Resultados para: "bebes com restos de partos"

Você está a ver bebé , alimentação e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa bebes com restos de partos. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, ver parto normal ver tudo, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Blocos de partos hospitalares – Cuidados dirigidos por parteiras

São blocos de partos dirigidos por parteiras sem equipamento de alta tecnologia, sem intervenção de pessoal médico, ou utilização de epidurais. Ao contrário dos centros de partos "autónomos" que podem estar a alguma distância de uma unidade hospitalar com equipamento de emergência, os blocos de partos hospitalares estão situados na zona de partos do hospital, ou perto, mas há muito pouca intervenção médica e os médicos não estão na unidade. Ler Mais...

Ecografia transfontanelar

A fontanela anterior é uma excelente janela para se «espreitar» o cérebro e as estruturas intracranianas, através de um método simples, inócuo e barato - a ecografia. Quando se suspeita de algum problema, ou nos bebés que tiveram gestações de risco, partos complicados, asfixia ao nascer, etc, é muito comum o médico pedir uma ecografia transfontanelar. Se a técnica é fácil, já a interpretação dos resultados é mais difícil, de maneira que este exame deve ser sempre feito por um ecografista com experiência e competência em bebés pequenos. Ler Mais...

O que pode correr mal se eu tiver um parto vaginal?

Se ambos os gémeos estiverem de cabeça para baixo, em geral o parto vaginal é possível. Algumas vezes, o primeiro gémeo pode estar de cabeça para baixo e nascer vaginalmente, mas o segundo gémeo pode estar em posição pélvica. Outras vezes, o segundo gémeo pode-se virar e ficar de cabeça para baixo depois do parto do primeiro gémeo e então terá mais hipóteses de ter ambos os partos vaginais. Estudos sugerem que tem havido um aumento significativo de partos de gémeos combinados vaginal-cesariana e uma diminuição de partos unicamente vaginais, o que pode ser devido ao facto de haver hoje em dia uma maior vontade de permitir às mulheres grávidas de gémeos tentarem ter um parto vaginal, o que também aumenta a possibilidade desse cenário. Se tiver um parto vaginal há uma maior probabilidade de um ou ambos os gémeos terem um parto assistido por ventosa ou fórceps, ou porque um ou ambos os gémeos estão numa posição difícil, por exemplo virados para as costas da mãe, ou porque o trabalho de parto pode ser mais longo e mais traço devido à quantidade de trabalho envolvida em puxar dois bebés, o que significa que a mãe deverá estar mais cansada e precisar de ajuda no fim do trabalho de parto. Ler Mais...

Estou grávida de trigémeos – os meus bebés irão precisar de nascer mais cedo?

Uma gravidez múltipla tem mais probabilidades de resultar num parto pré-termo e quantos mais bebés tiver, maior o risco de isso acontecer. O parto de trigémeos com menor risco (embora haja sempre um risco com todos os procedimentos médicos) é uma cesariana facultativa e, se isso for acordado com a sua parteira e o seu médico, será decidida uma data de parto de acordo com o que for melhor para si e para os seus bebés. Os médicos tentarão encontrar um equilíbrio entre os riscos associados ao parto prematuro, como o desenvolvimento dos bebés não estar completo, e o aumento de possibilidades de entrar em trabalho de parto natural conforme se aproxima da sua data de parto prevista. O seu especialista deverá discutir a altura certa para isso consigo e você deverá estar envolvida em todas as decisões. Cada unidade materna tem as suas próprias diretrizes, mas a decisão final será baseada não só na sua saúde mas também na saúde dos seus bebés. Isto assegura o nascimento dos bebés na altura ideal e reduz a possibilidade de ocorrerem problemas associados aos partos pré-termo. Ler Mais...

Ouvi falar de hospitais com pouco pessoal e de mulheres que não conseguem uma cama. É verdade?

Há problemas com falta de parteiras e de camas. Alguns hospitais empregam agora pessoal auxiliar e trabalhadores de apoio materno para apoiar as parteiras. Infelizmente, há alturas em que os blocos de partos estão cheios. Se não houver camas disponíveis, o pessoal descobrirá uma cama para si em qualquer outro hospital. Muitos hospitais têm unidades "irmãs" para as quais a poderão transferir. A maior parte dos blocos de partos não está cheia durante muito tempo e fará com que a transfiram de volta o mais cedo possível. Ler Mais...

Em que fase pode o meu bebé sobreviver fora do útero?

Até há pouco tempo, os bebés nascidos com menos de 28 semanas de gestação em geral não sobreviviam. Hoje em dia, com os avanços médicos em especial nas unidades de cuidados intensivos neonatais, bebés de 22 semanas de gestação têm sobrevivido fora do útero, embora isso ainda seja muito raro. Segundo as directrizes de muitos hospitais, 24 semanas é o limite de idade gestacional em que conseguem ressuscitar um bebé, a não ser que o bebé mostre sinais de vida no parto. Os bebés muito prematuros têm um risco aumentado de incapacidades, mesmo com os melhores cuidados médicos, e por vezes o próprio parto pode causar um enorme esforço ao bebé. Médicos, parteiras e enfermeiras com muita experiência serão envolvidos nos cuidados de partos prematuros. Se possível, o parto terá lugar num hospital com uma unidade dedicada aos cuidados intensivos neonatais (UCIN). Se isso não for possível, por vezes os bebés são transferidos para centros especializados quando estão suficientemente estáveis para serem transportados. Cada dia e cada semana são um marco para o seu bebé, e quanto mais perto nascer da data prevista para o parto, melhores são as probabilidades. Ler Mais...
Bebes com restos de partos | Para Pais.