Resultados para: "aperta o uter"

Você está a ver bebé , gravidez e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa aperta o uter. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, cesaria inflamada por dentro, gemeos escondidos barriga, cesaria inflamada, cesariana inflamada, colo do utero dilatado fotos, bucentinha infantil.

Tive uma indigestão terrível – porquê?

A progesterona, a hormona que relaxa os músculos lisos (músculos que controlam acções inconscientes) na gravidez, tem o desagradável efeito secundário de relaxar todos os músculos lisos do corpo, incluindo os do aparelho digestivo. As digestões lentas e o anel de músculos em cada extremidade do estômago tornam-se menos eficazes, o que pode causar azia e indigestões, pois os sucos ácidos do estômago sobem ao esófago. Além disso, o seu bebé em crescimento aperta tanto o seu estômago que fica com pouco espaço para digerir os alimentos. Para evitar a indigestão, coma pouco e várias vezes, coma devagar, não coma tarde de noite e evite alimentos gordos e condimentados. Em vez de se deitar ao comprido, apoie-se em almofadas. Fale com a sua parteira, médicos ou o farmacêutico sobre remédios seguros. Ler Mais...

A reação ao leite de vaca

Tem-se verificado existir em algumas crianças. Este tipo de leite está na base dos leites comerciais substitutos do leite materno, ou seja, do leite «de lata» que se dá aos bebés no primeiro ano de vida e também na alimentação da maioria das mães. Estas reações, sem geralmente chegarem a ser verdadeiras alergias graves, podem manifestar-se por cólicas. O intestino funciona em segmentos que, quando tudo está bem, estão coordenados quando um aperta o seguinte abre e, assim, o conteúdo intestinal avança. São os chamados «movimentos peristálticos». Estes segmentos intestinais são comandados por nervos. Enquanto este sistema ainda não estiver maduro e convém não esquecer que o intestino é um dos poucos órgãos que praticamente não funciona durante a vida fetal pode acontecer um segmento contrair-se mas o seguinte não estar dilatado. Resultado: a meio dá-se uma dilatação súbita que causa dor. Esta imaturidade intestinal é também uma das causas de cólicas no bebé pequeno. Ler Mais...

O que significa um parto “pele com pele”?

"Pele com pele" é uma frase que significa aninhar o seu bebé nu contra a sua pele nua. Muitas mulheres desejam ter um contacto "pele com pele" com os seus bebés logo a seguir ao parto. Isso pode ajudar a criar laços, a controlar a temperatura do bebé e a iniciar a amamentação. Desde que você e o seu bebé estejam bem, não haverá razão para não poder fazer isso – limpar o seu bebé, pesá-lo e vesti-lo pode esperar um pouco. Muitos médicos reconhecem agora a importância deste contacto "pele com pele" inicial e ajudá-la-ão a obtê-lo desde que você queira. Comunique as suas ideias e os seus desejos à sua parteira o mais cedo possível depois de ser admitida na sala de parto, para que ela possa planear o seu parto e possa tentar ir de encontro aos seus desejos. Ler Mais...

