Resultados para: "abortar com o dedo"

Você está a ver criança , bebé e / ou outros itens relacionados com a sua pesquisa abortar com o dedo. Encontre as melhores dicas para ajudar no desenvolvimento da sua gravidez. mulheres parindo dentro do hospital, ver parto normal ver tudo, cesaria inflamada por dentro, parto normal visto de frente, grávidas parindo parto normal, cesariana inflamada, gemeos escondidos barriga.

Chuchar no dedo ou na chupeta

Chuchar no dedo ou chucha é perfeitamente normal nas crianças. É um hábito que transmite segurança e regressão, como contrapeso aos desafios do crescimento e das ousadias. A maioria das crianças termina o hábito por volta dos 2 anos. Se istoo acontecer os pais devem começar a desencorajá-la para ver se a situação se resolve até aos 4 anos, todavia sem causar stresse, caso contrário a criança tenderá a regredir mais. Se o chuchar se prolongar acima desta idade, pode criar apinhamento dentário e alterações dos maxilares e da mordida. Todos estes hábitos podem ser nocivos para os dentes, se por um longo período de tempo. A chucha é mais fácil de ser retirada do que o dedo (que está sempre lá), portanto o afastamento do hábito de sucção do dedo requer mais consciência por parte da criança, força de vontade e a sua colaboração, o que poderá acontecer um pouco mais tarde. Por outro lado. o dedo é um recurso da criança enquanto a chupeta é um recurso externo. Enfim, um equilíbrio difícil a que será bom estar atento. Ler Mais...

Quando o seu bebé não quiser tomar os medicamentos

Arranje uma seringa (sem agulha) ou um dispensador, dos que se vendem nas farmácias e lojas de produtos para criança (ou que, por vezes, acompanham os medicamentos), e dê pelo lado da boca. O bebé irá engolindo, mesmo que entre dois choros, e não correrá o risco de se engasgar, cuspir ou vomitar. Se o bebé fechar a boca, deixe passar um bocadinho e aproveite um momento de choro. Não o violente, como por exemplo apertando o nariz ou assustando. Mas seja firme, fazendo entender que tem mesmo que dar o medicamento. Há momentos em que podemos transigir, outros não. Nenhuma criança aceita de bom grado, especialmente estando doente, tomar medicamentos, sobretudo à noite ou quando está a dormir. Tem que ser um exercício de paciência, mas também de querer. É para bem deles! Os supositórios são geralmente bem tolerados em bebés com menos de um ano, e não havendo diarreia, são sempre uma boa solução porque podem ser postos na muda da fralda; aos bebés com mais de 4-6 meses, dê um brinquedo para ele se relaxar. Uma coisa que o pode entreter é colar um adesivo no dedo. Ele tentará tirá-lo e o adesivo vai-se colando de dedo para dedo, entretendo-o; molhe sempre a ponta do supositório ou ponha um pouco de vaselina. Depois de empurrar o supositório e de o ver desaparecer, mantenha o ânus apertado durante uns momentos, para o supositório subir até à ampola rectal. Caso contrário sairá com o mínimo de força (como a que o bebé faz a chorar). As gotas ou pomada dos olhos têm mesmo que ser colocadas dentro dos olhos, e não «a fugir», deixando o produto cá fora. Ler Mais...

A minha mãe teve dois abortos – isso significa que eu tenho mais hipóteses de abortar?

Pergunte à sua mãe se lhe foi dada alguma explicação para os seus abortos. Se, por exemplo, ela sabe que foram devidos a anomalias cromossómicas, tal como a anemia falciforme, ou se foi um problema médico, tal como uma doença de coração, então há uma possibilidade de que o problema ser hereditário e o risco de aborto também poderá ser o mesmo para si. Contudo, é muito provável que os abortos da sua mãe tenham sido devido a ocorrências infelizes para as quais não foi encontrada qualquer razão. Se for este o caso, entãoo corre maior risco de aborto do que qualquer outra mulher da sua idade. No entanto, se engravidar, será aconselhável mencionar a história da gravidez da sua mãe na sua primeiro consulta pré-natal, pois o historial médico da sua família é uma parte importante das anotações médicas durante a gravidez. Ler Mais...

A escovagem dos dentes

A escovagem dos dentes é um dos métodos mais fáceis de prevenção da cárie e a limpeza da boca da criança deve começar o mais cedo possível, como referimos n'O Grande Livro do Bebé. Mesmo quando ainda não nasceram os dentes - ou mesmo tendo nascido alguns ainda há «muita gengiva» livre -, os pais devem passar com o dedo nas gengivas do bebé para que ele se habitue à manipulação da boca e, mais tarde, não estranhe a escova. A altura do banho é ideal para esta primeira abordagem. Enquanto só estão presentes os dentes da frente, a limpeza pode ser realizada com uma compressa molhada em água morna e enrolada no dedo da mãe (ou a ponta de uma fralda de pano). Nesta idade, a altura ideal é depois da última mamada, antes do intervalo noturno. Quando nascem os molares de leite (cerca dos 12-18 meses), deve iniciar-se a escovagem, duas vezes por dia – de manhã após o pequeno-almoço e à noite antes de ir dormir. A escovagem da noite é a mais importante, e depois dela a criança não deve comer nenhum alimento (nem mesmo leite que também contém açúcar), caso contrário ter-se-á que reiniciar o processo e repetir a escovagem. Ler Mais...

Esperei demasiado para poder abortar. É maldade dar o bebé para adopção?

