Perguntas e Respostas Parte III



Dizem que uma criança se pode afogar sem se dar por isso. Mas não faz logo um escabeche, não se agita?

Não! O afogamento é silencioso. A criança não esbraceja, não grita e afoga-se rapidamente no mais profundo dos anonimatos. Por vezes faz um pouco de ruído, mas que é facilmente abafado pela algazarra das outras pessoas. E a ideia que estas coisas acontecem quando a criança está sozinha é errada.

O meu filho tem aulas de natação desde os 6 meses. Tem agora 4 anos e nada bem. Posso estar tranquila, quando vamos à praia?

Não. Deverá usar sempre braçadeiras, nas piscinas e praia, e colete salva-vidas em barcos, e enchê-los apenas depois de colocados. Não se deve confiar nas capacidades da criança, mesmo que nas aulas nade muito bem, porque perante uma situação de urgência, perde a coordenação dos movimentos e pode afogar-se.

Costumo passear com a minha neta, que tem 3 anos, num parque ao pé de nossa casa. Mas, volta não volta, vem um cão a correr. Que devo fazer?

Deve ensiná-la que, quando um animal se aproxima, correndo, ela não deve correr para o animal ou fugir dele o ensine-a a ficar calma, a não olhar diretamente para os olhos, e ficar quieta ou recuar devagarinho. Se o animal tentar mesmo morder, não deixe, mesmo que seja necessário usar a força. Ensine-a que, se o cão a derrubar, deverá enrolar-se em posição fetal, cobrir a cara com as mãos e ficar quieta.

As mordeduras de aranhas fazem mal?

As mordeduras de aranha podem deixar uma impressão desconfortável e algumas crianças podem mesmo adoecer gravemente se tiverem alergia a estes animais e às suas secreções. Desde dor e inflamação local a reações de choque, tudo pode acontecer se a criança for alérgica. O melhor é não provocar as aranhas e evitar que elas possam estar em locais onde a criança está mais vulnerável, como o quarto de dormir.

No sítio onde vamos passar as férias, há muitas meigas. Este ano estava a pensar em levar os meus sobrinhos, de 1 e 3 anos. O que pode acontecer se forem picados?

Na maioria dos casos, a picada de insetos desaparece no dia seguinte, dando apenas desconforto, dor e comichão, podendo surgir lesões de coceira e infeção. Se a picada é feita na pálpebra ou no lobo da orelha, o inchaço é enorme.

Em alguns casos pode ocorrer uma reação alérgica que pode ter de ser medicada no serviço de urgência. Os sinais de alarme são: inchaço de cara ou da boca e lábios, dificuldade em falar, engolir ou respirar, tonturas ou desmaio, ou dores abdominais, náuseas e vómitos.

Como posso lavar os olhos ao meu filho, de 4 anos, quando apanha poeira ou areia?

Incline a criança sobre o lavatório, com o olho virado para baixo, puxe com suavidade e sem pressas a pálpebra inferior, peça à criança para abrir o olho (para isso tem de a acalmar e dizer que vai tudo passar), e lave com água morna (quente, nunca! e fria faz retrair a criança) ou soro fisiológico, durante cerca de 15 minutos, interrompendo de 5 em 5 para ver se já está tudo bem. Se ao fim desse tempo a situação não estiver resolvida, é melhor ir a um serviço de urgência.

O que se deve fazer se uma criança bater com o olho e ficar negro?

O olho negro não corresponde geralmente a uma lesão grave. No entanto, se o trauma foi violento, pode haver lesão óssea ou das estruturas internas do olho. Deve aplicar-se compressas frias ou material gelado (mas não gelo diretamente) de modo intermitente – 5 minutos sim, 10 minutos não.

Se houver dor, apenas o paracetamol está indicado. Se a lesão for ligeira, há no entanto que ter em atenção o conforto da criança ao dormir, designadamente o encostar do olho à almofada que pode aumentar a dor e o inchaço.

Os sinais de alarme são: aumento da vermelhidão, secreções ou pus, dor persistente, alterações da visão ou sinais de que o globo ocular possa estar lesado.

Como posso suspeitar de uma fratura?

As fraturas são comuns, nas crianças, muito particularmente dos ossos longos (os dos membros) e das articulações do joelho e cotovelo. Algumas fraturas não chegam a ser completas (chamadas «em ramo verde»), mas têm de ser avaliadas e valorizadas.

Verifique se, quando se deu o traumatismo, a criança ou alguém ouviu um som de «crack», se há inchaço, hematoma, dor ao toque ou sensação de «alfinetadas», ou se há dor ao apoiar o membro ou a pressionara área afetada.

Comentários

Perguntas e Respostas Parte III | Para Pais.