Evoluções da fala na criança



É muito difícil dizer como é que o vosso filho ou filha vai falar, com que ritmo e com que velocidade.

Uma coisa pode-se dizer: haverá períodos de maiores demonstrações (o que não significa maiores aquisições), outros de quase estagnação. Se comparar o desenvolvimento entre crianças é inadequado, então no que se refere à linguagem as coisas ainda são piores.

Ao começar o segundo ano de vida, em média, as crianças dizem algumas palavras como
por exemplo «mamã», «papá», «não», «cão», «água», «dá», bem ou mal pronunciadas.

A capacidade de aprendizagem, associada ao interesse e à necessidade progressiva (e
também ao gozo do saber e do sucesso), faz com que, entre os 18 meses e os 5 anos, as
crianças aprendam uma média de nove palavras por dia.

Depois de conseguirem expressar alguns sentimentos, nomear objetos e pedir coisas, as crianças começam a formar frases, mesmo que muito reduzidas, mas com uma entoação que revela o sentimento e o objetivo.

Os irmãos mais novos têm um esquema geralmente diferente. Mais do que combinar palavras em frases mais complexas, têm tendência a pairar em padrões e toadas equivalentes aos dos das frases dos adultos. Ou seja fazem discursos e comícios, tagarelam e ralham como um adulto, embora não se entenda nada do que dizem – ao fim de uns tempos o discurso já é inteligível.

Comentários

Evoluções da fala na criança | Para Pais.