Brincar ao nescer



Logo que nasce, o bebé revela bem as suas capacidades de brincar. Olha para a mãe, com ternura, brinca com o mamilo, fixa o olhar, e em breve desafiará os pais para a interação, que outra coisa não é senão brincadeira. Rapidamente passará para a descoberta do corpo, do seu corpo, do corpo da sua mãe, do corpo das outras pessoas e do mundo, e quererá brincar, leia-se também, às vezes, manipular, dominar, esses parceiros, esses objetos, numa cada vez maior e melhor interatividade e com a necessidade também crescente de jogos de situação cooperativa.

Mas também com uma sensação de omnipotência – ele é quem manda, quem põe e dispõe como se as pessoas fossem um prolongamento dos seus braços e do seu querer. Quantas vezes não nos disponibilizamos o suficiente, em termos de tempo e ocasião, para darmos resposta estas solicitações, seja porque estamos
cansados, seja porque muito ocupados?

Comentários

Brincar ao nescer | Para Pais.