Ao adquirirem uma cama, vejam se



• é estável e sólida e com grades de pelo menos 60 cm de altura;

• a distância entre as grades não é superior a 6,5 cm para evitar que enfie a cabeça e possa sofrer estrangulamento;

• nas camas que têm grades que sobem e descem, há que ver se ficam bem colocadas sempre para cima quando o bebé está na cama, e sem hipóteses de o bebé se entalar;

• a cama não tem lascas de tinta, pois o bebé pode ferir-se ou engolir. Muitos bebés, quando estão na fase de dentição, roem os bordos da cama. É normal;

• é cada vez mais comum usarem-se intercomunicadores para ouvir o bebé. No entanto, os pais não devem ser escravos deles, no sentido de irem a correr mal ouvem um pequeno barulho os bebés fazem barulhos a dormir: «rosnam», fazem estalidos com a boca, têm alterações súbitas do ritmo respiratório (suspiros), etc.

• o colchão é firme e plano, para o bebé não se afundar nele – caso contrário começará a respirar o seu próprio dióxido de carbono, ficando menos oxigenado e «zonzo»;

• se é, de preferência, de tipo hipoalergénico, especialmente se existem antece- dentes familiares directos de alergia ou se o próprio bebé já manifestou alergias, ou pelo menos de material inerte. Devem ser evitados materiais como palha, sumaúma ou penas;

• o colchão é revestido por um resguardo impermeável, e este deve ser regularmente lavado e exposto ao sol e ao ar.

Outros conselhos para criar um ambiente tranquilo:

• o lençol deve estar esticado;

• devem evitar-se almofadas, travesseiros e outros acessórios (fitas, roupas) que possam sufocar o bebé a partir dos dois meses, os bebés começam a gostar de ter alguns elementos de transição perto de si: fraldas de pano, bonecos, etc. mas deve-se sempre evitar o excesso de objectos junto ao bebé;

• não há necessidade de usar almofada, em termos ortopédicos – pelo contrário.
O bebé deverá dormir sem este elemento até o mais tarde posssível;

• a cama deve ser feita «cá em baixo», ou seja, não deixando espaço para o bebé escorregar;

•os lados da cama deverão ser acolchoados ou revestidos com tecidos laváveis e moles (ver na página seguinte: «Bater com a cabeça nos lados da cama»);

•a roupa da cama e do bebé deverá sempre ser roupa de materiais não tóxicos e não inflamáveis;

•a cama deve estar longe de radiadores, janelas e cortinas, pelo risco de incêndio, queda ou puxar, bem como de outras coisas perigosas, especialmente depois dos 6 meses de idade;

•a temperatura do quarto deve estar cerca dos 20-21°C;

•devem evitar-se aquecer em demasia, para não secar o ar e contribuir para a obstrução nasal do bebé;

•o próprio bebé é que deve ser aquecido, mas não sobre-aquecido, ou seja, mais do que a temperatura do ambiente, importa ó que seja o vosso filho a ter suficiente roupa para manter o calor; claro que, no Verão, o bebé deverá estar pouco vestido, muitas vezes até apenas com uma camisinha, se a temperatura for muito elevada; ao deitar o bebé no exterior da casa, no Verão, há que ter cuidado de o proteger de insectos, animais, súbitas mudanças de temperatura, vento e pó;

• as pás de ventoinhas e os aquecedores deverão ser periodicamente limpos, porque acumulam pó e bactérias;

• não ó preciso um silêncio sepulcral para o bebé dormir, especialmente durante o dia ele acostuma-se e gosta dos barulhos normais da casa. É como nós só nos primeiros dias é que ouvimos o camião do lixo às 3 da manhã; contudo, os sons bruscos e intensos, demasiadas vozes e sons assíncronos» (como os de certos programas e anúncios da televisão) são incomodativos; a música é essencial e estrutura os bebés.
Música ritmada, seja clássica ou não;
• não é preciso escuridão total, durante o
dia. Mas há que velar um pouco a luz,
descendo os estores; cuidado com a
cobertura de candeeiros – há sempre um
risco grande de incêndios.

Comentários

Ao adquirirem uma cama, vejam se | Para Pais.