Cinesiterapia



A nossa árvore respiratória é, como qualquer outra árvore, formada por uma sucessão de «ramos», começando pelo mais grosso, a traqueia, até aos mais fininhos, os bronquíolos, que por sua vez dão origem às «folhas», os alvéolos. Pelo meio ficam uma sucessão de «troncos» cada vez mais estreitos – os brônquios.

Quando alguma coisa incomoda ou agride esta «árvore» – cujos troncos são ocos por dentro, autênticos tubos, tipo «canos» – a resposta deles é apertarem-se e produzirem uma mistura de muco, células e outros detritos – as chamadas «secreções brônquicas» (que designamos habitualmente por «expetoração»).

Estas secreções são geralmente espessas e, por isso, vão facilmente entupir a «canalização», causando uma grande resistência à entrada do ar. Este entupimento provoca, por outro lado, anomalias na distribuição do ar, alterações da velocidade e da força da coluna aérea, mau arejamento de certos sectores dos pulmões e, não menos importante, leva a que certas zonas fiquem estagnadas com secreções formando autênticas «piscinas» de secreções quentes, cheias de células, que são, afinal, o «repasto» ideal para as bactérias.

Assim, independentemente dos antibióticos e de outros medicamentos que o médico possa ou não receitar (conforme a situação), nada ficará resolvido se não encontrarmos uma forma de ajudar a criança a «limpar a canalização», dado que a força da tosse de uma criança pode não ser suficiente para conseguir mobilizar e deitar fora as secreções mais espessas e viscosas.

O esforço de tossir repetidamente pode até aumentar bastante o cansaço da criança e levá-la à exaustão. Por outro lado, este esforço aumentado exige uma ação extra dos músculos que, para trabalharem mais, gastam também mais oxigénio…num corpo que está globalmente a respirar mal.

A cinesiterapia é a maneira mais eficiente de limpar os brônquios, na qual se hidratam as secreções (com aerossóis), se aplica vibração da parede dos brônquios através da percussão do tórax, para soltar as secreções, e se faz a drenagem postural, que consiste em deitar a criança em várias posições que facilitam a saída das secreções dos vários sectores pulmonares (por ação da força da gravidade), estimulando ao mesmo tempo a tosse (carregando em certos pontos específicos).

Se o vosso filho estiver com uma situação em que é recomendada cinesiterapia, perguntem ao médico-assistente onde a poderá fazer Se tal não for possível ou se nem sequer existir ninguém por perto para o fazer, peçam ao médico (ou a um enfermeiro do centro de saúde, por exemplo) que vos ensine alguns pormenores da técnica de cinesiterapia «caseira».

Façam-na três ou quatro vezes por dia, em sessões de cerca de 30 minutos (cerca de 15 minutos de hidratação e mais 15 de «pancadinhas»).

Comentários

Cinesiterapia | Para Pais.