Alimentação vegetariana



Os estilos de vida vegetarianos – chamo-lhes assim porque representam por vezes mais do que meras opções alimentares – têm aumentado nos países desenvolvidos.

Várias razões podem pesar na escolha deste tipo de alimentação, desde os fatores de saúde e económicos a outros: religiosos, filosóficos ou ambientais.

A questão que se coloca é se uma criança pode crescer sem comer carne ou peixe, ou em certos regimes também ovo ou leite.

Crescer numa família vegetariana não deve ser olhado como algo suspeito. Muitas vezes há a noção de que deveríamos também fazer um esforço para limitar o consumo de proteínas animais e, não o conseguindo, temos a tendência para desdenhar as práticas corretas de outras pessoas. E é fácil emitir juízos sobre os outros, especialmente sobre a maneira como educam as crianças.

Para refletir…

Quando se pergunta a uma pessoa «que alimentos é que fazem bem à saúde das crianças», a resposta é geralmente: vegetais, legumes, frutos, leite, água. Curiosamente, a tendência atual em Portugal é para um aumento do consumo de carne, peixe e outro tipo de proteínas de origem animal, com exagero de hidratos de carbono, fritos e refrigerantes. Não haverá aqui uma certa contradição entre o que sabemos ser correto e o que fazemos?

Que tal pensarmos no assunto e ver os graus de liberdade que temos para mudar as coisas, em vez de culpar a sociedade, a publicidade e a restauração pelos erros que, afinal, repetimos em casa quase todos os dias?

Comentários

Alimentação vegetariana | Para Pais.