Criar rotinas

É essencial criar rotinas, porque o próprio elemento repetitivo é inerente à securização. Saber o que se vai passar a seguir ajuda a prever o futuro e tranquilizar, porque a seguir ao A vem o B, e por aí fora.... e antes de chegar ao Z já estamos a dormir. Tentem, quanto possível: • adotar uma rotina diária (que pode e deve ser quebrada de vez em quando); • fixar uma hora de deitar que tome em conta fatores a que não se pode fugir, como a hora a que os pais chegam a casa, hora de jantar, etc; • não deixar a televisão ser um factor relevante para marcar horários - aliás, a televisão não deve fazer parte da vida das crianças depois do início do telejornal; • começar os pormenores de rotina cerca de meia a uma hora antes de a criança se ir deitar e manter a ordem com que se faz as coisas; • deitar a criança e assegurar que o clima é de paz (se a criança vai para a cama no meio de discussões dos pais, de barulho da TV ou de grande confusão, dificilmente dormirá porque, ou está interessada no que se passa, nomeadamente nas guerras entre os progenitores, ou o barulhoo a deixa dormir, ou fica angustiada, sobretudo se pressente violência no ar; • uma vez a criança deitada, não ficar demasiado tempo com ela. As histórias e as cantigas devem ocorrer, ou antes de se deitar ou já na cama, mas prevendo que só excepcionalmente se contará ou cantará mais uma - a partir de certo tempo, quanto maior a permanência, pior e mais difícil será a separação; • ao despedirem-se da criança, os pais dizerem dizer sempre o mesmo: «Boa noite, dorme bem, está aqui o... (e dizem o nome do boneco que é o seu «delegado»). Não se devem ter demasiadas regras - para poder dar azo a alguma espontaneidade, mas manter a rotina de um beijo ou um mimo - sempre o mesmo. Esta rotina deverá ser usada também a meio da noite, quando a criança acorda; • se a criança se escapar da cama e aparecer por exemplo à porta da sala, apanhá-la o mais cedo possível, fazer uma expressão de desagrado, usar um tom de voz que não dê margem para dúvidas (não é berrar, pois isso é interpretado pela criança como falta de autoridade e acaba por ser um excelente argumento para vitimização) e voltar a pô-la na cama; • ignorar os primeiros apelos vindos da cama, respondendo com um «ó-ó!>», «schiu!», «dorme», em tom afectivo. Se todavia sentirem que o vosso filho está a entrar em desespero, terão de ir ao pé dele para o apoiar e dar mimo; • se, com o stresse, a criança vomitar - ótima maneira de pôr a família em alvoroço e esquema de manipulação muito utilizado -, deve-se limpar, mas sem demasiado alarido e, sobretudo, evitando o contacto olhos-nos-olhos com a criança; • se os vizinhos se queixarem, pior para eles... mas. se querem manter uma boa vizinhança, antes de serem eles a referir o barulho noturno que vem da vossa casa, sejam vocês a pedir-lhes desculpa pelas «toiradas» da vossa criança - esta jogada de antecipação desarma qualquer pessoa • por último, é fundamental que ambos os pais cheguem a um acordo em relação à estratégia a seguir. Se a criança descobre que há desavenças entre os pais há-de explorá-las até à exaustão, fazendo alianças com o progenitor que está mais perto de ceder ao seus caprichos e utilizando isso para desafiar o outro.   Ler Mais...

Fará mal ao meu bebé de dois meses se o deixarmos com os avós durante o fim-de-semana?

o, não fará mal ao seu bebé deixá-lo por uns dias com pessoas que o amam. Se estiver a alimentá-lo a biberão issoo terá qualquer problema, mas se estiver a amamentar poderá ser mais difícil. Primeiro, terá de ter a certeza de que o seu bebé gosta de tomar o leite pelo biberão, o que pode levar algum tempo se ele até agora só foi amamentado. Terá então de decidir se, enquanto estiver fora, ele irá tomar leite extraído ou leite de farmácia. Se tomar leite de farmácia, terá de o habituar antes de ir, e se continuar com o leite materno, terá de começar a extraí-lo com bastante antecedência e congelar algumas quantidades para que possa deixar leite com os avós. Além disso, se quiser continuar a amamentar, terá de levar consigo uma bomba de extração, material de esterilização e frascos para guardar o leite, para manter o seu fornecimento enquanto estiver fora. Se isto parecer demasiado complicado, pode levar o bebé consigo no fim-de-semana ou esperar até ele ser um pouco mais velho, e talvez já não estar a ser amamentado, antes de ir para fora sem ele. Ler Mais...

Dormir com segurança no terceiro trimestre

Pode ser difícil encontrar posições que sejam confortáveis e seguras no terceiro trimestre. Nesta fase, deve evitar deitar-se de costas porque o peso do seu bebé pode pressionar os seus vasos sanguíneos, comprometendo o fornecimento de sangue ao bebé e fazendo-a sentir tonturas e fadiga. Muitas mulheres acham que a melhor posição é deitada de lado com a perna de cima dobrada e com almofadas a apoiar o joelho para arranjar espaço para o abdómen. Isto retira o peso das suas costas e não restringe a sua circulação. Também pode colocar uma almofada debaixo da sua barriga. Ler Mais...
Aperta o uter | Para Pais.