O cinema



Para além dos filmes que vêem na televisão ou nos computadores, a ida ao cinema é outra coisa, e apesar de os filmes teoricamente serem para maiores de 4 anos, vale a pena pensar a partir dos 3, conforme a maturidade da criança, em levá-la a essa experiência diferente.

As vantagens de ir ao cinema são, para além do próprio filme, o ter contacto com uma atividade estruturada, em que o objectivo único é vê-lo, mas depois, também, com o ambiente que rodeia o «ir», desde o antes (como a compra do bilhete, que deixa as crianças excitadíssimas), ao depois (o lanche
ou jantar fora).

Crianças desta idade têm alguma dificuldade em se concentrar na televisão, porque é pequena, com definição insuficiente, e entre o ecrã e a criança há sempre numerosos estímulos visuais e sonoros que lhe desviam a atenção e desconcentram, cansando-a. É por isso que as crianças de 3 anos se colocam
«em cima» da televisão, para que o seu campo visual e auditivo não tenha mais nada com que se ocupar.

No cinema, o ecrã é grande, e o silencio do público e o escuro permite seguir um filme de uma forma mais saborosa e enriquecedora.

Claro está que, antes dos 4 anos, pode dar o sono, pode a criança assustar-se com a escuridão e o movimento do filme, ou pura e simplesmente fartar-se porque o filme é longo e não se pode mexer nem dizer nada. Cada um saberá qual o melhor momento para levar os filhos ao cinema, mas pode haver avaliações que depois se revelam erradas, e não vale a pena ficarmos zangados se o momento
não foi o certo e a criança não conseguiu aguentar. Entrar em conflito e virem para casa embezerrados e com a sensação de uma tarde mal passada, não vale certamente a pena.

Há vários aspectos a considerar antes de  levar uma criança ao cinema:

• aguenta cerca de uma hora e meia sentada sem começar a ficar ansiosa, agitada, farta?
• o ambiente escuro não a assusta?
• percebe as regras, ou seja, que não pode colocar o filme no pause e sair?

A escolha do filme tem de ser criteriosa, e por vezes um filme inteiro do mesmo herói que se adora em casa não causa a mesma atração no cinema.

É bom que os pais vão explicando aos filhos o que se está a passar no ecrã, mesmo quando o filme é em português. A capacidade de entendimento e de manter a atenção é limitada – é por isso que, em casa, vêem inúmeras vezes seguidas os mesmos DVD’s. Só depois de reverem muitas vezes as sequências de cenas é que conseguem perceber a totalidade e os pormenores mais importantes.

 

Ao perder o fio à meada, se não houver um papel moderador dos pais, o filme transforma-se numa «seca», originando os comportamentos que já mencionei.

E se a criança quiser vir para o colo dos pais não a enxotem. É sinal que precisa do vosso colo, seja porque está amedrontada, seja porque precisa que alguém lhe explique o enredo um bocadinho melhor. Não recusem esse papel de líder que ela vos está a dar…

Comentários

O cinema | Para Pais.