Posts found under: O Sono

Criar rotinas

É essencial criar rotinas, porque o próprio elemento repetitivo é inerente à securização. Saber o que se vai passar a seguir ajuda a prever o futuro e tranquilizar, porque a seguir ao A vem o B, e por aí fora…. e antes de chegar ao Z já estamos a dormir. Tentem, quanto possível: • adotar uma rotina diária […]

Ler Mais...

Uma história para adormecer

As histórias de fadas e bruxas (ou com outras personagens) fazem parte da noite e do adormecer. As histórias são empolgantes, como é empolgante e atemorizadora a passagem do dia para noite, da vigília para o dormir. Mas, na maioria das histórias, o Bem triunfa sobre o Mal – de uma forma simplista, convenhamos, mas própria do pensamento de […]

Ler Mais...

Hora de deitar

A vida faz-se de regras – para que as excepções e as respectivas transgressões à regra sejam mais apetecidas e gostosas. E bom que as crianças destas idades tenham uma hora mais ou menos constante de ir para a cama – e é a partir da regra que se estabelecerão depois as excepções. E se contarmos os rituais […]

Ler Mais...

Os ciclos do sono

A passagem do estádio de acordado para sono profundo, que nos adultos se faz rapidamente, não acontece na criança de 1-2 anos, salvo se estiver muito cansada. Assim, quando adormece fica um tempo em sono leve antes de aceder, depois, ao sono profundo. Este período vai diminuindo com a idade. Por volta dos 4-5 anos, já simplesmente «caem para o […]

Ler Mais...

Somos unidades autónomas

É difícil este dilema: querermos ser autónomos dos outros, mas, ao mesmo tempo, estarmos «colados» a eles. Sobretudo quando este «eles» são os nossos pais. A separação que se vai dando, desde o nascimento, do bebé relativamente à mãe (o pai surge como entidade à partida já destacada), tem momentos que funciona de maneira pendular: umas vezes para […]

Ler Mais...

Os pais estão aqui, mas não estão – uma fantasia muito grande para uma criança…

Adormecer é aceitar o tempo de separação, e qualquer separação só é vivida de forma saudável quando coexiste o sentimento de segurança. Foi logo a partir do 6.°-9.° mês – lembram-se? – que o vosso filho começou a saber que o objeto que foi escondido não tinha desaparecido e ia procurá-lo. Ou seja, sabia, como sabe agora, que embora não […]

Ler Mais...
O Sono | Para Pais.