As pessoas de referência



Os bebés são muito flexíveis e adaptam-se praticamente a tudo. No entanto, é bom terem pessoas de referência os pais, claro, mas também a pessoa que cuida deles na sua ausência.

É mau estar-se constantemente a saltar de pessoa para pessoa, de local para local. O bebé investe tudo o que tem e, se a resposta é afinal decepcionante, acaba por se conter e dar-se menos. Fica mais reservado e desconfiado. E, principalmente a partir dos 8-9 meses, começa a não gostar destas mudanças e a reagir mal a novas pessoas que entrem na sua intimidade.

E, pais e empregadores, não se esqueçam de que as mães têm direito a duas horas diárias de «licença de amamentação» até o bebé completar 12 meses, e que os dias que «tiram» quando os filhos estão doentes, de assistência à família, não são benesses do Estado ou da entidade patronal, mas um direito que não poderá, em nenhuma circunstância, ser posto em causa.

Refira-se também que mais e mais pais (homens) usam dias que a lei confere para estarem com o bebé, a seguir ao nascimento, para além dos cinco dias obrigatórios. Ainda bem. E que não se sintam tocados por remoques ou piadas de alguns ou por sentirem que estão «a perder tempo» – pelo contrário, estão a fazer um dos maiores investimentos afetivos da vossa vida.

Em todo este processo, como em toda a vida, há a necessidade de pessoas «enquadrantes», modelos que dão a estrutura concreta aos ensinamentos teóricos e abstractos. Nos primeiros anos de vida, muito do processo de ensino/aprendizagem é feito por imitação. Daí a importância que os pais assumem, eles e as suas coerências e consistências, que o bebé irá obviamente tentar explorar em termos de identificar faltas de rigor e de «qualidade». Neste aspecto, vale a pena reafirmar que somos humanos e que, portanto, não temos que tentar fazer de super-homens mais ou menos robotizados. Como costuma dizer o Professor Eduardo Sá, «os pais também têm direito a fazer uma birra por dia!», Mas o valor da coerência e do modelo é essencial: mais do que bons conselhos as crianças precisam de bons exemplos.

Comentários

As pessoas de referência | Para Pais.