A adopção é por vezes posta de lado como opção, mas algumas vezes é a melhor escolha para si e para o seu bebé. Os nove meses de gravidez dão-lhe tempo para explorar todas as opções disponíveis, incluindo a adopção voluntária temporária. Durante esse tempo poderá falar com os serviços de adopção e assistentes sociais que a podem informar sobre o processo e apoiá-la. Veja isso como um processo positivo, no qual você gosta tanto do seu bebé que lhe tenta encontrar os melhores cuidados, numa altura em que se sente incapaz de o fazer. Quando chegar a altura de tomar uma decisão final, tenha em conta que nunca o deve fazer durante a gravidez, pois está sujeita a uma série de emoções e sentimentos e ainda não se encontrou com o seu bebé ou sabe como se irá sentir ao fim de todo esse tempo. Fale com o seu médico para saber mais sobre o processo, os seus direitos e o seu direito de mudar de ideias. Ler Mais...

Dedo ou chupeta?

Sabem que alguns bebés nascem com calos no polegar? Parece incrível, mas isso apenas significa que, durante a sua estadia no útero materno, já chuchavam no dedo. ong>O dedo...ong> A esmagadora maioria dos bebés tem uma predileção especial por chuchar diria mesmo, em alguns casos, uma verdadeira obsessão. Estabelece-se com o dedo polegar (ou menos frequentemente com outros) um autêntico caso amoroso e o chuchar enquadra-se nas chamadas atividades de autocontrolo e de gestão do stresse. Tal como o uso da chupeta, o chuchar no dedo parece ser um problema maior para os adultos do que para as próprias crianças. Muitos pais interpretam estes sinais de uma forma demasiado rígida, como se pelo fato de chuchar no dedo ou na chupeta o seu bebé estivesse zangado. Nada de mais errado. Muitos dos bebés «chuchadores» são calmos, bem adaptados ao ambiente, tranquilos e simpáticos, sem quaisquer sinais ou sintomas de stresse mal gerido. ong>Os dentes...ong> Um dos receios dos pais está relacionado com os problemas dentários que podem surgir pelo facto de a criança chuchar no dedo, e é aqui que muitas vezes entram medidas dissuasoras, como produtos de sabor amargo, luvas ou outras formas de restringir ao bebé o acesso do dedo à boca. Como a prática se encarrega de demonstrar, estas medidas em pouco ou nada resultam. Até aos dois anos de idade, são raros os casos em que o dedo interfere com o desenvolvimento dos dentes. Contudo, a partir desta idade, e à medida que a criança cresce, chuchar no dedo pode, de facto, levar os incisivos superiores a ficarem mais salientes. ong>Medidas «heróicas»...ong> Há várias maneiras de tentar enganar a criança. Durante o dia, por exemplo, mantendo as duas mãos ocupadas, com jogos e bonecos, de modo a que se distraia e obtenha os diversos sucessos (na brincadeira, nos desafios) sem necessitar do seu companheiro. Pelo contrário, as constantes chamadas de atenção só servem para centrar a criança no problema e transformar uma coisa que tem um significado muito relativo, noutra bastante mais complicada. Quanto ao chuchar no dedo à noite, uma estratégia pode ser tentar substituir esse afeto pelo abraço a um boneco ou à almofada, retirando a vontade de chuchar (embora seja apenas passar de um «vício» para outro...)- Muitos psicanalistas dizem que, durante o sono, regressamos às nossas atividades mais primárias e ao útero materno - afinal o sítio onde nos sentíamos bem e para onde gostaríamos sempre de voltar. Os bebés que chucham no dedo na sua vida antenatal, provavelmente terão uma maior tendência para chuchar depois de nascer. Por outro lado, os estudos mostram que os bebés alimentados ao peito, que mamam à vontade durante a noite ou os que não começam a comer outros alimentos para além do leite antes de chegar a altura certa, têm menos tendência para chuchar no dedo. Para além das vantagens do que se consideram ser boas práticas, ainda vai permitir poupar em aparelhos dos dentes (que nãoo baratos...). ong>A chupetaong> O que se referiu para o dedo é válido para a chupeta. Algumas crianças são imediatamente confrontadas com ela, mal acabam de sair da sala de partos... ou quase. Muitos pais, quando o bebé nasce, estão já equipados com este objeto, até porque consideram que os hábitos adquirem-se desde pequenino, e então preferem que o bebé aprenda a não chorar de noite e a consolar-se de dia. As chupetas vieram substituir o dedo. Há, no entanto, alguns detalhes que convém saber. Quando um bebé se está a adaptar ao mamilo da mãe tarefa essa que pode demorar dias a introdução da chupeta poderá dificultar essa aprendizagem, pois para mamar na chupeta o bebé não precisa de abrir tanto a boca e, se utilizar a mesma técnica com o peito da mãe, vai extrair pouco leite, ficar com fome, causar stresse na mãe, o que leva a uma diminuição ainda maior da saída de leite, e ainda causar dores e gretar o mamilo da mãe. Por outro lado, o cheiro e a textura da borracha ou do material com que é feita a chupeta podem constituir uma fonte de confusão para a criança, na altura de pegar no peito. Será boa política evitar o mais possível a chupeta quando o bebé está a ser amamentado. Quanto à deformação dentária, existem chupetas ortodônticas, que são achatadas e interferem menos com a dentição, tendo também a vantagem de simularem melhor o mamilo materno. Claro está que nos casos em que o bebé está num caminho regressivo, esta semelhança ainda o convida mais a voltar para a barriga da mãe e a não crescer. Alguns estudos têm também demonstrado a maior ocorrência de otites em crianças que usam chupeta, em comparação com as que chucham no dedo. Embora este não seja o fator mais decisivo, é sempre uma coisa a ter em conta, dado o aumento da incidência de otites nos bebés que vivem em ambiente urbano (poluição, ambiente de casa, infantários, etc). Ler Mais...
Abortar com o dedo | Para Pais.