A minha mãe teve depressão pós-parto. Eu não quero ter. O que posso fazer para me ajudar a mim mesma?



O facto de que tem consciência da depressão é a maior ajuda. Deverá mencionar ao seu médico a existência dela na família, para que ele esteja prevenido para um problema potencial. Estar preparada para a vida com um novo bebé pode ajudar a evitar a depressão. Por exemplo, antes do parto, adiante as tarefas domésticas e tenha a cozinha bem fornecida de refeições nutritivas fáceis de preparar. Fale com o seu companheiro, amigos e familiares para ver se eles podem ajudar a preparar uma refeição ou a comprar pão e leite. Se se julgar que corre um risco elevado de depressão, por exemplo, se se sentiu deprimida na gravidez, se tem um historial de depressões ou se teve um parto traumático, pode falar com o seu médico sobre outras medidas preventivas. Por vezes, injetam-se altas doses de progesterona depois do parto, que vão sendo diminuídas durante oito dias. A mãe utiliza então pessários de progesterona até a menstruação começar. Este tratamento ainda não está comprovado, mas resultados anteriores indicam que por vezes pode ajudar. Ou podem tomar-se antidepressivos numa fase adiantada da gravidez. Há diferentes pontos de vista sobre isto, com muitos médicos a acreditarem que expor o bebé a antidepressivos na gravidez não é o ideal, enquanto outros acreditam que o benefício que traz para a mãe ultrapassa o risco do bebé.

Comentários

A minha mãe teve depressão pós-parto. Eu não quero ter. O que posso fazer para me ajudar a mim mesma? | Para Pais.