Resultados para: "cabeca bebe quente e sem febre"

Você está a ver criança , grávida e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa cabeca bebe quente e sem febre. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

A que temperatura deveestar a nossa casa quando trouxermos o nosso bebé?

É difícil para os bebés manterem a temperatura do corpo. As unidades maternas estão muito aquecidas pois estão a lidar com bebés que acabaram de nascer e que ainda estão bastante molhados do parto. Uma vez em casa, deve manter a temperatura do quarto a cerca de 16-20°C, pelo que poderá achar conveniente a compra de um termómetro de ambiente. Os bebés correm risco de morte súbita se estiverem demasiado quentes por estarem num quarto muito aquecido ou com demasiada roupa. Contudo, a temperatura do quarto é só uma indicação, e você deverá aprender a verificar por outros sinais se o seu beestá demasiado quente ou demasiado frio Como guia, as mãos e os pés do bebé devem estar frios e a cabeça deve estar quente pois ele tem tendência a perder calor pela cabeça. Verifique a temperatura do bebé colocando as costas da sua mão no peito dele, mas não os dedos, que podem estar frios. Se sentir o seu bequente, é provável que esteja suficientemente aquecido. Se estiver demasiado quente ou transpirado, retire uma camada de roupa ou um cobertor ou lençol. Se estiver frio, adicione uma camada. Os edrees não são recomendados até o bebé ter pelo menos um ano, para evitar sobreaquecimento. Se o seu beestiver maldisposto, quente ou com tremuras, a sua reação imediata deverá ser embrulhá-lo e embalá-lo, mas isso pode aquecê-lo demasiado. Em vez disso, retire alguma roupa para que o bebé possa arrefecer. Procure ajuda médica de imediato se a temperatura do bebé for superior a 39°C ou se ele não reagir. Ler Mais...

Escarlatina – Quais são os sintomas?

A criança aparece com febre alta dores de cabeça ou de barriga, dificuldade a engolir, falta de apetite, mal-estar e a língua muito encarnada, quase «escarlate». Depois de umas horas ou escassos dias, a língua fica branca, a febre mantém-se e aparecem pequenas manchas, como pequenos pontos, poupando a zona à volta da boca e do nariz, mais concentradas no sangradouro (braços). Depois a febre desce, e a criança começa a melhorar, porque na quase totalidade dos casos o diagnóstico é feito e a terapêutica instituída. Nos raros casos, actualmente, (frequentes há décadas) em que a doença seguia o seu curso, também curava espontaneamente, apesar de mais dias de enfermidade, Só que ficava o risco do aparecimento de febre reumática, e das lees do coração ou dos rins. geralmente muitos anos depois da escarlatina. O mesmo se passava, aliás, com amigdalites estreptocócicas não tratadas. Passados alguns dias, a pele começa a descamar, voltando a ter o aspecto inicial. Ler Mais...

Sintomas e sinais

Os sintomas e sinais da doença dependem da idade da criança e também do agente causador. Na criança com mais de ano e meio, a doença começa de forma brusca, com febre, vómitos, dores de cabeça, aversão à luz e grande prostração. A primeira manifestação pode, por exemplo, ser uma convulsão ou perda de consciência. Na observação médica ressaltam os chamados sinais meníngeos, entre os quais a rigidez dos músculos da nuca quando se flete a cabeça. Nas crianças mais jovens há febre, gemido, vómitos, irritabilidade ou prostração, palidez e frequentemente convulsões. O achado médico mais significativo é a chamada hipertensão da fontanela, ou seja, a «moleirinha» está abaulada e proeminente. Em algumas meningites, especialmente as provocadas pelo meningococo, podem aparecer lees da pele - hemorragias (tipo picada de alfinete, que são chamadas «petéquias», ou maiores, tipo nódoa negra, que se designam por «equimoses»), queixas gastrointestinais ou outras. Ler Mais...

Conselho sobre queimaduras

E necessário que as crianças, a partir do ano, ano e meio, tenham a perceção do que é «estar quente», mesmo que a proteção seja essencial e não se possa confiar na educação. Para distinguir o quente do frio, e acompanhar essa sensação de um «canto de aviso» dos pais, pode encostar-lhe a mão a um objeto morno (morno!), como uma caneca com líquido, e dizer, com ar escandalizado: «Cuidado! Está quente. Pode queimar!» A criança aprendee sentirá o calor que irradia de fontes de aquecimento. Mas claro que não se pode confiar apenas neste sentido. Ler Mais...

Berços e camas

Nas primeiras semanas o bebé deverá dormir num berço, dado que a cama é demasiado grande e pode provocar um sentimento de «perdido». Uma hipótese, para quem não tem berço, é colocar a alcofa do bebé dentro da cama. Um pequeno truque, para habituar o bebé à cama dele, é deitar umas gotas do perfume da mãe na cama do bebé, ou deixar uma peça de roupa da mãe. Quando o bebé cresce, ter um elemento de pertença e de orientação é importante. Uma fotografia dos pais colocada à altura do olhar do bebé ou pendurada na cama pode servir para acalmar um bebé que se sente angustiado e só. Muitos bebés acordam com frio. Não um frio intenso, mas o suficiente para se sentirem mal. Por isso é mais importante aquecer o bebé do que a cama. A partir dos 5 meses, mais coisa menos coisa, os bebé vira-se, dá voltas na cama, acorda com a cabeça para o lado dos pés e atira com os cobertores. É indispensável, no tempo mais frio, assegurar que o beestá quente, independentemente dos cobertores e lençóis. Existem uns «macacões» que têm pés, tipo «fato de astronauta», e depois bastará colcoar uma mantinha para o beestar sempre quente e, porventura, acordar menos vezes. É natural um bebé, nas primeiras semanas, ter as mãos frias. Isso tem a ver com o mecanismo de auto-regulação da circulação sanguínea. Se quiser ter a certeza de que o seu filho está bem, passe a mão no pescoço - se estiver quentinho, está tudo bem! Ler Mais...

Febre

O que é a febre? A febre é um sinal importante. Ao contrário do que se pode pensar, a febre é uma resposta biológica muito complexa a um grande número de agentes externos e disfunções internas. É um dos sintomas mais frequentes nos grupos etários infantis. A elevação da temperatura tem um papel muito importante na luta contra a infecção, por exemplo, através de: - diminuição do ritmo de crescimento de certos vírus, bactérias e fungos - alterações estruturais nos microorganismos, que os inativam - diminuição da produção de fatores de virulência - aumento da actividade das defesas imunológicas - aumento da actividade dos antibióticos A febre não é uma doença, é um sinal. A ansiedade dos pais e o desejo de dar um antipirético fazem com que, muitas vezes, se hipermedique a febre, apesar dos crescentes conhecimentos científicos que sugerem que esta atitude, além de comportar alguns riscos, é, em muitos casos, desnecessária e ineficaz. Ler Mais...
Cabeca bebe quente e sem febre | Para Pais.