Ocasiões especiais e simbólicas na família



Ano novo, vida nova…

Sempre que se aproxima o fim do ano começam-se a fazer projetos e promessas para o próximo. A ideia de iniciar um ano novinho em folha, imaculado, (ainda) não estragado por quaisquer atos ou omissões, impõe um certo respeito e, queira-se ou não, obriga-nos a repensar um pouco o que desejamos para o ano que se estreia, designadamente em que é que poderíamos ser melhores. Ano novo, vida nova, diz-se.

Não é obrigatório que assim seja, primeiro porque a nossa vida é um continuum, depois porque já temos uma vida com muitas coisas interessantes depois porque nem se conseguirá provavelmente uma «vida nova», já que a que temos está condicionada por muitos fatores que estão fora do nosso domínio, que se tornaria difícil mudá-la 180°. Nem isso será provavelmente necessário ou desejável.

A maioria dos pais, se se perguntasse como desejariam corrigir as suas vidas como pais, num novo ano que se inicia, apontariam objetivos tão altos como inatingíveis.

Ou seja desejariam ser pais perfeitos, impecáveis, que nunca cometeriam qualquer erro ou teriam qualquer dúvida, já agora também com filhos igualmente perfeitos, para que nunca acontecesse nada de anormal ou desagradável.

Ora isso não existe…isso, leia-se, pais filhos perfeitos. O ser humano é imperfeito por natureza e a função parental, apesar de muito intuitiva e instintiva, resulta do seu próprio exercício.

Numa palavra: para sermos melhores pais temos de ir sendo pais e contendo erros para aprender com eles, enfrentando dificuldades para na próxima saber torneá-las.

Assim, ao fazermos como pais o «exame de consciência» do fim do ano e a «lista de intenções» para o próximo, a primeira coisa é pensar: não somos tão maus assim nem o ano que passou foi tão mau assim, nem vamos desejar ser perfeitos nos próximos 365 dias porque, nem nós, nem o Ano, conseguiremos isso. Agora, o que podemos é pensar – duas ou três coisas em que há que melhorar a nossa atitude como pais, para que os nossos filhos disso beneficiem.

Comentários

Ocasiões especiais e simbólicas na família | Para Pais.