melhor é esperar cerca de quatro a seis semanas antes de voltar a conduzir, depois de uma cesariana, embora não haja nenhumas diretrizes específicas sobre o assunto baseadas em pesquisas. Sugerimos que espere até se sentir completamente recuperada da operação e até se sentir capaz de fazer manobras de condução como inversão de marcha e estacionamento, assim como paragens de emergência, sem sentir pânico ou desconforto. Também precisará de se sentir confortável com o cinto de segurança pois este fica diretamente sobre a zona da sua cicatriz. Também deverá contactar o seu médico para saber o que ele aconselha, pois os movimentos da condução podem exigir demasiado dos abdominais dentro do período que se segue a uma grande cirurgia como a cesariana. Ler Mais...

Quinta doença – Como e em quem aparece a doença?

Qualquer pessoa pode infectar-se, mas a doença surge mais frequentemente nas crianças. O vírus passa das pessoas infectadas para as outras, através da saliva, das secreções nasais e dos «perdigotos», ou seja, tal e qual como uma banal constipação. A pessoa infectada é contagiosa desde a semana antes de aparecerem os sintomas até ao início do exantema, ou seja, é muito difícil isolar os infectados porque não aparentam qualquer doença. Portanto, na fase de «cara em bofetada» a criança já não é contagiosa, podendo frequentar a escola, se estiver bem. A infecção pelo parvovírus humano B19 parece dar imunidade vitalícia e cerca de 50% dos adultos têm anticorpos contra o vírus, o que significa que já tiveram a infecção (provavelmente em crianças). Ler Mais...
Como saber que tem infeccao em cirurgia | Para Pais.