Convalescença



Convalescença. O Dicionário de Sinónimos diz que esta palavra significa «arribação, melhoras, re-estabelecimento». Infelizmente, desapareceu do léxico português e da prática do dia-a-dia.

Vem isto a propósito dos episódios de doença que afetam as crianças, especialmente no primeiro ano em que entram para o infantário (que algumas pessoas designam por «infetários»). Não sendo doenças graves, em crianças saudáveis, causam no entanto alguma quebra do estado geral, falta de apetite e cansaço, sobretudo se o episódio é acompanhado de febre alta.

Contudo, mal a febre desaparece, muitos pais, pressionados pelos empregos e empregadores, pelo «dia-a-dia» e mais umas quantas coisas, levam novamente as crianças ao infantário… para muitas delas voltarem à cama, doentes, às vezes com situações mais graves, como infeções bacterianas respiratórias.

A cura clínica (ausência de sintomas e de sinais) tem um determinado timing. Mas a cura dos tecidos e das células, e a cura funcional dos órgãos, demora muito mais tempo, e requer o mínimo de fatores agressores (ambiente urbano, ambiente da escola, tabaco, poluição, acordar cedo, frio, correnas) e um máximo de fatores protetores (bom ar. dormir até tarde, descansar, boa comida).

As crianças portuguesas já não convalescem, por várias razões plausíveis, mas não há dúvida que não é do seu melhor interesse voltar logo para um local onde há um maior risco de infeções, onde os
outros vão puxar por eles e, ainda por cima, tendo que se levantar cedo e não podendo ter os ritmos caseiros.

Se não convalescem, e lá volto ao Dicionário, também não «arribam», não melhoram e não sere-estabeiecem.

Constato isso todos os dias na prática, e como eu, centenas de milhar de pais e profissionais. Sempre que possível, deixem a criança mais um ou dois dias em casa. Acabam todos por ganhar.

Comentários

Convalescença | Para Pais.