Saúde «Paterno-lnfantil»?



O bebé vai crescendo e. sobretudo depois do primeiro ano de vida, o pai passa a ocupar um espaço cada vez maior nas relações com a criança. É bom que se sinta competente e capaz de tal tarefa. É bom que a mãe também saiba isso. O envolvimento do pai com a criança é influenciado por diversos fatores interpessoais, sociais, culturais e econômicos. Uma influência importante é a relação conjugal. Uma elevada satisfação nas relações conjugais estimula os pais para um maior envolvimento nos cuidados aos filhos. Se, pelo contrário, sobrevêm sentimentos de competição, ciúme ou inveja, como o que acontece com tantos pais. que ficam ciumentos quando as mães amamentam, a vontade de se relacionar com os filhos decresce. Aliás, de modo geral, a mãe surge como figura moduladora e reguladora da intervenção do pai. Assim, curiosamente, quando as mães sentem que tiveram uma relação pobre com o próprio pai, tendem a estimular nos maridos uma relação mais forte com a criança. Com os pais é o contrário: a noção de um grande envolvimento dos seus próprios pais leva a um maior envolvimento da sua parte.

Os padrões que regiam os pais de há duas ou três gerações e há tantas e tantas antes destas – não são certamente os de agora, assim como a própria relação entre os cônjuges terá mudado radicalmente. Pensemos nos nossos avós e nos nossos próprios pais e vejamos as diferenças. São contudo os filhos os maiores beneficiários destas mudanças, pois passaram a ter a família completa quando muitos deles tinham antes uma mãe e «um senhor que estava lá em casa», para não dizer que estava completamente ausente.
Esse senhor é agora uma pessoa participante, que brinca, que apoia, que ajuda, que conversa, em quem os filhos podem confiar – e que desempenha um papel único e insubstituível.

Aproveitemos esta situação ao máximo e estejamos felizes porque, finalmente, podemos ser pais na plena acepção da palavra. É uma viragem histórica inolvidável porque não foi apenas a mulher que se libertou do seu desígnio histórico. O homem também.

Comentários

Saúde «Paterno-lnfantil»? | Para Pais.